Primeira viagem internacional ? Confira 5 dicas para evitar uma roubada

Confira 5 dicas para evitar roubadas na sua primeira viagem internacional

Cada artigo que escrevo neste blog tem uma pegada muito pessoal, já que compartilho situações que realmente aconteceram comigo.

Espero que você, ao ler, evite cair na mesma roubada que eu.

Uma mancada na sua primeira viagem internacional pode arruinar tudo, depende da sua predisposição a problemas, em outras situações a mancada gera uma baita dor de cabeça, o que pode custar dias da sua tão sonhada viagem.

O cansaço da viagem pode fazer a gente ficar desatento. Primeira viagem internacional
O cansaço da viagem pode fazer a gente ficar desatento

Vem comigo que vou contar algumas experiências que tive

1 – Entrar em qualquer táxi no aeroporto

Estava eu todo feliz desembarcando em Lima no Peru, apesar de ser um país vizinho achei a viagem um tanto cansativa.

Chegando lá queria muito ir para o hotel, descansar e curtir a cidade. Fui até o banheiro para dar uma lavada no rosto quando um cara me abordou oferecendo serviços de táxi. Comecei a negociar com o rapaz e chegamos num preço que achei legal, mais barato do que havia pesquisado. O senhor gentilmente carregou minhas bagagens até o estacionamento e quando vi o carro confesso que fiquei um pouco receoso, pois o mesmo só tinha os dois bancos da frente e a parte de trás estava toda bagunçada. Cansado da viagem, apenas entrei no carro e pouco depois do cara ligar o motor um policial aparece à distância. Neste momento ele me diz: se ele te perguntar alguma coisa diga que sou teu amigo e que vim te buscar no aeroporto. Peraí !! Estava desatento, mas aí seria assinar um atestado de burrice fazendo o que ele estava falando, afinal mentir para que se ele era um taxista?

A ansiedade de chegar num lugar novo pode deixar a gente meio desatento, mas é muito legal chegar num lugar novo.
A ansiedade de chegar num lugar novo pode deixar a gente meio desatento.

Pois é, o policial chegou e fez exatamente o que o motorista tinha dito, ou seja, me perguntou se eu conhecia o cara, disse que não, que ele tinha me abordado no aeroporto. Foi então que o policial me convidou a sair e disse que ele iria me colocar num táxi seguro, porque provavelmente eu seria assaltado. Não sei o que aconteceu com o cara, pois estava tão passado que só queria sair dali.

Confesso que não fiquei tenso, pois a ficha não tinha caído, somente horas depois percebi o risco que corri. Não era minha primeira viagem internacional, mas mesmo assim dei esta baita mancada.

Sendo assim não esperem chegar no aeroporto para saber como ir para o hotel. Pesquisem antes. Está na dúvida sobre o táxi ? Pergunte nos guichês dentro do aeroporto, sei que hoje em dia o Uber ajuda muito, mas infelizmente este serviço não está disponível em todas as cidades. Se puder ir de transporte público melhor ainda, mas isso também não existe em todos os aeroportos.

2 – Andar sem o passaporte ou cópia do mesmo

Estava na Cidade do Panamá e queria curtir a noite. Andando pelas ruas, em frente a um bar, sou abordado por um policial que pede meus documentos. Como tinha decidido sair para curtir e tomar umas tinha deixado meu passaporte no hotel. O policial me disse que teria que me levar para à delegacia.

Muito calmamente, não sei como, comecei a argumentar claramente com o policial, dizendo que eles poderiam ir comigo até meu hotel para que pudesse mostrar o passaporte, porém o mesmo se negava. Ao mesmo tempo que ele se negava, não fazia nada, ficava falando no rádio com outro policial. Senti um clima estranho e não entendia direito.

A paradisíaca San Blás no Panamá
A paradisíaca San Blás no Panamá

Neste momento percebi que ele não poderia me prender ou fazer alguma coisa, bastava ter paciência e esperar que algo acontecesse, até que o mesmo disse que eu teria que pagar uma multa de 20 dólares. Fazer o que ? Paguei….

Desta forma aconselho a sempre andar com o passaporte ou cópia do mesmo. Observem que muitos países exigem o documento original e para ser sincero não existe um consenso sobre isso. Meu conselho é que, ao menos, tenha uma cópia do mesmo em mãos.

3 – Entrar em um país sem a passagem de retorno

Vivendo por um tempo em Cape Town na África do Sul, resolvi fazer uma viagem para o Marrocos. Na volta, mesmo possuindo o visto de turista quase não consegui entrar no país, tudo isso porque eles pediram meu ticket de retorno ao Brasil. Eu tinha este ticket, mas não impresso. Cansado da viagem não conseguia achar no meu celular. Neste momento a atendente me pressionava dizendo que cancelaria meu visto e me deportaria ali mesmo, até que achei o ticket e deu tudo certo.

Qual viajante não curte um aeroporto ?
Qual viajante não curte um aeroporto ?

Duas dicas: primeiro, tenha a passagem de volta, segunda, tenha isso em papel, não confie somente nos meios digitais, você pode ficar sem bateria por exemplo.

4 – Comprovante de pagamento de transporte público

Na minha primeira viagem internacional durante um mochilão em 2004 tive um problema sério com isso em Paris, após entrar no metrô e validar meu ticket joguei o papelzinho fora. Dois minutos depois um policial pediu o comprovante de que eu “não teria pulado a catraca” e eu disse que tinha jogado fora, foi então que me senti um perseguido internacional: outros dois policiais apareceram, me cercaram e inclusive impediram que meu amigo falasse comigo, neste momento eles disseram que poderiam me liberar se pagasse uma multa de 20 euros. Assim o fiz.

Sempre invejo os metrôs mundo afora.
Sempre invejo os metrôs mundo afora.

Dicas: Em muitos lugares não se pede o ticket para entrar em ônibus/trens/metrô, mas não tente dar uma de espertinho, pois muitas vezes, no meio da viagem alguém vem conferir, não foi o meu caso em Paris, pois realmente tinha pago, porém não tinha o comprovante. Guardem tudo.

5 – Deixar documentos importantes dentro da mochila

Bom, esta mancada não foi minha, mas vou fazer aqui “mea-culpa”. Estava em Granada na Espanha e em um dos dias meu amigo e eu resolvemos conhecer Sierra Nevada. Deixei o Eurail Pass, aquele passe de vários dias para circular de trem pela Europa, com meu amigo e ele colocou na mochila.

Bem que o Brasil poderia voltar a investir em trens como solução para o transporte coletivo né ?
Bem que o Brasil poderia voltar a investir em trens como solução para o transporte coletivo né ?

No ônibus, ele deixou a mochila naquele bagageiro que fica sobre os bancos e quando chegamos no destino cadê a mochila ? Tínhamos sido furtados enquanto cochilávamos durante a viagem. Minha perda foi financeira, pois tive que pagar tudo de novo, mas meu amigo perdeu documentos importantes, com sorte o passaporte dele não estava lá.

Sendo assim: documentos importantes devem ficar no cofre do hotel, trancado na mala ou sempre junto ao corpo, nunca numa mochila que pode facilmente ser roubada.

Espero que meus relatos sejam úteis para você que está planejando sua primeira viagem internacional.  Lembre-se sempre que o viajante está numa condição vulnerável, seja pelo idioma, seja pela cultura. Todo cuidado é pouco.

Já foi para fora do Brasil ou está planejando sua primeira viagem internacional ? Compartilhe suas experiências com a gente!!

Continuar lendo “Primeira viagem internacional ? Confira 5 dicas para evitar uma roubada”

Compartilhar:

Como montar um roteiro de viagem: veja as dicas e conheça seu perfil viajante

Praia ou montanha ? Cultura ou diversão ? Como montar um roteiro de viagem ?

Nesta minha vida de blogueiro de viagens muitos amigos vêm me perguntar dicas sobre como montar um roteiro de viagem para os diversos fins: lua de mel, férias ou feriados.

A primeira pergunta que faço, se não conheço bem a pessoa é: O que você gosta de fazer ? Muitas vezes meus amigos que não são muito chegados à programas culturais planejam 20 dias na Europa passando por Londres, Paris ou Roma por exemplo.

Londres é a cidade da diversidade cultural. Veja as dicas abaixo sobre como montar um roteiro de viagem
Londres é a cidade da diversidade cultural. Veja as dicas abaixo sobre como montar um roteiro de viagem

A maioria das atrações na Europa remetem à História, o Velho Continente, responsável por boa parte das colonizações no mundo todo é rico em Cidades medievais, grandes museus e igrejas. Estes lugares fazem parte de quaisquer roteiros de viagem na Europa.

Muitas vezes percebo que as pessoas viajam porque simplesmente um amigo foi ou porque viram alguma matéria e esquecem de ver o que farão por lá. Lembro-me da mãe de um grande amigo que dizia que a melhor parte do Louvre foi uma plaquinha escrito “Exit”.

Mesmo que você não seja muito chegado em museus o Louvre é imperdível
Mesmo que você não seja muito chegado em museus o Louvre é imperdível

Existem pessoas que tem a necessidade de conhecer e descobrir lugares, mesmo que estes não sejam de sua preferência, eu sou assim. Não entendo nada de Rugby e nem aprecio o esporte, mas quando estava na África do Sul fui ao estádio assistir a uma partida, afinal este é um dos esportes preferidos do país.

Não conhecia nenhuma regra, mas sempre é bom ter experiências novas.
Não conhecia nenhuma regra, mas sempre é bom ter experiências novas.

Sempre que meus amigos perguntam sobre dicas de roteiros uso a seguinte estratégia para ajudá-los: Divido os tipos de turismo basicamente em cinco:

Campos e montanhas

Praias

Compras

Noite e Diversão

Cultural

Logicamente esta é uma divisão primária, já que hoje existe turismo espiritual, gastronômico e de negócios por exemplo. Porém estas 5 classificações nos auxiliam a escolher um roteiro com a nossa cara.

A Europa é incrível, mas um roteiro essencialmente cultural pode ser chato
A Europa é incrível, mas um roteiro essencialmente cultural pode ser chato

Aliás, independente de roteiro, se estou viajando por mais de 10 dias, coloco alguma cidade somente para “existir” como diz uma amiga minha. Geralmente aquela cidade onde você acorda tarde, dá uma volta sem preocupações de conhecer e tirar fotos, para num café e somente curte sem pressa e obrigações.

O dia em que somente "existi" em Liubliana, capital da Eslovênia
O dia em que somente “existi” em Liubliana, capital da Eslovênia

Tipos de roteiros

Roteiros de campos e montanhas: Você adora Campos do Jordão ou Monte Verde ? Isso é um bom indício para você planejar uma viagem para a Patagônia por exemplo. Outro ponto importante é se você gosta de trilhas, onde você deverá procurar um local que te proporcione contato com a natureza.

A Patagônia é um show da natureza
A Patagônia é um show da natureza

Não tem tanta certeza se é esta a sua ? Roteiros como Santiago do Chile te mostrará a linda Cordilheira dos Andes, mas se enjoar você terá atividades culturais na capital chilena.

Santiago tem atrações para todos os gostos
Santiago tem atrações para todos os gostos

Roteiros de praia: Bom, nem é tão difícil lembrar de roteiros assim, o Brasil mesmo está repleto de lugares onde o objetivo principal é a praia. um exemplo disso é o Nordeste.

Pipa é um dos meus lugares preferidos no Nordeste
Pipa é um dos meus lugares preferidos no Nordeste

Se você não gosta tanto de praia no Brasil, por que você iria gastar dinheiro com uma temporada num lugar essencialmente de praia no exterior ? Que tal por exemplo ir para Cancun onde tem praia mas você pode conhecer Chitzen Itzá por exemplo ?

A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história
A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história

Roteiro de compras: muita gente viaja para comprar, a meca do consumo é Miami e região com seus imensos outlets, mas será que não vale a pena estender para uma viagem de carro pela Flórida ou conhecer Key West ?

Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.
Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.

Roteiro de noite e diversão: tem uma galera que viaja pensando nos programas noturnos, pessoas assim tem horror a pequenas cidades onde depois das 19 não tem nada a fazer. Las Vegas, Nova York e Berlin são cidades onde a vida noturna “pega fogo”.

Berlin tem uma vida noturna bastante interessante
Berlin tem uma vida noturna bastante interessante

Se você gosta de baladas e bares, deve procurar as grandes metrópoles, onde as opções de entretenimento existem aos montes. Gosta de by night mas também quer fazer algo durante o dia ? Que tal Madrid com suas infinitas opções de passeios e day trips ?

Roteiros culturais: este são aqueles tipos de roteiros de viagem que compreendem visitas à museus, igrejas, cidades antigas e exposições. Mesmo gostando muito de roteiros culturais eu procuro conhecer um museu a cada dois dias. Isso porque este é um tipo de programa que nossos olhos se cansam e a gente não retém a informação depois de algum tempo.

Outra técnica que uso é ver como está o dia: se acordo e está ensolarado aproveito para fazer a programação ao ar livre, caso contrário vou conhecer algum museu ou alguma outra atividade em lugares fechados.

Conhecer as Mesquitas de Istambul é um programa imperdível na Turquia
Conhecer as Mesquitas de Istambul é um programa imperdível na Turquia

Como viajo

De forma geral, para definir roteiros de viagem, pontue os itens acima de 1 a 5.  Assim você já consegue a ter uma ideia de como planejar suas próximas férias.

Eu gosto muito de programas culturais, mas também curto contato com a natureza. Minha pontuação seria deste jeito:

Cultural 5

Campos e Montanhas 4

Praias 3

Noite e diversão 2

Compras 1

Esta é uma dica sobre como montar um roteiro de viagem. Usei esta técnica quando fiz uma viagem para Alemanha, Noruega e Polônia, ou seja, encontrei bastante atração cultural na Alemanha e Polônia e muita natureza na Noruega. Voltei para casa feliz.

O importante é saber o que mais gosta. Escrevi este artigo para você que planeja uma viagem internacional e quer aproveitar bem o seu dinheiro, não perdendo tempo em roteiros cansativos e chatos.

Este artigo fez sentido para você ? Que tipo de turista você é ? Te ajudou a descobrir como montar um roteiro de viagem ?

Boa viagem sempre!!

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Como montar um roteiro de viagem: veja as dicas e conheça seu perfil viajante”

Compartilhar:

Como planejar uma viagem: valores, dicas, deslocamentos e quantos dias ficar

Elaborar um itinerário dia a dia pode ser uma tarefa fácil para quem sabe como planejar uma viagem, mas pode ser difícil para quem quer “somente ir

As preocupações são muitas: voos, hotéis, passeios e deslocamentos, mas como decidir quantos dias ficar em cada local ? Observe que usei a palavra local e não cidade, afinal, no meio da sua viagem você pode ficar hospedado num acampamento num deserto ou no meio de uma floresta.

Como planejar uma viagem para o deserto ? Com internet se descobre tudo!!
Como planejar uma viagem para o deserto ? Com internet se descobre tudo!!

Qual a minha estratégia ?

Bom, depois de determinar um roteiro (assunto para outro artigo) é necessário definir quantos dias ou quantas horas ficaremos num determinado local.

Criei uma classificação que me ajuda como planejar uma viagem:

Day trip: aquele dia que você acorda numa cidade, viaja algumas horas, conhece outro lugar ou cidade e volta para dormir no mesmo lugar. Geralmente o day trip parte de uma “Estadia longa”.

Exemplo: day trip de Florença a Piza

Como planejar uma viagem sem Internet ? Eu fiz isso e posso dizer que os muitos aplicativos ajudam muito hoje em dia
Como planejar uma viagem sem Internet ? Eu fiz isso e posso dizer que os muitos aplicativos ajudam muito hoje em dia

Estadia curta: considero de 1 a 2 noites

Exemplo: Cartagena de Índias na Colômbia

 

O colorido das ruas de Cartagena
O colorido das ruas de Cartagena

Estadia longa: mais que 2 noites

Exemplo: Londres

Cansou da austeridade real de Londres, vá para a descolada Candem Town.
Cansou da austeridade real de Londres ? Vá para a descolada Candem Town.

Sendo assim, para cada local que decidi visitar, começo montando o roteiro classificando nas três formas acima.

Parece simples, mas não é, quais os critérios que podemos utilizar montando um roteiro para ficar 2 ou 3 noites em algum lugar ? Abaixo, apresento o que considero importante para tomar a decisão e responder a pergunta sobre como planejar uma viagem.

Pontos de interesse

Algumas cidades precisam de tempo para serem descobertas e às vezes precisamos praticar o desapego, ou seja, deixar coisas para uma próxima viagem.

Independente de gosto, alguns locais são óbvios quanto à longa estadia, posso citar o Rio de Janeiro por exemplo. Vocês acham que somente duas noites seriam necessárias para conhecer a Cidade Maravilhosa ? Não, de forma alguma. Somente um passeio ao Corcovado pode tomar uma manhã inteira, pois envolve logística, ou seja, como chegar até lá e as filas.

Aí você conhece o Jardim Botânico e acha lindo, aí você descobre o Parque Lage (ao lado).
Aí você conhece o Jardim Botânico e acha lindo, aí você descobre o Parque Lage (ao lado).

Outros exemplos clássicos são Paris e Londres, está certo que você pode dizer que não curte História, sendo assim, 2 noites seriam suficientes. Ledo engano!! Paris e Londres são repletas de atrações que vão além de circuitos históricos como praças, restaurantes e entretenimento.

Existe muita Paris além da Torre Eiffel, que tal conhecer o Museu Rodin ?
Existe muita Paris além da Torre Eiffel, que tal conhecer o Museu Rodin ?

Na minha opinião estas duas cidades são protagonistas de uma trip, eu não as colocaria na mesma viagem, com o risco de uma ofuscar a outra. É indiscutível que ambas possuem atrações para no mínimo três noites, viajantes mais apaixonados diriam que um mês não é o suficiente para Paris, e não é mesmo.

Viajo ao Rio de Janeiro por mais de 30 anos e toda vez descubro um lugar diferente, obviamente, enquanto turistas, não precisamos nos cobrar tanto com Paris, Londres ou Roma, já que não somos locais, lembra do desapego ?

Sabe aquele amigo super viajante, que ao contar pra ele que você foi a Fortaleza logo dispara o nome de um local que você nunca ouviu falar ? Aquele amigo que tem a necessidade de mostrar que descobriu o desconhecido ? Pois é, desencane, faça seu roteiro e seja feliz com ele.

E aquela cidade no meio da Bósnia que ninguém falava nada e você achou incrível
Poçitelj é uma pequena cidade na Bósnia que ninguém falava nada e achei incrível

Distância

Gente, desculpem-me, mas um lugar que exija mais de três horas de deslocamento não pode ser day trip pra mim. É preciso fazer as contas e ver se não vale a pena dormir por lá, é muito interessante ver o anoitecer e o amanhecer num lugar novo, sendo assim o tempo de deslocamento pode ser outro fator para eliminar a “day trip” ou considerar uma noite por lá.

Aquele dia que você tem que pegar o trem, acorda atrasado e come qualquer coisa no café da manhã
Aquele dia que você tem que pegar o trem, acorda atrasado e come qualquer coisa no café da manhã

Interesses pessoais

Este é o critério que deve ser colocado em primeiro lugar, se no meu destino tem algo que me chama muita a atenção devo desconsiderar os outros fatores e ficar por lá o tempo que achar interessante. Milão é o paraíso para arquitetos, Mendoza para os amantes de vinho e a Alemanha para amantes de automóveis são bons exemplos.

Gosta de vinhos ? se joga nas vinícolas de Mendoza
Gosta de vinhos ? Se joga nas vinícolas de Mendoza.

Custos

Ficar mais tempo em um local pode significar economia, primeiro por evitar os deslocamentos e segundo porque conhecemos mais das cidades e achamos aquele restaurante gostoso com preço legal. Em uma estadia curta, acabamos caindo nas armadilhas turísticas, não tem jeito. Tudo isso sem contar que muitas cidades tem cartões para 3,  4 ou 7 dias com desconto em atrações e transporte público e você só vai usar isso se “viver” por lá um tempo.

Depois de alguns dias em Londres, ficou fácil me virar nos metrôs da cidade.
Depois de alguns dias em Londres ficou fácil me virar nos metrôs da cidade.

Disposição

Vai viajar em família ? A logística para roteiros pinga-pinga para  muita gente é complicada, não tem jeito, cada mudança de hotel significa: check-out, check-in e deslocamento para rodoviária/estação de trem/aeroporto. Se todos estiverem na mesma “vibe” pode ser fácil, mas imagine aquele amigo tranquilão junto com o super entusiasmado, vai ser difícil conciliar a velocidade da troca de lugares.

Talvez um cruzeiro seja uma opção legal para grandes grupos
Talvez um cruzeiro seja uma opção legal para grandes grupos

Pit stop

Uma cidade charmosa no meio de um deslocamento de 5 horas entre dois pontos importantes pode ser o destino ideal para uma estadia curta. É como se estivéssemos viajando de São Paulo a Florianópolis e resolvêssemos parar em Curitiba para uma noite, não que a cidade não mereça uma estadia longa (merece e muito) mas neste caso vamos supor que, montando um roteiro, seu destino final seja Floripa.

Paraty é um excelente pit stop entre São Paulo e Rio de Janeiro pelo litoral.
Paraty é um excelente pit stop entre São Paulo e Rio de Janeiro pelo litoral.

Tempo total da viagem

Suponha que você tem uma viagem de 30 dias pela Europa, você pode falar que sim, mas é difícil manter a animação em todos o período, o cansaço pode comprometer os destinos e a gente pode sofrer da “síndrome dos olhos cansados“.

Eu que inventei este termo numa viagem que fiz por 30 pela Europa. Quando vi  o primeiro castelo fiquei super entusiasmado, no segundo achei lindo, no terceiro achei legal, no quarto achei ok e no quinto não aguentava mais.

Na minha matemática sobre como planejar uma viagem, após uma semana de viagem preciso de um break, como férias das viagens. Escolho uma praia ou uma grande cidade e não faço nada turístico: acordo tarde, tomo um longo café da manhã, saio para passear e sento em um banco qualquer e apenas vejo o movimento. Por que decido por praia ou cidade grande ? Fácil, na praia posso ficar numa cadeira confortável tomando uns bons drinques e dando um mergulho ou outro, numa cidade grande tem sempre muita coisa para se distrair, como cair na noite.

Obviamente esta parada não passa de uma dia e meio, no máximo dois dias, onde organizo os próximos lugares, rearrumo as malas e faço contabilidade (sim, é necessário saber a situação bancária)

Depois de dias pelo Oriente Médio escolhi Telaviv para curtir uns dias de praia.
Depois de dias pelo Oriente Médio escolhi Telaviv para curtir uns dias de praia.

Esta parada pode sim ser nas cidades classificadas como longa estadia, ou podemos forçar o roteiro para uma longa estadia. É aquele dia onde você faz o que faria se estivesse de folga na sua cidade.

Resumindo, quanto mais longa a viagem menos cidades de curta-estadia ou day trips.

Deslocamento caro

Suponha que você está em Madrid mas sonha conhecer São Petesburgo na Rússia, o custo desde sonho pode ser alto e obviamente não vale a pena ir para São Petesburgo , ficar um dia e voltar, se tiver tempo vale a pena ficar mais, caso contrário deixe este destino quando for para “aqueles lados”, afinal o mundo não vai acabar hoje (acho que não).

Estas são as estratégias que uso para definir o tempo que ficarei em cada local, as mesmas são baseadas nas minhas experiências: erros e acertos. Posso citar dois erros: destinei dois dias para a Cidade do México e percebi que a cidade é tão rica em cultura, que fui embora com gostinho de quero mais, outro erro foi ter ido para Bruges na Bélgica partindo de Amsterdam de carro, a viagem foi longa, cansativa e erramos o caminho, valeu a pena ? Sim, Bruges é linda!! Mas não é o melhor day trip desde Amsterdam, cabe mais para quem está por Bruxelas por exemplo.

A linda cidade de Bruges na Bélgica numa cansativa viagem de day trip desde Amsterdam.
A linda cidade de Bruges na Bélgica numa cansativa viagem de day trip desde Amsterdam.

E você, já teve alguma experiência parecida ? Gostou das dicas sobre como planejar uma viagem ?

Continuar lendo “Como planejar uma viagem: valores, dicas, deslocamentos e quantos dias ficar”

Compartilhar: