Pontos turísticos da Bolívia: conheça as cidades de Sucre e Potosí

Pontos turísticos da Bolívia: conheça Sucre a capital da Bolívia e Potosí, a grande cidade das minas de prata.

Na minha opinião a Bolívia é o país mais sui generis da América Latina, nada contra os outros, mas a Bolívia surpreende pelos seus costumes e pelas paisagens incríveis.

Viajar à Bolívia não é fácil, infelizmente o país carece de estrutura. As estradas não são boas, os ônibus não são confortáveis e tudo parece meio improvisado, mas todos os fatores não devem desencorajar você a visitar nosso vizinho, pois encontrará um país com gente amigável, preços convidativos e passeios de tirar o fôlego. Aliás na última viagem à Bolívia voltei positivamente impressionado pelo profissionalismo de seus guias.

Quais são os principais pontos turísticos da Bolívia ?

Certamente se chegou neste post deve estar com algum roteiro na cabeça que envolva a região de Copacabana com o Lago Titicaca ou o cenográfico Salar do Uyuni. Ok!! Estas são as duas grandes cerejas do bolo da Bolívia, mas entre estes roteiros destaco duas cidades importantes: Sucre e Potosí.

Sucre é a capital oficial da Bolívia, marcada por suas ruas charmosas, construções brancas e muitas igrejas em seu centro histórico. Já Potosi não tem todo o charme de Sucre porém é a cidade que conta o drama boliviano. Capital do departamento mais pobre da Bolívia, Potosi foi no passado a cidade mais rica do mundo, dada a enorme quantidade de prata extraída do emblemático Cerro Rico, visto em forma de pirâmide das ruas coloniais potosinas.

As ruas de Sucre - Pontos turísticos da Bolívia
As ruas de Sucre

Sucre

Conhecida como a cidade branca das Américas, Sucre é bastante charmosa, uma cidade agradável e com clima mais ameno que a gélida Potosi no inverno.

Suas ruas guardam praças super bem conservadas, várias igrejas e a Casa de la Libertad, considerado o melhor museu da Bolívia.

Sucre é um dos pontos turísticos da Bolívia
Sucre é um dos pontos turísticos da Bolívia

Procure andar sem mapas e sem se preocupar com os pontos turísticos e deixe-se surpreender pela simpatia de suas calles, se você veio de La Paz para cá notará a enorme diferença entre as duas cidades.

As suntuosas construções coloniais
As suntuosas construções coloniais

Sucre tem tradição na produção de chocolate, dê uma volta na loja Para Ti perto da Praça 25 de maio e prove aí os vários tipos e sabores.

Não deixe de ir ao imperdível Mercado do Centro e comer aí um lanche de embutidos no Siete Lunares. Enquanto saboreia seu lanche observe o movimento do mercado e repare como as vendedoras oferecem suas frutas em meio à confusão do mercado.

Mercado é sempre legal
Mercado é sempre legal

Não pense que as ruas de Sucre são vazias, aliás nunca vi tanta gente junta. As pessoas em Sucre usam mesmo os espaços urbanos e no final da tarde muita gente fica nas praças apreciando o movimento. Sente-se aí um pouco e observe os estudantes saindo das aulas, os senhores alimentando pombas e o vai e vem das pessoas trabalhando.

Vai uma copita de nieve aí ?
Vai uma copita de nieve aí ?

Tem outro detalhe importante: Sucre tem várias escolas de espanhol, e fica como dica para você que está pensando em um intercâmbio para aprender o idioma.

Casa de la Libertad

Um excelente museu na Praça 25 de Maio situado em um casarão colonial muito bem conservado, o qual guarda parte da história da Bolívia. Pergunte sobre os tours guiados e se tiver que escolher apenas um museu para visitar que seja este. Não se esqueça que você está em uma cidade tombada pela Unesco.

O lindo pátio interno da Casa de la Libertad
O lindo pátio interno da Casa de la Libertad

Caminhando pelas diversas salas a guia vai explicando a cultura, vestimenta e tudo referente a Bolívia, preste atenção na história da independência do país, o qual tem muita relação com o Brasil, já que “roubamos” parte do território boliviano. Este é um dos pontos turísticos da Bolívia mais importantes do ponto de vista histórico.

Terrazas de San Felipe de Neri

Outro lugar que escolhi para visitar foi a Igreja e Convento de San Felipe de Neri com seus terraços com vista para a cidade. A entrada não é pela igreja, mas sim por um colégio que fica bem ao lado. Só abre após as 14:00h.

Convento de San Felipe de Neri
Convento de San Felipe de Neri

Passeie pelos pátios internos e depois suba até as terrazas para ver Sucre do alto com suas diversas torres de igrejas.

As terrazas
As terrazas

Recoleta

Pergunte no centro como chegar à Recoleta, o que não é difícil já que esta fica na parte mais alta da cidade. Prepare-se e tenha disposição para subir as ladeiras e lá em cima dar de cara com uma praça charmosa, uma igreja e um mirante para a cidade colonial.

Os arcos do Mirador da Recoleta
Os arcos do Mirador da Recoleta

Quanto estive lá vários estudantes de escolas próximas estavam ali para o intervalo e caminhavam de um lado para outro na praça. Gosto de ver vida, e sentir que ali não é apenas uma cidade que foi importante no passado, mas sim que ainda vive.

As crianças com uniformes na Recoleta
As crianças com uniformes na Recoleta

Enfim, estes são os meus destaques para a cidade, mas lembre-se que Sucre é para ser descoberta despretensiosamente. Sendo uma das capitais, é um ponto turístico da Bolívia que deve ser visitado.

Potosi

Ao chegar em Potosi ficamos um pouco desconfiados, pois a cidade não é muito convidativa. Os bolivianos não costumam pintar suas casas (me disseram que se pintam pagam mais impostos, não sei se a informação é correta) então é tudo é naquela cor de tijolo vermelho mesmo. A rodoviária é uma barulheira só, pois as agências ficam gritando seus destinos, é uma baita confusão.

Potosi foi a cidade mais rica do mundo, estima-se que durante a colonização espanhola, viviam mais pessoas aqui do que em Londres ou Paris.  Toda esta riqueza proporcionou um crescimento à cidade com enormes construções, igrejas, instituições e a mineração constante do Cerro Rico.

Potosí é um dos pontos turísticos da Bolívia
Potosí é um dos pontos turísticos da Bolívia

Um amigo boliviano me sugeriu experimentar uma sopa chamada carapulca, a qual é vendida perto do cemitério entre 9 e 11 da manhã, a curiosidade desta sopa é que a mesma é servida com pedras vulcânicas que são previamente postas no fogo, dizem que as mesmas conferem um sabor peculiar ao prato, infelizmente não tive oportunidade de provar.

Casa de la Moneda

Este é um importante museu boliviano, situado ao lado da catedral de Potosi. Aí conta-se a história de como a absurda quantidade de prata era processada e transformada em moedas. Procure também pela visita guiada, pois a mesma vai te explicar detalhes que certamente passarão despercebidos,

Casa de la Moneda
Casa de la Moneda

Neste museu também estão expostos vários quadros de artistas bolivianos. Não deixe de notar como a arte barroca era influenciada pelos mestiços, os quais colocavam em suas pinturas objetos, animais e comidas dos nativos. São detalhes pequenos porém muito interessantes.

O Pátio interno da casa de la Moneda com a máscara "cínica"
O Pátio interno da casa de la Moneda com a máscara “cínica”

O grande barato deste museu é ver como as moedas eram cunhadas, e todo o processo do derretimento da prata até o corte. Tudo era feito usando a força humana e de animais. Em outra parte do museu podemos ver a evolução para as máquinas à vapor e elétricas.

Igreja de San Francisco

Eu gosto muito de ver as cidades do alto, e em Potosi podemos subir até as terrazas da Igreja de San Francisco. De lá temos uma vista bem legal do Cerro Rico e de toda Potosi.

A igreja de San Francisco e ao fundo a catedral de Potosi
A igreja de San Francisco e ao fundo a catedral de Potosi

Esta igreja fica relativamente perto da catedral, basta caminhar pela rua que começa praticamente na praça em frente à igreja.

O Cerro Rico de Potosi visto do mirador da Igreja de San Francisco
O Cerro Rico de Potosi visto do mirador da Igreja de San Francisco

O mais legal de Potosi é caminhar entre suas ruas coloniais. É bem verdade que boa parte dos casarões precisa de uma manutenção, mas procure focar na magia da cidade e entre uma rua e outra dar de cara com o Cerro Rico.

As ruas de Potosi são um dos pontos turísticos da Bolívia que mostra o rico passado colonial do país
As ruas de Potosi são um dos pontos turísticos da Bolívia que mostra o rico passado colonial do país

Como foi minha viagem

Estava na Bolívia por 15 dias, comecei o roteiro por La Paz e daí tomei um voo pela Amaszonas à Sucre. De Sucre tomei um ônibus a Potosi, a viagem demorou aproximadamente três horas e meia.

De Potosi tomei outro ônibus até Uyuni, são aproximadamente 4 horas.

Informações importantes

  • Ônibus de Sucre a Potosi – 30 bolivianos
  • Ônibus de Potosi a Uyuni – 35 bolivianos
  • Taxi dentro de Sucre e Potosi – preço meio que tabelado, sempre 5 bolivianos.
  • Existem muitos hotéis e hostels na Calle Oruro em Potosi
  • Os ônibus não são necessariamente confortáveis, mas levei de boa
  • Os bolivianos vendem tudo dentro do ônibus
  • Depois que comprar a passagem não esqueça de pagar a taxa da rodoviária, geralmente 1 boliviano, procure pelos guichês antes de embarcar.
  • Existem muitos horários na rota Sucre-Potosi-Uyuni
  • Se estiver em um grupo de três pessoas vale a pena perguntar quanto custa um táxi, é muito mais rápido e confortável e não é tão mais caro.
  • Os ônibus a Uyuni saem do “ex terminal de Potosi”, a rodoviária antiga.

Quais são os pontos turísticos da Bolívia que gostaria de conhecer ?

 

 

 

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *