Costumes Muçulmanos. Confira 5 dicas para experiência incrível em países Islâmicos

Costumes Muçulmanos: Primeiro é preciso entender um coisa….

Existe muita confusão quando falamos no Mundo Muçulmano, e boa parte é por falta de conhecimento. Muçulmano é o fiel adepto ao Islamismo, uma das maiores religiões do mundo, o que não pode ser confundido com Mundo Árabe.

O termo Árabe está relacionado a um povo, cultura e idioma, e caso você se interesse mais pelo tema existem muitos artigos na Internet.

Basicamente árabe é um povo originário da Península Arábica, os quais ao longo de anos foram se espalhando por todo o Oriente Médio e África.

Todo Árabe é Muçulmano ? Não, no mundo árabes existem cristãos por exemplo. E todo muçulmano é Árabe ? Também não, países como a Turquia e o Irã são de maioria Muçulmana porém não são árabes. Os Iranianos por exemplo descendem de uma das maiores civilizações da Antiguidade: Os Persas, mas aí é outra história.

A burca faz parte dos costumes muçulmanos
A burca faz parte dos costumes muçulmanos

Por que acho que este post é importante

Tive experiências viajando para países onde o percentual de Muçulmanos era expressivo, sendo eles: Jordânia, Israel, Palestina, Turquia, Marrocos e…. Bósnia, para quem não sabe, este último,  foi um enclave do Império Otomano no meio da Europa, e por isso tem uma população Muçulmana grande.

A incrível Petra na Jordânia
A incrível Petra na Jordânia

Posso dizer que “dei vários foras”, tipo aquelas mancadas, por isso decidi escrever este artigo.

Está planejando ir para algum país de maioria Muçulmana ? Dá uma olhada nestas dicas sobre costumes Muçulmanos:

1 – Roupas

Sempre que viajo procuro roupas que não “gritem” que sou turista, porém muitas vezes é impossível. Em Amman, na Jordânia, fazia um calor danado e eu andava de bermuda todos os dias.

Era raríssimo ver outros homens vestidos como eu, geralmente eles sempre usam calças compridas. Não aconteceu nenhum problema, mas eu me sentia estranho, talvez se voltasse optaria por uma calça jeans ao menos.

Por estar usando bermuda tive que por este lenço para ir ao Domo da Rocha em Jerusalém
Por estar usando bermuda tive que por este lenço para ir ao Domo da Rocha em Jerusalém

Para mulheres, em alguns lugares do mundo Muçulmano, é necessário usar um véu e como estes países possuem uma cultura, digamos paternalista, sugiro discrição no vestuário para evitar situações constrangedoras. Na minha viagem ao Marrocos observei muitas meninas sem o véu, usando calças jeans como qualquer outra menina no mundo, mas quando a gente é estranho no ninho é melhor ser mais conservador.

Apesar de obviamente te obrigarem, nunca entre numa mesquita com seu calçado. Naquelas que são abertas à não-Muçulmanos eles distribuem saquinhos para você carregar seu calçado durante a visita. Mas por que ? O Muçulmano, em muitos momentos de suas orações, o faz com o rosto próximo ao chão, ou seja, é uma questão de higiene e respeito acima de tudo.

No interior da Mesquita Hassan II com a sacolinha com meu tênis nas mãos.
No interior da Mesquita Hassan II com a sacolinha com meu tênis nas mãos.

2 – Observações culturais

Bom, escolhi este item imediatamente abaixo daquele que fala sobre roupas. Apoio os movimentos feministas, mas é totalmente desaconselhável levantar questões polêmias nestes países caso conversem com algum local. Julgar a cultura de outros locais com nosso olhar é errado, já que tradições seculares estão envolvidas e não é tão simples assim.

Ativistas do FEMEN (Grupo Feminista Ucraniano) já foram expulsas do Marrocos por conta de suas manifestações. Não cabe aqui o julgamento de certo ou errado, mas sim um alerta para tomarmos cuidado.

Acredito que uma viagem como esta valha como reflexão, ou seja, quando voltarmos para nossa casa podemos avaliar quão grande o mundo é e sim formar uma opinião, a qual deve ser expressa em locais adequados.

A enorme Praça Djema El-Fna é um espetáculo de diversidade cultural em Marrakesh.
A enorme Praça Djema El-Fna é um espetáculo de diversidade cultural em Marrakesh.

3 – Bebendo e comendo

Existem regras claras sobre o que um Muçulmano pode ou não consumir, e temos dois exemplos para resumir o assunto: Carne suína e bebida alcoólica. Quanto à carne suína ficará fácil obedecer porque você não vai encontrar mesmo, mas para bebida alcoólica valem algumas ressalvas.

É bastante difícil encontrar bares com bebidas alcoólicas nestes países, eles até existem, mas funcionam de maneira discreta. Lembro-me de um em Fez no Marrocos, onde a entrada era por uma pequena porta e era impossível ver pelo lado de fora as pessoas lá dentro. Ok, se existe o bar você pode ir, mas será que é tão necessário assim ? Outros lugares onde você pode encontrar drinks é dentro dos próprios hotéis, mas nunca pegue uma latinha de cerveja e saia bebendo pelas ruas da medina, certo ?

O famoso chá de menta marroquino
O famoso chá de menta marroquino

Eu passei por um pequeno constrangimento em Sarajevo na Bósnia. Esquecendo que estava num país onde parte é muçulmana pedi cerveja num restaurante e o garçom ficou meio chateado e disse que ali era uma restaurante para muçulmanos, logo bebida alcoólica não era permitida.

Mesmo na Turquia, um país onde a religião é separada do Estado não vi muita gente consumindo bebida alcoólica, era super interessante ver mesas com muitos homens conversando e tomando uma espécie de iogurte. Provei depois e não curti.

Essa bebida parecia meio moda em Istambul, provei mas achei que tinha gosto azedo.
Essa bebida parecia meio moda em Istambul, provei mas achei que tinha gosto azedo.

No Marrocos existem muitos, mas muitos cafés, onde somente se veem homens, que viram as cadeiras de forma a olhar o movimento da rua e bebendo apenas café e chás.

 

4 – Compras

Aí vai um item importante que faz parte da cultura e costumes muçulmanos: a negociação.

Esta pode ser bem divertida se você levar de boa.

Geralmente cabem ofertas no primeiro preço oferecido. Não consigo dar uma regra, mas eu (eu Diego) geralmente proponho 30% do valor inicial. Por exemplo, estou negociando um jogo de chá que o vendedor falou que custa 200 MAD (dihram) na moeda marroquina, se realmente estiver interessado, ofereço 60 MAD e sigo a negociação até chegar perto da metade. É correto ? É a melhor negociação ? Não sei, mas pelas minhas experiências consegui chegar num valor justo ofertando assim.

Lembre-se que, se você fizer uma oferta e o vendedor aceitar você terá que comprar o produto, ok nada te obriga, mas tenha certeza que o vendedor ficará meio bravo.

Não achei que a Turquia coloque o primeiro preço de forma que caiba muita negociação, Meu conselho é definir uma meta e tentar chegar perto do valor justo.

Negociar faz parte dos Costumes Muçulmanos. O Grand Bazaar em Istambul é talvez o shopping mais antigo do mundo, pois foi aberto em 1461.
Negociar faz parte dos Costumes Muçulmanos. O Grand Bazaar em Istambul é talvez o shopping mais antigo do mundo, pois foi aberto em 1461.

5 – Preconceito

Precisamos entender que o Islamismo é uma religião enorme, a qual abrange várias partes do mundo. Para ter uma ideia da diversidade, 16% da população da Índia é muçulmana, e imagine que eles estão distantes da Tunísia por exemplo.

Muitas questões políticas deste universo são extremamente complexas, sendo assim é bom evitar levantar assuntos sobre as diferenças de sunitas e xiitas, criação do Estado Palestino e terrorismo.

Lembre-se que a mídia quando fala de terrorismo generaliza todo o mundo Muçulmano, o que é completamente errado, pois a maioria é pacífica.

Quando estive em Israel, o guia emitia comentários tendenciosos à favor do país em relação à criação do Estado Palestino, eu apenas observei e guardei para mim, afinal escutar ambos os lados faz com que nossas convicções sejam mais consistentes.

Infelizmente por conflitos políticos a fronteira entre Israel e Líbano é fechada.
Infelizmente por conflitos políticos a fronteira entre Israel e Líbano é fechada.

É isso galera, espero ter colaborado para que conheçam um pouco mais dos costumes muçulmanos.

Posso dizer que todos estes países tem culturas lindas, paisagens incríveis e muita, mas muita história. E quando for, ao voltar você verá que nem tudo é como pintam. Precisamos ver com nossos próprios olhos.

Salam!! (um cumprimento muito comum no Mundo Árabe que basicamente significa Paz)

Ah, ia me esquecendo, a culinária é simplesmente deliciosa, tanto nos pratos como nas sobremesas.

Ok, confesso no meu último dia no Marrocos tomei uma cerveja num bar que ficava dentro de um navio ancorado em Rabat.
Ok, confesso no meu último dia no Marrocos tomei uma cerveja num bar que ficava dentro de um navio ancorado em Rabat.

 

Continuar lendo “Costumes Muçulmanos. Confira 5 dicas para experiência incrível em países Islâmicos”

Compartilhar:

Essaouira no Marrocos: conheça a bela cidade praiana em um belo bate e volta desde Marrakesh

Essaouira no Marrocos – bate e volta desde Marrakesh

Eu sempre fui fã dos bate e volta ou se vocês preferirem dos day trips, é um tipo de viagem que você não precisa se preocupar em fazer checkout de hotel ou pensar em deslocamentos. Escrevi um artigo sobre como organizo minhas viagens e falo sobre isso, confira aqui.

Se você tem uma viagem planejada para Marrakesh, dá uma olhada nas minhas dicas e aproveite para fazer um day trip maravilhoso para Essaouira.

A cidade, que antes tinha o nome de Mogador, pertencia aos portugueses e até hoje é possível ver um forte construído por eles em terras marroquinas.

A vista da Medina de Essaouira desde do Forte Português - Essaouira no Marrocos
A vista da Medina de Essaouira desde do Forte Português

Essaouira no Marrocos é uma linda cidade de praia à beira do Oceano Atlântico, suas muralhas protegem a Antiga Medina das ondas do mar.

Se gosta de compras, Essaouira tem excelentes opções, com preços mais atraentes que Marrakesh. Fica como dica procurar o artesanato em madeira, principalmente em marchetaria, encontrado em uma das ruas da cidade. Eles têm peças lindas.

Como ir

A cidade está a pouco mais de duas horas e meia de Marrakesh, e se você acordar cedinho cabe sim num day trip, caso contrário você poderá passar uma noite por lá, o que não é uma má ideia.

A Medina de Essaouira no Marrocos é bem mais tranquila que Marrakesh, e se você passou uns dias pela frenética cidade, Essaouira vai te dar um pouco de “paz”.

Relaxe caminhando pela bela Essaouira
Relaxe caminhando pela bela Essaouira

Você pode ir por empresas que vendem o passeio e facilmente encontrarão nas proximidades da Djema el Fna em Marrakesh, mas se quiser ir de ônibus, por conta própria, é super fácil. Existem duas empresas que fazem a linha Marrakesh – Essaouira: Supratours e CTM, cada uma sai de um lugar diferente, porém ambas estão perto da estação de trem de Marrakesh.

No Marrocos o embarque em ônibus é como em aeroporto, você terá que despachar a bagagem e pagar uma taxa por isso, mas não esquente a cabeça, basta chegar meia hora antes e pagar somente 5 MAD.

O caminho para Essaouira é muito bonito, mas fique atento, pois existe um trecho que você verá as famosas cabras que escalam árvores para comer argan. Os tours privados fazem uma parada para ver este fenômeno, se for de ônibus conseguirá tirar umas fotos como eu fiz. É bastante curioso.

A força das cabras escalando as árvores para comer argan.
A força das cabras escalando as árvores para comer argan.

Chegando em Essaouira você terá que pegar um taxi ou caminhar por alguns minutos para chegar na medina, lembre-se que se for pegar um taxi, usar a técnica que ensinei neste artigo , assim você terá certeza que pagará um preço justo.

O que fazer em Essaouira

Bater perna e apreciar as antigas construções da medina é um programa delicioso, tem horas que Essaouira lembra a Grécia com suas construções brancas e azuis.

A cidade tem aquela leveza de praia, dizem que Jimi Hendrix teria se apaixonado por Essaouira.  Hoje a mesma tem uma vocação musical, focado em jazz, rock e reggae.

A medina de Essaouira tem ruas mais largas e mais agradáveis para caminhadas
A medina de Essaouira tem ruas mais largas e mais agradáveis para caminhadas

Um ponto imperdível é o Antigo Forte Português, circule por suas muralhas e aprecie a vista da cidade, das aves e o movimento dos pescadores.

O Antigo Forte Português em Essaouira - antiga Mogador.
O Antigo Forte Português em Essaouira – antiga Mogador.

Outro ponto interessante são as pedras que oferecem uma vista bem legal das muralhas de Essaouira.

Perto do Forte Português, vindo em direção a medina é possível provar frutos do mar, tomar suco de laranja e tem uma praça onde é legal almoçar. São pequenos estabelecimentos onde você escolhe seu peixe e eles preparam na hora.

O simpático vendedor de suco de laranja
O simpático vendedor de suco de laranja

Como disse anteriormente Essaouira tem boas opções de compras, eu gostei muito da arte de lá, tem coisas super originais e as peças de madeira são lindas e com preço legal.

Este artesão faz belos trabalhos em madeira. Não deixe de conferir quando estiver por lá
Este artesão faz belos trabalhos em madeira. Não deixe de conferir quando estiver por lá

A parte propriamente da praia não é tão bonita, é um lugar como outro qualquer, ali é possível praticar alguns esportes náuticos, mas como não é a minha não dei muita bola e foquei na cidade antiga.

Outro lugar legal é a parte superior da cidade nos limites da muralha ao por do sol, vi uma galera lá relaxando, sentados em pequenos mirantes e curtindo a vibe do lugar.

As muralhas de Essaouira sempre garantem excelentes visuais.
As muralhas de Essaouira sempre garantem excelentes visuais.

O Marrocos é bastante diversos, parecerá que você está em países diferentes dependendo do lugar que esteja, se veio de Marrakesh terá esta impressão. Depois conta para mim o que achou ?

Fiz um roteiro de 17 dias pelo Marrocos, confira todos os lugares que fui clicando aqui.

Procure pela hashtag #viajantecuriosonomarrocos no Instagram, tem muitas dicas lá também.

Ah já ia me esquecendo, não só em Essaouira no Marrocos como em todo o país é fácil encontrar pessoas que falam espanhol. Para nós brasileiros é ajuda e tanto!!

Continuar lendo “Essaouira no Marrocos: conheça a bela cidade praiana em um belo bate e volta desde Marrakesh”

Compartilhar:

Medina de Marrakesh: onde ficar, quando ir, riads, preços e atrações

Medina de Marrakesh – Dicas e informações práticas

A cidade de Marrakesh é um dos pontos principais do turismo marroquino, me arrisco a dizer que se você tiver que escolher apenas uma cidade para conhecer no Marrocos que seja Marrakesh.

Além da cidade sintetizar a cultura do país, a mesma tem uma infraestrutura excelente para receber os turistas e atrações que vão realmente te deixar extasiados com todo o exotismo do lugar.

A arquitetura, a comida, as músicas e os costumes fazem de Marrakesh uma cidade única, efervescente e divertida. Quero resumir neste artigo dicas e informações práticas sobre a cidade.

Os portões de acesso à medina de Marrakesh são sempre impressionantes.
Os portões de acesso à medina de Marrakesh são sempre impressionantes.

Quando ir

Marrakesh é quente nos meses de julho e agosto, eu optei por abril e pensei que a temperatura seria mais amena, fiquei 20 dias viajando pelo Marrocos e consegui usar bermuda somente um dia. Clima realmente frio, o que me obrigava a usar um casaco mesmo durante o dia.

Nos passeios pela badalada Djema el Fna sentia bastante o frio, porém os dias eram lindos e sempre com o céu azul. Somente uma manhã peguei tempo nublado em Marrakesh.

De posse destas experiências eu fugiria dos meses de férias e optaria por outros meses, pois Marrakesh é lotadíssima, isso você notará  no mesmo instante que pisar na Antiga Medina de Marrakesh. Se em abril estava lotado, imagine no verão!!

O sol batendo forte e eu com minha inseparável jaqueta.
O sol batendo forte e eu com minha inseparável jaqueta.

Custo

Achei o Marrocos barato, tanto para comer, como os deslocamentos. Senti falta de Uber lá e sempre que usava táxi tinha que negociar os preços antes.

Lá ainda rola aquela ideia de tentar enganar o turista. Utilize esta regrinha básica: para corridas curtas nunca o valor passará de 25 MAD, logicamente isso mudará na ida e vinda do aeroporto, porém este é um bom padrão.

Cheguei por trem em Marrakesh vindo de Casablanca e o taxista me levou até próximo do meu Riad, digo próximo porque os riads ficam em ruas onde carros não circulam. Foi um trecho de 15 minutos e paguei um pouco mais, algo perto de 35 MAD. Nos outros deslocamentos eles sempre me cobravam mais porém eu negociava até 20/25 MAD.

Andar a pé por Marrakesh sempre é uma delícia
Andar a pé por Marrakesh sempre é uma delícia

Não gostei muito da culinária, mas também é possível comer pagando pouco, fica sempre a dica para fugir dos lugares mais turísticos.

Onde ficar

A cidade é rica em opções de hospedagem. Com certeza se você está pesquisando onde ficar, já deve saber dos famosos riads. Estes são antigos casarões que foram transformados em pousadas, as quais, em sua maioria, ficam dentro da medina de Marrakesh.

Fiquei em um maravilhoso, super bonito, decorado e com atendimento impecável com café da manhã delicioso e um preço legal. O único ponto negativo é como chegar e sair, pois os mesmos ficam localizados nas labirínticas ruas da medina de Marrakesh. Esqueça google maps ou qualquer GPS, tem que ser na base da intuição mesmo.

Meu palácio particular durante minha estadia em Marrakesh
Meu palácio particular durante minha estadia em Marrakesh

O ponto chato são os meninos que ficam oferecendo ajuda e muitas vezes te indicando o caminho errado para você se perder e depois eles te cobrarem para te levar até o hotel ou a algum outro lugar.

Não existe sinalização e as informações são precárias. Quer um conselho ? Fique fora da medina. Marrakesh também é uma cidade linda fora das muralhas e tem hotéis para todos os gostos e bolsos. Aí você fica fora de toda aquela agitação e vai passear na medina.

Muitos turistas vão falar que ficar num riad lhe dará a real experiência marroquina, eu discordo, a real experiência é também viver a cidade nova, que é linda.

As muralhas que cercam a medina
As muralhas que cercam a medina

Segurança

Sim, é um país seguro, mesmo andando pela medina de Marrakesh a noite, o que muitas vezes é assustador, pois são ruas estreitas e muitas vezes desertas dificilmente acontecerá alguma coisa. É bom sempre ficar esperto, mas não ouvi falar de nenhum relato de assalto ou violência.

Por ser um país muçulmano sempre existe um “porém” quanto às mulheres que viajam sozinhas, por outro lado, vi muitas turistas em grupos ou até mesmo sós por lá. Aconselha-se tomar cuidado com as roupas, mas também vi muitas meninas de shortinho e roupas orientais, inclusive marroquinas.

Tudo misturado: motos, bicicletas, pessoas e charretes pelas ruas
Tudo misturado: motos, bicicletas, pessoas e charretes pelas ruas

Marrakesh e suas atrações

Fiquei apaixonado por Marrakesh e a cidade corre o risco de ficar entre minhas TOP 5 do mundo. E olha que já tinha viajado para outros para outros países muçulmanos como: Israel, Jordânia e Turquia.

Marrakesh tem um “quê” de mágica em suas casas pintadas em um tom avermelhado. Mesmo já tendo visto as muralhas de Jerusalém, fiquei encantado com as muralhas de Marrakesh, as quais para mim são bem mais bonitas.

O enorme El Badi
O enorme El Badi

Marrakesh é também a cidade dos jardins e são muitos que você poderá conhecer. É bem legal perceber que as vezes ruas movimentas guardam paraísos escondidos, como os jardins do Palais Bahia e Majorelle.

O lindo Palais Bahia é um dos pontos principais de Marrakesh
O lindo Palais Bahia é um dos pontos principais de Marrakesh

Existe uma avenida que liga os Jardins de Menara à cidade antiga, é um boa caminhadinha, mas faça-a e repare na linda avenida margeada por jardins super bem cuidados. Eu adoraria ter ficado hospedado por ali.

As mesquitas são um espetáculo a parte, o grande destaque vai para a Koutubia, com seus detalhes que encantam os turistas.

O Minarete da Mesquita Koutoubia
O Minarete da Mesquita Koutoubia

Fora isso, existem muitos palácios e ruínas que mostram o passado glorioso desta cidade Imperial do Marrocos, uma das mais impressionantes é a El Badi.

Em Marrakesh é bem legal assistir ao por do sol num dos bares da Praça Djema el Fna, é lindo ver a cidade de acendendo e o movimento das ruas com músicas, vendedores, restaurantes, encantadores de serpentes e toda a excentricidade marroquina.

O por do sol numa das maiores praças do mundo: A Djema el Fna
O por do sol numa das maiores praças do mundo: A Djema el Fna

Chegando e saindo

Marrakesh tem aeroporto e estação de trem. Cheguei na cidade vindo de Casablanca. Pague 10 MAD a mais e viaje de primeira classe, é super confortável.

Marrakesh é lotada, não tem jeito.

A estação de trem de Marrakesh é um espetáculo a parte
A estação de trem de Marrakesh é um espetáculo a parte

Bom, isso não tem jeito, a cidade borbulha de turistas, e algumas atrações são extremamente lotadas. Um exemplo são os Jardins Majorelle, antiga residência de Yves Saint Laurent, o lugar é lindo, mas fiquei duas horas na fila e lá dentro era impossível achar um espaço tranquilo. Quer ir ? Levante cedo e chegue lá as 8 e garanta algumas horas de sossego.

Os famosos Jardins de Majorelle
Os famosos Jardins de Majorelle

Quantos dias para conhecer Marrakesh

Alguns roteiros de viagem deixam um dia para cidade, o que acho uma pena. Para mim Marrakesh merece dois dias completos, lembre-se que dias completos excluem aqueles que chegamos ou vamos embora.

Além das inúmeras atrações é preciso sentir a alma da cidade. Se puder ficar mais, com certeza vai curtir a cidade com calma, tomando um café e relaxando nos jardins escondidos da cidade.

Momentos de tranquilidade nos jardins de Marrakesh
Momentos de tranquilidade nos jardins de Marrakesh

O que mais fazer no Marrocos

Eu fiz um roteiro bem completo no país, confira aqui, porém se você não tiver muito tempo sugiro Marrakesh, a região de Merzouga no Deserto do Saara e Chefchaouen, a cidade azul do Marrocos.

Alugar um carro por lá pode ser uma boa, as estradas são bem sinalizadas e seguras. Isso te dará flexibilidade, neste artigo falo sobre como se deslocar por lá.

E aí, se animou a conhecer o Marrocos ?

Continuar lendo “Medina de Marrakesh: onde ficar, quando ir, riads, preços e atrações”

Compartilhar:

Mesquita Hassan II: O impressionante templo em um roteiro de um dia por Casablanca

A grande cidade marroquina e sua incrível Mesquita Hassan II

Quando pesquisamos os preços de passagem do Brasil para o Marrocos, as melhores tarifas aparecem para a cidade de Casablanca, porém quando pesquisamos sobre a mesma vemos vários pessoas falando que foi “meio sem graça”.

Se você tem uma escala em Casablanca ou seu ticket é pra lá, mas você já está pensando em correr para Marraquexe ou Fez este post é pra você.

Casablanca é a maior cidade marroquina.
Casablanca é a maior cidade marroquina.

Chegando e saindo

Casablanca é servida pelo sistema férreo marroquino, que pelas experiências que tive é realmente bom. O trem não atende todas as cidades do Marrocos, porém liga algumas das mais turísticas como Fez, Marraquexe, Tangier, Rabat e Casablanca.

O aeroporto de Casablanca é ligado ao trem e em menos de 40min se chega à estação CasaVoyagers, já na região central de Casablanca.

A estação de trem CasaVoyageur
A estação de trem CasaVoyageur

Sugestão de roteiro para um dia ou algumas horas

Caso seu voo chegue em Casablanca aconselho a reservar um hotel perto da estação CasaVoyagers, tem vários ali por perto da estação, desta forma será fácil sair e chegar na cidade.

Percebi no Marrocos que as corridas de taxi, pelo menos nos lugares turísticos, não passam de 20 MAD. Não achei que os motoristas de taxi no Marrocos tentam enganar os turistas sempre, mas truques como não ter troco ou cobrar a mais sempre acontecem. Como hoje em dia é fácil consultar os trajetos pelo Google Maps, você pode conferir se o motorista está tentando te enganar ou não, na dúvida peça para o mesmo ligar o taxímetro. Para um trecho de 5km nunca paguei mais de 20 MAD.

Muitos taxis no Marrocos fazem um serviço compartilhado, ou seja, você está dentro do carro e logo entra mais alguém, não se assuste. De uma maneira geral o Marrocos é seguro.

A grande cereja do bolo é a Mesquisa Hassan II, e posso dizer que sua arquitetura é incrível, tudo bem que não estive em Abu Dhabi ou Dubai mas fiquei impressionado com a grandiosidade da mesma.

Um diferencial desta Mesquita é que a mesma foi construída a beira mar, então é bonito ver o templo e o Atlântico compondo o visual.

Mesquita Hassan II
Mesquita Hassan II

Algumas informações sobre a mesquita:

  • Possui o mais alto minarete do mundo, com 200m de altura
  • Lasers emitidos do alto do minarete podem ser vistos a Km de distância
  • É uma das poucas mesquitas do mundo que aceitam a visita de não muçulmanos
  • Comporta 100.000 pessoas
  • Foi projetada para suportar abalos sísmicos
A grandiosidade da Mesquita Hassan II
A grandiosidade da Mesquita Hassan II

Por estas informações fica fácil entender porque conhecer a mesma é imperdível. Existe uma visita guiada, que ao meu ver é incrível, já que é a única forma de conhecer o interior desta magnífica Mesquita. O valor da visita, para os padrões marroquinos, é um pouco salgado: 120 MAD mas posso dizer que vale muito a pena, a única crítica é que a visita é super rápida.

No interior da Mesquita muitos detalhes chamam a atenção, como os trabalhos em mármore, madeira, portas com acabamento em titânio, o enorme teto que se abre durante cerimônias importantes do calendário muçulmano (claro que não vi o espetáculo) e o piso que tem um sistema de aquecimento.

Fiquei muito impressionado com a grandiosidade das portas, dos arcos e no interior da mesquita tive o mesmo impacto quando visitei a Sala dos Espelhos em Versailles.

A grandiosidade do interior da Mesquita Hassan II
A grandiosidade do interior da Mesquita Hassan II

Se você tiver um pouco mais de tempo, depois da mesquita aconselho a relaxar nos cafés da Medina de Habous. Caso esteja começando sua viagem ao Marrocos vai entender que medina é aquela parte antiga da cidade, geralmente murada com ruas labirínticas e lojas vendendo toda sorte de produtos. Em Habous é um pouco diferente, pois é uma medina super tranquila. A mesma foi construída pelos franceses para trazer de volta a tradição marroquina.

A tranquilidade e o charme de Habous
A tranquilidade e o charme de Habous

Se você decidir ir até Habous após a Mesquita, lembre-se novamente que a corrida de taxi não pode passar de 20 MAD. Na frente da mesquita, como existem muitos turistas, eles costumam cobrar até 100 MAD, eu tava desinformado e paguei 50 MAD.

Habous não é aquela medina tumultuada, cheio de gente te oferendo souvenir, é super tranquilo, aproveite para provar as patisseries e ver o tempo passar.

Tradicional patisserie em Habous
Tradicional patisserie em Habous

Ainda sobrou algum tempo ? Que tal terminar a tarde na Praça Mohammed V ?

Adorei este lugar, as ruas estavam cheias e sentia aquele clima de vida no ar sabe ? Vi muitas famílias passeando, jovens se divertindo e aquela ideia de festa. Gosto de cidades assim, movimentadas, onde se vê gente e em Casablanca, por ser menos turística você vai ver o dia a dia de um marroquino numa metrópole. Está certo que vai ser quase impossível sentar num bar e tomar uma cervejinha, mas com certeza a hospitalidade e o delicioso chá de menta farão as vezes com honra.

A movimentada Praça Mohammed V
A movimentada Praça Mohammed V

E aí, curtiram as dicas ?

Continuar lendo “Mesquita Hassan II: O impressionante templo em um roteiro de um dia por Casablanca”

Compartilhar: