Viajar sem falar inglês: é possível desbravar o mundo sem falar outro idioma ?

O ano era 2004 e fazia minha primeira viagem internacional: Portugal, Espanha, França e Itália.

Dicas para a primeira viagem internacional. Clique aqui.

Foram 30 dias pelo Velho Mundo com um amigo, e no meio do roteiro nós fomos para Pontevedra, na Galícia, onde parte da família dele morava.

Santiago de Compostela
Na minha viagem pela Galícia realizei um sonho: conhecer Santiago de Compostela

Nunca tinha viajado para fora do país e meu inglês era básico. Já tinha estudado alguns meses em uma escola e outros meses com uma professora particular.

Foi a primeira fez que precisei usar outro idioma.

E este outro idioma foi o Espanhol.

Na casa da família do meu amigo todos falavam espanhol e eu entrei no modo mudo. É engraçado que quando isso acontece tenho a impressão de estar com uma batata na boca, a qual trava a minha fala.

Meu amigo automaticamente abandonou o português pois precisava interagir com sua família e o Diego aqui permaneceu calado.

Lembro-me de uma criança, com mais ou menos 4 anos de idade. Tentava brincar com ele, mas não conseguia interagir.

Aí o escutei quando olhava fixamente para seu pai apontando para mim: Por qué él habla tan raro ? (por que ele fala tão esquisito ?)

Sentia-me um inútil e naquele momento pensei: A primeira coisa que farei ao voltar para o Brasil será estudar espanhol.

A viagem continuou e esta tinha sido somente uma amostra das outras dificuldades que teria. Meu amigo além de falar espanhol tinha um inglês muito melhor que o meu, sendo assim, ele precisava tomar a frente de tudo.

E isso era chato, porque de certa forma me sentia dependente.

Chegamos em Paris e disse pra ele: Agora é comigo !! E saí todo determinado para pedir informações.

Estive em Paris duas vezes: uma no inverno, com muitos dias cinzentos e esta no verão com céu azul e dias longos.
Estive em Paris duas vezes: uma no inverno, com muitos dias cinzentos e esta no verão com céu azul e dias longos.

Na estação de trem precisávamos perguntar onde era o hostel e lá fui bravamente: Where is Le D´Artagnan Hostel ? O policial olhou para mim com cara de interrogação, perguntei mais umas duas vezes e nada, até que meu amigo tomou a frente de novo e se fez entender.

Pensei comigo, qual o problema com meu inglês ?

Na verdade o problema não era somente o idioma, mas também à maneira como abordei o policial, um tanto quanto informal.

Aqui no Brasil temos o costume de já chegar perguntando, e isso, dentro da nossa vivência, não é necessariamente mal educado.

É apenas um comportamento típico nosso, porém na em outros países é diferente.

Antes de qualquer coisa fale Excuse me, depois pergunte se a pessoa fala inglês e só daí faça a pergunta. Aliás esta receitinha vale para qualquer lugar e se quiser ser ainda mais formal fale Bom dia, Boa tarde ou Boa noite.

Não se esqueça de agradecer ao conseguir a informação.

A primeira dica é essa, seja formal, pois assim vencemos a barreira da comunicação usando da educação.

Inglês, idioma universal

O inglês e uma língua falada em 41 países e em muitos outros é a segunda língua oficial.

Na Europa, além dos países que tem o inglês como idioma oficial, é muito comum que mais pessoas falem inglês mesmo que este não seja oficial em seu país.

londres-parlamento
Cena típica de Londres: o Big Ben e os famosos ônibus vermelhos de dois andares

Muitas escolas possibilitam que o aluno saia falando inglês, que diferente do Brasil, com exceção à algumas escolas, precisamos fazer um curso específico de inglês.

É por isso que iremos encontrar, proporcionalmente, mais pessoas que falam inglês na França ou Espanha por exemplo. Existem outros fatores, mas com certeza a qualidade de ensino contribui muito.

Diversidade de idiomas: inglês, xlosa e afrikaans.
Diversidade de idiomas: inglês, xlosa e afrikaans.

Mas posso viajar sem falar inglês (ou outro idioma) ?

Você não precisa falar inglês para viajar o mundo. Eu viajei muito sem falar inglês e sempre me virei, logicamente com algumas limitações.

Em 2018 estudei inglês na África do Sul durante um Intercâmbio em Cape Town por 6 meses e voltei com um nível de inglês muito melhor, o que me permite me comunicar de maneira mais ampla no idioma.

Intervalo das aulas, saudades deste tempo.
Intervalo das aulas, saudades deste tempo.

E aqui vai uma palavra que é necessário sempre lembrar: COMUNICAÇÃO EM INGLÊS.

Ao falar outro idioma podemos ter sotaque e cometer erros de pronúncia, entonação e gramática, mas se esforçar para se fazer entender é o grande segredo para se dar bem em viagens.

Se você não fala um ai em inglês pode usar um tradutor no celular e até fazer mímica. Tenho certeza que você vai conseguir o que precisa.

Porém existem restrições: vai ser difícil fazer amizades e vai ter mais trabalho se precisar resolver um problema.

Viajar sozinho sem falar inglês é ainda um pouco mais complicado. Eu conto um pouco sobre como é Viajar sozinho neste artigo.

Portão Brademburgo
Viajar sem falar inglês pode ser difícil, mas estando sozinho o desafio é maior. Foto: Quando fui sozinho para Berlin

Mas aí você pode pensar, vou falar com brasileiros e portugueses. Sim,  é uma opção, porém a viagem ainda fica restrita e você perde a oportunidade de conversar com um local.

Em 2015 fui à Noruega junto com uma amiga. Eu já arriscava mais no inglês porém ela não falava quase nada.

Desembarcamos numa cidade do interior do país numa noite fria e chuvosa. Começamos a andar por uma rua que acompanhava um rio com uma forte correnteza.

A rua estava deserta, e a escuridão aliada àquela barulho da correnteza do rio foi deixando a gente preocupado, pois não tínhamos ideia onde era o hotel que tínhamos reservado.

Perguntamos a uma pessoa e esta só acenou com a cabeça dizendo que não falava inglês, até que vimos um senhorzinho que dizia não falar inglês também.

Neste momento o cansaço bateu e me sentei na calçada. Quando de repente vejo minha amiga no maior papo com aquele norueguês. Fiz aquela cara de interrogação e de repente minha amiga vem em minha direção e disse: já sei onde é, ele me explicou.

Fiquei ainda mais confuso e não entendia como minha amiga brasileira que não fala inglês nem norueguês conseguiu conversar com um senhor norueguês que não falava inglês nem português.

Ela disse que bastou dizer o nome do hotel e o cara respondeu com duas palavras: bridge yellow. Minha amiga deduziu que o hotel era uma casa amarela perto da próxima ponte. Batata!! Achamos.

Ruas de Oslo
Viajar sem falar inglês e norueguês não é fácil viu ?? Foto: Pelas ruas de Oslo

Muitas vezes a comunicação extrapola o idioma, talvez o meu jeito de tentar me comunicar em inglês não foi o ideal e digamos que minha amiga foi mais prática e objetiva.

E o Espanhol ?

Falei tanto do inglês que esqueci do espanhol, que foi a primeira língua que aprendi depois que voltei do meu primeiro mochilão.

O espanhol é falado em 21 países e suas chances em viagem aumentam ao falar o idioma. Sem contar que parte dos EUA também fala espanhol.

A vantagem é que é um idioma latino, sendo assim mais amigável pra gente, porém não menosprezem o idioma, o qual pode nos enganar com seus falsos cognatos.

Caso você não goste do inglês ou tenha dificuldade, o espanhol é uma excelente boa opção.

Imagine que com ele você já pode viajar de forma mais independente por toda a América Latina.

E quando nem um nem outro ajuda ?

Loja em Atenas
E quando a gente não consegue nem ler a palavra ?

Já tive algumas experiências que mesmo falando inglês e espanhol foi difícil me comunicar. No Marrocos foi assim, já que eles falam árabe, bérbere e francês. Várias vezes encontrei com pessoas que só falavam estes idiomas.

Porém mesmo assim, por ser um país perto da Europa, não foi tão difícil encontrar ajuda de quem falasse inglês, espanhol e até português.

Um dia, na exótica Praça Djema El Fna me perdi nas ruas da medina e ao pedir informações percebi que a pessoa somente falava francês. Imediatamente ele chamou um amigo que falava inglês e me ajudou na hora.

Placa de rua em Marrakesh
Pelas ruas de Marrakesh

Vença sua timidez

Quanto menos você falar outro idioma menos tímido você precisa ser. Aliás esta é uma regra de ouro para quando estiver estudando. Apenas fale sem ficar se censurando. É melhor falar errado do que não falar.

Não sabe nada do idioma ? Sorria, faça mímicas e tente achar uma forma de se comunicar, sempre haverá uma maneira. Lembra do yellow bridge ?

Caso você seja tímido, vai ficar realmente difícil.

Guias e folhetos de informações turísticas

É muito comum, em viagens por pacote, o guia falar espanhol. Isso porque as agências mandam seus clientes e estes se juntam a outros grupos onde o espanhol é um idioma curinga.

Porém, quando fui pra Bósnia queria muito fazer um tour guiado por Sarajevo, mas só tinha em inglês e na época ainda não tinha feito o intercâmbio. Desisti.

Em atrações turísticas, o material em português ainda não é encontrado em vários lugares do mundo.

Na França, visitando os Castelos do Valle do Loire, cheguei a encontrar folhetos em português de Portugal e português do Brasil. Porém não é comum.

Outra questão é que sem entender o inglês perdemos muita informação. Quando fui à Londres comprei uma excursão para conhecer Bath, Stonehenge o Castelo de Windsor.

stonehenge
Viajar sem falar inglês pode ser difícil quando o audioguia (este pendurado no meu pescoço) não tem opções em espanhol ou português.

Uma guia acompanhou o grupo e falou durante TODA A VIAGEM. No começo me esforçava para tentava entender, mas depois de algum tempo cansei.

Sendo assim, a dica é sempre ter um guia à mão ou simplesmente internet no celular, pois aí você terá as informações sobre aquele determinado lugar, história, geografia, etc. Não é como ouvir uma pessoa falando, mas pelo menos não ficamos “boiando”.

Quanto menos inglês falar, mais você deve estar preparado. Isso vale principalmente para Europa, onde a maioria das atrações são históricas e culturais.

Agora, se você está indo para um resort e vai curtir praia e piscina o dia todo, o inglês é quase que dispensável.

Restaurantes

Ler menus é uma dificuldade pra mim, talvez por estar mais acostumado a Self Services por quilo, mesmo em português, demoro um pouco  para escolher a la carte.

Imagine em outro idioma.

Geralmente em países onde o inglês não é oficial, existe o cardápio no idioma local e em inglês, às vezes encontramos em espanhol também, porém não é tão comum.

Hamburguer
Ainda bem que tinha foto. Foto: Uma lanchonete em Amman na Jordânia

Muitos dele colocam fotos e aí é só usar o dedo e apontar, mas sendo em inglês precisamos de ajuda.

O legal é que existem aplicativos de celular, como o Bixby, onde você aponta a câmera para o texto e automaticamente o mesmo é traduzido na sua tela, mas mesmo assim ainda ficamos refém da tecnologia. E se não tiver wifi, dados ou bateria ?

Bom, aí antes de viajar você pode estudar os nomes de comidas, já que a maioria dos cardápios é dividida em carnes, aves e peixes. Deste jeito vai ficando mais fácil.

De qualquer forma ninguém vai passar fome, porque o restaurante quer mesmo é vender, então eles se esforçarão para serem entendidos.

Dicas do Viajante Curioso

Não deixe de viajar por não falar outro idioma, no entanto, se prepare anteriormente com informações sobre o lugar.

Instale um app de tradução no seu celular.

Caso tenha programado uma viagem para daqui a três meses por que não usar este período para treinar o inglês ? Tem muita aula no Youtube e inclusive específicas para viagens.

Gosto muito das aulas do Alex.

É difícil falar para alguém que é tímido, deixar de ser tímido, mas saiba que a desinibição ajuda muito.

Se você tem um inglês básico e consegue formular perguntas do tipo: onde é, que horas são, como faço para chegar, etc,  lembre-se de usar a seguinte receitinha ao abordar alguém na rua: Excuse me, Do you speak english ? Hablas español ?(caso esteja em algum país que não fale inglês ou espanhol) e só aí fazer a pergunta.

Conta Restaurante
Traz a conta por favor ?

Não vão fazer como eu na minha primeira viagem à Europa, lembre-se que a formalidade abre portas.

Quando tiver que pedir informação na rua procure os mais jovens, a chance de eles falarem outro idioma é maior.

Lembre-se que o processo de Globalização e a União Europeia fez com que o aprendizado de inglês fosse ainda mais necessário, e isso aconteceu principalmente nos anos 90. Logo, quem nasceu depois disso teve mais chances de aprender outro idioma.

Independente do idioma, viaje!! Safe travels, Buen viaje, Bon voyage.

Conta aí para mim se você já passou algum apuro em viagens. Você já teve alguma experiência em viajar sem falar inglês ou outro idioma ?

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

 

Compartilhar:
6 comments Add yours
  1. Para viajar para o exterior falar inglês não é indispensável, mas limita a viagem. Afinal de contas, mudos também viajam. Mas penso que é conversando com os moradores locais que se conhece a alma do lugar, as peculiaridades, aqueles detalhes interessantes que tornam cada viagem uma experiência única e fascinante. Sem a possibilidade de interagir corre-se o risco de conhecer apenas o que eu chamo de vitrines , aquelas coisas mais superficiais que todos enxergam mas nem sempre compreendem. Mas viajar é tão bom que , às vezes, até a falta de comunicação se transforma em um caso interessante para contar. Em uma pequena cidade no interior da República Tcheca, entramos eu e minha esposa (à época, namorada) em um restaurante e nem os garçons nem os outros frequentadores falavam inglês, tampouco alemão. Só tcheco. O cardápio também estava escrito em tcheco. O jeito foi pedir a bebida, que é sempre mais fácil, e ficar de pé observando os pratos que os garçons levavam para as mesas. Quando passava um prato que nos agradava, apontávamos para ele. Acabou sendo divertido. Vida de turista é assim.

    1. Olá Fábio,

      Obrigado pelo seu comentário!!
      Você tem toda a razão, viajar é sentir emoções e sensações e muitas vezes estas transpõem a comunicação falada.
      Apenas observar torna-se um aprendizado enorme.
      O idioma ajuda muito, conforme você mesmo deu exemplos, mas nunca deve ser impeditivo, afinal moramos num mundo globalizado.
      Qual era esta cidade na República Tcheca ? Estou planejando ir para, ainda não conheço, dicas são bem vindas!!
      Abraço!!

  2. Foi nos arredores de Mariánské Lázně..
    Mas a verdadeira jóia da República Tcheca, (além de Praga, é claro), na minha opinião, é Cesky Krumlov. Pesquise.
    Medieval, com um castelo maravilhoso, e ótimas cervejas.

    1. Ah legal!! Cesky Krumlov está no roteiro.
      Aliás, pesquisando estes dias, descobri que a República Tcheca é o país que mais consome cerveja no mundo.
      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *