Como fazer seguro viagem internacional: vale a pena ? Veja dicas e relatos de quando usei

Última atualização em

A gente sempre tem uma tendência otimista, imaginando que nada vai acontecer. Isso é bom, mas é preciso sempre se precaver.

Ao organizar uma viagem ficamos empolgados com o roteiro, preparativos e tudo mais, porém não podemos esquecer de questões práticas.

Várias pessoas têm dúvidas sobre como fazer seguro viagem internacional.

Tenho um artigo com algumas situações que ocorreram comigo, confiram em Cuidados para tomar numa viagem internacional.

O título deste artigo ter uma questão: Vale a pena ? Porém é uma pergunta retórica, já que o seguro viagem internacional é um dos itens mais importantes a ser visto antes de sair pelo mundo afora.

Como fazer seguro viagem
Um investimento que vale a pena

Geralmente as pessoas têm dúvida sobre como fazer seguro viagem internacional, mas é muito simples.

Você pode perguntar para seu agente de viagem qual a melhor opção ou comprar sozinho pela internet.

Já fiz das duas formas, porém uma vez uma agente de turismo conseguiu fazer o mesmo preço de um seguro só que com coberturas maiores que tinha visto na internet. Pesquise.

Independente da opção escolhida, contrate um SEGURO VIAGEM.

Coberturas de seguro viagem

Quando pensamos sobre como fazer seguro viagem, surgem muitas dúvidas, no entanto é preciso lembrar que o mesmo não serve só para necessidades médicas. Existem outras coberturas que vão muito além disso:

  • Transporte até a clínica ou hospital mais próximo
  • Caso precise voltar para o Brasil com algum aparelho conectado ao corpo que impeça seu ingresso como passageiro regular, o seguro cuidará disso junto à companhia aérea.
  • Traslado de corpo (essa é pesada, mas é a lei da vida)
  • Seguro de vida, caso ocorra um acidente fatal na viagem
  • Indenização em caso de perda de bagagem
  • Despesas farmacêuticas
  • Cancelamento ou atraso de voo: reembolso das despesas que possam ocorrer por conta disso
  • Seguro de notebook e Smartphone em casos de roubos, incêndio e outras eventualidades
  • Prorrogação de estadia: caso sofra um acidente e não possa viajar, o seguro cobre as despesas de hospedagem e remarcação de voos
  • Viagem de um acompanhante no caso que o segurado fique muito tempo internado

Estas são algumas coberturas, porém existem outras. Muitas destas fazem parte de pacotes adicionais, mas atendimento médico e hospitalar são coberturas básicas.

Atendimento Médico
As coberturas básicas se referem a atendimento médico e hospitalar

É importante saber direitinho as coberturas e dar atenção para aquilo que você acha fundamental. De qualquer forma é preciso estar ciente de como está segurado.

Lembre-se que tudo isso é regulado pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), e caso tenha dúvidas, não deixe de consultar este órgão.

É muito importante pesquisar se o destino pede alguma cobertura específica.

Alguns países possuem um acordo de reciprocidade com o Brasil, ou seja, os estrangeiros podem usar nosso SUS e nós podemos usar o sistema público deles, mesmo assim o seguro viagem é de extrema necessidade.

Viagem para os EUA

Vale ressaltar que países como os EUA não têm atendimento médico público. Então se tiver alguma ocorrência sem seguro viagem você terá que pagar do bolso,  e caro!!

Desde criança tenho muitas crises de amigdalite que me derrubam: tenho febre alta e muita dor no corpo, mas o tratamento é super fácil e rápido: vou ao médico, tomo antibiótico e no outro dia estou bem.

Castelo da Disney
Não esqueça do seguro viagem quando for para o mundo encantado da Disney. Atenção redobrada com as crianças

Agora imagine se estou nos EUA e tenho uma crise dessa e preciso desembolsar 200 dólares para uma consulta ? Carinho né ?

Uma infecção de garganta é algo relativamente simples, mas imagine se você quebra a perna ou precisa ficar internado. O custo de uma diária hospitalar na Terra do Tio Sam pode chegar à exorbitante quantia de 3.000 dólares.

Arriscaria viajar sem seguro viagem ?

Meu primo foi aos EUA e teve apendicite, porém se agravou e precisou ficar internado por um tempo. Uma cirurgia dessa por lá pode custar mais de 37.000 dólares. Mas como ele tinha seguro não precisou desembolsar um centavo a mais.

Por estes valores vemos que o seguro médico é imprescindível.

Atendimento gratuito em Portugal

Alguns países como Portugal dão atendimento gratuito para brasileiros como se fosse um cidadão português, porém é preciso emitir um certificado chamado CDAM, o qual tem validade por um ano.

Lisboa
Procure no site do Itamarary os países que têm reciprocidade de atendimento de saúde com o Brasil, porém mesmo assim o seguro viagem é fundamental

Mesmo assim, caso viaje para Portugal, o seguro continua sendo extremamente necessário, já que outras despesas não estão cobertas, como em caso de morte e traslado do corpo para o Brasil (é chato, mas tem que falar).

Você já gastou uma grana com passagens, hotéis e passeios, então por que economizar com algo que te dá segurança e tranquilidade ?

Mesmo tendo acesso a atendimento gratuito em alguns países eu prefiro pagar pelo seguro viagem para ter mais conforto e muitas vezes ser atendido no próprio hotel, como aconteceu comigo.

Logo mais conto como foi isso.

É aquele tipo de economia que não vale a pena. É bem verdade que fazemos seguro para não usar, como pagamos seguro de carro mas não queremos ser roubados. Imprevistos acontecem e não dependem de nós.

Cobertura para esportes radicais

Muitas atenção para a galera dos esportes radicais, é preciso falar exatamente que tipo de atividade irá praticar e ver se como fazer seguro viagem mais adequado para você.

Esquiando
Pesquisa as coberturas que você precisa quando sua viagem envolve esportes radicais

Minhas experiências usando Seguro Viagem

Gente, já precisei usar o seguro viagem três vezes, e abaixo conto como foram minhas experiências:

Valdívia, Chile

Estava na bonita cidade do sul do Chile e depois de conhecer lagos cristalinos e vulcões comecei a sentir uma forte dor logo abaixo do abdômen.

Fiz de conta que ela não existia e continuei a viagem.

Mesmo assim, com dor, embarquei para Bariloche, na Argentina. Quando o ônibus parou na fronteira e tivemos que descer para fazer os procedimentos de imigração, percebi que tinha piorado a ponto de ser difícil caminhar.

Estava sozinho, fazia frio e via aquelas montanhas nevadas. De repente fiquei com muito medo e decidi que logo que chegasse a Bariloche procuraria o seguro.

Cheguei no cidade, fui ao hotel com muito esforço e liguei no telefone da seguradora. Falava espanhol com o atendente e este disse: pode falar em português.  A pessoa foi super simpática e perguntou se eu poderia ir até uma clínica que ficava a 300 metros dali. Disse que sim.

Chegando na clínica me identifiquei e eles já tinham todas minhas informações, não precisei esperar nada.

Os médicos me consultaram e disseram que tive um estiramento muscular por esforço físico, me receitaram um remédio, comprei na farmácia, jantei e fui dormir. No outro dia quase não tinha dor.

Bariloche
Não poderia deixar de curtir a bela Bariloche por conta de um estiramento muscular

Quando voltei para o Brasil mandei a nota do remédio para a seguradora e eles me reembolsaram.

Nota para o atendimento: 10

Paris, França

Meu atendimento foi em Paris, mas o que ocasionou foi algo que tinha acontecido alguns dias antes no Mar Vermelho, na Jordânia.

Fazia um roteiro pelo Oriente Médio e ao chegar em Aqaba, no Mar Vermelho, fiquei com vontade de fazer um mergulho com cilindros. Já tinha tido uma experiência no Nordeste, mas lá é um lugar especial, já que a visibilidade é muito boa.

mergulho mar vermelho
Mergulhando no Mar Vermelho encontramos este tanque de guerra afundado

Acontece que no meio do mergulho me perdi nos controles e acabei emergindo, o guia me puxou para o fundo imediatamente. Naquele mesmo momento senti uma pressão muito forte no ouvido, mas me segurei e continuei.

Quando saí da água estava surdo do ouvido direito e doía um pouco. Teimoso achei que iria passar e não procurei atendimento.

No outro dia viajei para Israel e o ouvido ainda incomodava muito, mas acreditava que melhoraria. O último destino daquela viagem era Paris e de lá voltaria para o Brasil, quando lá cheguei decidi que deveria procurar um médico.

Liguei no seguro e em 30 minutos tinha um médico batendo na porta do meu quarto no hotel. Fiquei até assustado porque foi muito rápido.

O médico perguntou em qual idioma eu gostaria de ser atendido, já que ele falava francês, inglês e espanhol. Escolhi o espanhol e ele me examinou.

Ele disse que visivelmente estava tudo ok, me receitou um remédio e comprei.

Paris
Tirei esta foto um pouco depois de passar pelo médico

Quando retornei ao Brasil pedi reembolso e obtive rapidamente.

Nota para o atendimento: 10

Infelizmente tive uma lesão no ouvido e fiquei com tinnitus. Para quem não sabe, é um zumbido eterno. Não tem cura, mas estou bem adaptado a ele.

La Paz, Bolívia

Viajei para La Paz no inverno e as temperaturas eram muito baixas. Logo que cheguei na cidade senti um mal estar, como já tinha ido para lá achei que seria por conta da altitude.

No outro dia tinha viagem marcado ao Titicaca e lá fui eu completamente indisposto. Chegando em Copacabana é que percebi que estava realmente mal. Tinha muita febre, muita dor no corpo e minha garganta começara a doer. Pensei: lá vem amigdalite !

La Paz
Eu até tentava sorrir nas fotos, mas a dor já estava incomodando

Adiantei minha volta à La Paz pois seria mais fácil conseguir um atendimento médico por lá. Como estava sozinho e bem debilitado pedi para um amigo do Brasil entrar em contato com a seguradora.

O médico demorou umas 6 horas para chegar ao hotel.  Eu tinha a opção de ir a alguma clínica, mas neste momento não conseguia mais levantar da cama.

O médico chegou, super atencioso, me examinou e constatou o que já sabia: amigdalite.

Bom, aí era só tomar antibiótico, muita água e esperar.

No outro dia já estava bem melhor, mas ainda fiz repouso, mesmo assim a viagem prosseguiu normalmente, já que no segundo dia não sentia mais nada.

O médico me atendeu em meia hora e ficou mais uma perguntando sobre a situação política do Brasil. Despertamos curiosidade.

Nota para o atendimento: 8

Nem preciso dizer os problemas que teria caso não tivesse o seguro viagem, no geral os atendimentos foram excelentes.

Só dei nota 8 para a ocorrência em La Paz porque demorou, mas eu poderia ter ido para o hospital se quisesse.

Dicas do Viajante Curioso

É comum que alguns cartões de crédito concedam seguro viagem internacional gratuito caso o ticket aéreo tenha sido comprado por ele. Ligue na sua administradora e confira.

Existem seguros que você paga o atendimento e depois eles reembolsam. Porém tem esses que usei onde só precisei desembolsar o dinheiro dos medicamentos. Esta é uma opção sua.

Depende de quanto quer de conforto e sua disponibilidade financeira para pagar e pedir o reembolso depois.

Observem bem as coberturas e escolha àquelas que tenham aderência ao seu perfil.

Prestem muita atenção aos países que exigem seguro. Por exemplo, os países que fazem parte do Tratado de Schengen, onde existe livre circulação de pessoas, sem a necessidade de apresentar passaporte nas fronteiras.

Além disso, o Tratado de Shengem define algumas regras, como a obrigatoriedade de um seguro viagem com cobertura mínima de 30.000 Euros. Lembre-se que estas regras valem para visita de turismo, caso a viagem seja para estudo ou trabalho é preciso ver as normas específicas.

Apesar do seguro de viagem ser obrigatório nestes países, nunca me pediram comprovação na imigração. Mas isso não é desculpa para não fazer hein ?

De qualquer forma, tenha sempre a apólice impressa. Caso tenha usado o seguro do cartão de crédito, eles te enviarão este documento.

Hoje muitos seguros de viagens têm atendimento por aplicativo, tudo muito prático. E você não precisa se preocupar com o idioma.

Já leu meu artigo sobre Viajar sem falar inglês ?

É muito importante que, mediante qualquer eventualidade no exterior, você recorra ao seguro e não invente de ir a qualquer hospital, clínica ou médico. Eles te indicarão prontamente o que fazer.

E atenção redobrada se a viagem for para os EUA, porque o atendimento médico lá é caríssimo. Desta forma o seguro é obrigatório mesmo.

Nova York pode ser cara, mas em 2009 descobri um ferry para Staten Island de graça. Foi um dos passeios mais legais na cidade. Guardar dinheiro para viajar tem que ser uma meta.
Nova York pode ser cara, mas em 2009 descobri um ferry para Staten Island de graça. Foi um dos passeios mais legais na cidade.

A intenção deste artigo é explicar como fazer seguro viagem e sensibilizar quando à necessidade de contratar antes de sair pelo mundo.

Você já precisou usar o seguro viagem no exterior ? Conte para mim sua experiência.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *