Permissão internacional para dirigir: como é alugar um carro em outro país

Dirigir durante uma viagem ao exterior é o sonho de muitos viajantes, a liberdade e facilidade para ir de um ponto a outro pode proporcionar uma experiência realmente diferente.

Viajar pelos Castelos do Vale do Loire na França, pela Toscana e atravessar a Cordilheira dos Andes são algumas dicas de lugares.

Vale do Loire
Pelas estradas do Vale do Loire na França

Roteiros românticos, de lua de mel e de aventuras são os que mais pedem um carro. Parar em alguma cidade pequena ou em qualquer lugar que “dê na telha” é realmente uma delícia.

Vai encarar a subida ?
Dirigi por quase todas estas curvas na Cordilheira dos Andes – veja o artigo: Entre Santiago e Mendoza de carro e entenda esta aventura.

Apenas não podemos nos esquecer de lugares que não vale a pena alugar um carro, como as grandes cidades. Primeiro por conta do trânsito e segundo porque geralmente em grandes cidades os deslocamentos podem ser feitos de Uber, Táxi ou transporte coletivo. Você aconselharia um gringo a alugar um carro no Rio ou em São Paulo ? Eu não.

Porém algumas dúvidas sobre quais documentos necessários para dirigir no exterior sempre deixam as pessoas receosas.

Leia este artigo até o final, aí você entenderá porque este assunto é tão controverso.

Como alugar carro no exterior

Esta é a parte mais fácil, já que seu agente de turismo ou sites da internet podem te ajudar neste assunto.

Ao alugar um carro no exterior informe claramente o seu roteiro, assim a locadora irá te lembrar de todos os documentos necessários.

Também é preciso ver qual o melhor tamanho do carro, e principalmente o porta malas, caso esteja alugando um veículo para mais de 2 pessoas.

Uma vez aluguei um Fiat 500 na Holanda e o banco traseiro ficou só para as malas, pois o carro é muito pequeno.

Estada da Holanda
O dia em que me perdi pelas estradas da Holanda

Em roteiros urbanos os carros de passeio e econômicos são as melhores opções, apenas fique esperto caso tenha estradas de terra. Fiz a viagem de Santiago a Mendoza num Peugeot e o carrinho sofreu um pouco.

Outros pontos a serem lembrados é quando ao seguro e valores da franquia e coberturas, assim ninguém tem surpresa se acontecer um imprevisto.

Não estranhe se, ao devolver veículos no exterior, você seja orientado a somente deixar o carro em algum lugar, sem conferências. Aconteceu isso comigo no aeroporto Charles de Gaulle em Paris, onde deixei todos os documentos dentro do carro e somente coloquei as chaves numa caixinha, perto de um tipo de “cabine” no estacionamento.

Permissão internacional para dirigir – PID

Este é o famoso documento que prova que você pode dirigir em outro país.

A Permissão Internacional para dirigir é emitida pelo Detran. Cada estado têm regras e procedimentos diferentes.

Permissão Internacional para dirigir
A famosa PID – Permissão Internacional para dirigir

Apesar do site dar todas as informações, sempre é pedido que se faça uma dupla conferência no consultado ou embaixada. E aí começam as inseguranças.

A PID tem validade de três anos para CNH´s com validade de 3 anos ou mais. Caso a CNH tenha validade inferior a três anos, a validade da Permissão Internacional para dirigir será a mesma da CNH.

Um dos motivos pelos quais a CNH poder ser rejeitada em uma eventual blitz policial é o não entendimento do nosso idioma, por isso a PID vem traduzida em 7 línguas: Alemão, Árabe, Espanhol, Francês, Inglês, Português e Russo.

Países que aceitam a CNH brasileira

Existe uma Regulamentação Básica Unificada de Trânsito, ou seja, os países que seguem estas regras aceitam a CNH brasileira.

São eles: Argentina, Chile, Peru, Paraguai, Uruguai e Bolívia.

Outros países aceitam a CNH brasileira por conta de um acordo de reciprocidade, ou seja, o Brasil aceita o documento deles também: Moçambique, Espanha e Itália.

Países que pedem a Permissão Internacional para dirigir – PID

A Convenção de Viena sobre trânsito Viário de 1968 é seguida por 76 países. Nesta convenção foi definido que os países participantes pedirão a PID.

Veja a lista de países que pedem a PID.

Nesta lista vemos que os países são europeus, africanos e alguns asiáticos.

Sempre é importante lembrar que a PID não substitui nossa CNH, mas sim complementa, por isso é importante levar os dois documentos numa viagem ao exterior.

A legislação é meio confusa às vezes. Por exemplo, a Itália consta nesta lista mas também tem um acordo de reciprocidade com o Brasil.

E aí, o que fazer ?

Países que não pedem a PID

A América Latina, com exceção de Peru e Cuba, não pede a Permissão Internacional para dirigir.

E os EUA, que recebem muitos turistas brasileiros, também não pedem. Aliás, eles nem reconhecem a PID como um documento oficial.

Como emitir a PID

Em São Paulo o processo todo é feito pela Internet e custa R$ 291,83 e mais R$ 11,00 caso queira receber pelos Correios, sem precisar ir até o DETRAN retirar.

Porém, volto a falar, cada estado têm suas regras.

Os únicos documentos necessários para emissão da PID são a CNH e o comprovante de pagamento da taxa.

O destino é algum país do Mercosul ?

Os países do bloco do Mercosul (Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina) conforme visto acima, não pedem a PID porém você precisará da Carta Verde.

A Carta Verde é um seguro obrigatório pedido por estes países caso você decida circular em um país diferente de onde seu carro está registrado, seja com carro próprio ou alugado.

A Carta Verde é obrigatória para todos os veículos e para todos os fins de viagem: turismo ou trabalho.

Se você alugou o carro em um dos países do Mercosul e vai dirigir somente dentro daquele país você não precisará da Carta Verde.

Este seguro visa cobrir indenizações caso você se envolva num sinistro fora do país de registro do carro, e mesmo que você já tenha um seguro que cubra a América Latina, ainda precisará da Carta Verde.

Este seguro é padronizado para todos os países do Mercosul e funciona nos mesmos padrões de quaisquer outros seguros.

As coberturas mínimas são:

  • US$ 40,000.00 por pessoa – despesas de hospitais, acidentes e mortes por pessoa
  • US$ 20,000.00 por terceiro – para pagamento de consertos, perda total etc.

O seguro pode ser feito numa corretora de seguros, na própria locadora, agência bancária e também nos consulados/embaixadas.

Mas e na prática, como funciona

Fiz este artigo com objetivo de esclarecer as dúvidas, tenho um relato sobre uma viagem entre Santiago e Mendoza, a qual fiz com carro alugado e o pessoal sempre pergunta sobre os documentos necessários.

Não existe um consenso nas informações e na internet são muitos os relatos de pessoas que dirigiram sem a PID. O próprio site do Detran se contradiz muita vezes.

Por isso vou falar da minha percepção em alugar e dirigir um carro em diversos países. Depois dou minha opinião final, vamos lá ?

Em todos estes lugares dirigi sem a PID.

Onde já dirigi e qual foi a minha percepção:

Uruguai: aluguei um carro em Montevidéu para ir até Punta Del Este. O procedimento foi super tranquilo e não pediram nenhum documento além da CNH.

Piriápolis
O destino era Punta del Este mas parei em Piriápolis, vantagens de estar de carro.

Argentina: viajei de El Calafate na Argentina à Torres del Paine no Chile, a locadora apenas preparou os documentos a serem apresentados na aduana, mas também foi super tranquilo. Não precisei da Carta Verde, porque o Chile não faz parte do Mercosul.

Estrada da Patagônia
Quem aí também curte tirar fotos com placas ?

Guatemala: rodei o país inteiro com carro alugado e foi super tranquilo alugar, não precisei de nenhum documento extra.

Estradas da Guatemala
A gente se perdeu pelas estradas da Guatemala mas nos divertimos muito

México: este foi o lugar mais estranho que aluguei um carro, estava em Playa del Carmen, nas proximidades de Cancún, e aluguei um carro para ir à Chitzén Itza, e eles não pediram NADA, nem meu cartão de crédito.

Ao voltar simplesmente estacionei o carro e paguei a locação. Não houve nenhuma conferência do carro.

A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história
A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história

Holanda: viajei de Amsterdam para Bruges na Bélgica, não pediram a PID e somente minha CNH resolveu tudo.

Fiat 500
Dirigindo o pequeno Fiat 500 em Bruges quando não parava de chover….

França: super fácil a locação, não pediram a PID, somente a CNH.

Estradas do Vale do Loire
Uma das viagens mais gostosas e tranquilas que já fiz de carro

Croácia: idem, somente a CNH

Saindo de Duborvnik, faltou o Julio que estava dirigindo
Saindo de Duborvnik, faltou o Julio que estava dirigindo

Eslovênia: rodei pelo país com um carro alugado na Croácia e mesmo passando pela fronteira não pediram a PID. Além do mais tomei uma multa por estacionar em local proibido e o guarda não pediu a PID também.

PIRAN
Piran é meio italiana, meio eslovena. Foi uma bela surpresa no litoral do pequeno país.

Montenegro: rodei pelo país com carro alugado na Croácia e não tive nenhum problema na fronteira. A PID não foi pedida nem para entrar nem para sair do país.

Pelas estradas de Montenegro, tem horas que o carro falha.
Pelas estradas de Montenegro, tem horas que o carro falha.

Bósnia: idem à Montenegro, com o diferencial que o guarda me parou por estar com o farol desligado, mesmo durante o dia. Também não pediu nenhum documento.

E aquela cidade no meio da Bósnia que ninguém falava nada e você achou incrível
E aquela cidade no meio da Bósnia que ninguém falava nada e você achou incrível

África do Sul: muitos blogs dizem que é impossível alugar carro sem a PID por lá. Pois é, aluguei um carro para fazer a Garden Route e não me pediram o documento.

O Tsitsikama National Park na Garden Route
O Tsitsikama National Park na Garden Route

Ainda teve um agravante: me envolvi num acidente e fui parar na delegacia. Lá tive que fazer o Police Report (Boletim de Ocorrência) e não me pediram documento algum fora minha CNH e passaporte.

Bom, como podem ver, em 100% das vezes não me pediram a tal da PID. E olha que tive contratempos.

Mas e aí Viajante Curioso, você está falando pra não se preocupar e ir tranquilo ?

Tirar ou não tirar a PID, eis a questão

Eu seria muito irresponsável se falasse para não tirar a PID baseado no que aconteceu comigo, sendo assim, acredito que R$ 300,00 é um preço até que baixo pela tranquilidade proporcionada.

Se estiver viajando com amigos e mais pessoas forem dirigir o carro, será necessário que cada um tire a sua PID.

Tanto a PID como outros documentos como: carteira de vacinação internacional, seguro viagem e Carta Verde podem nunca ser pedidos, mas estar com eles nos dá segurança.

Outro exemplo: na Europa, especificamente no espaço Schengen, é obrigatório ter uma seguro de viagem. Já fui várias vezes e nunca me pediram o tal documento para comprovar, porém mesmo assim, sempre fiz o seguro.

Dá uma olhada neste artigo e veja as situações que usei o Seguro de Viagem.

Mas ai vocês podem perguntar: e você, porque não fez a PID ?

A resposta é simples e digo de antemão que ela depende de como encaramos um problema. Penso assim, se a locadora não quiser alugar o carro sem a Permissão Internacional para Dirigir, vou em outra, se nenhuma quiser (as chances são bem pequenas) mudo o roteiro e faço de ônibus, Uber, trem ou Bla bla car.

Se a polícia me parar e exigir o tal documento, sigo uma receitinha básica: não argumentar. O policial terá que dar um jeito na situação.

Mas vejam que tenho flexibilidade e não vejo o problema como o “fim do mundo”.  Mas querem saber de uma coisa ?

Vou emitir a minha.

Abraço

Todas as informações sobre a Permissão Internacional para dirigir foram consultadas no site do Detran-SP.

 

Compartilhar:
2 comments Add yours
  1. NAFRANÇA a PID nao tem data da emissão da carteira de motorista.
    Tive que mostrar a carteira de motorista original.

    1. Olá Arnaldo,

      Obrigado pelo comentário.
      Sim, os documentos são complementares, mesmo tendo a PID é obrigatório mostrar a CNH brasileira.
      Diego

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *