Check List Viagem Internacional: o que é imprescindível fazer antes de sair do país

Quando saímos do nosso país precisamos tomar todos os cuidados, afinal estaremos em “território estranho”, porém fazer um Check List Viagem Internacional é a melhor maneira de não esquecer nada.

Dicas para um Check List Viagem Internacional
Dicas para um Check List Viagem Internacional

Links importantes:

Relação dos países que precisam de visto. Clique Aqui
Dúvidas sobre o Certificado Internacional de Vacinação. Clique Aqui

Destaco algumas dicas sobre o que é imprescindível.

Algumas são óbvias, mas é sempre bom relembrar. Outras são dicas que descobri ao longo de minhas experiências, vamos lá ?

Passaporte: nosso “erregê” fora do país, sem ele não somos ninguém. Antes de marcar o voo é preciso solicitar o passaporte caso não o tenha ou conferir a data de validade, se já tem o documento.

Os passaportes são emitidos com 10 anos de validade, porém mesmo que seu passaporte esteja válido é preciso checar, pois alguns países exigem um período mínimo antes do vencimento para entrada no país.

Países como a África do Sul pedem mais um mês da data de retorno. É bom ficar atento.

Mesmo que você vá para países onde o passaporte não é necessário, pense em usá-lo sim, desta forma seu documento ganha carimbos e ele passa a ser visto com mais propriedade.

Além disso o passaporte é um documento irrefutável, já se RG não estiver atualizado este documento pode não ser aceito.

O Passaporte é nossa identidade fora do país
O Passaporte é nossa identidade fora do país

Carteira de Vacinação Internacional: mesmo que você não vá viajar para países que a solicitam é importante emitir este documento. A vacinação da febre amarela é para toda a vida, sendo assim tome a vacina, emita o documento e fique tranquilo.

Algumas cidades só emitem o documento se você tiver uma viagem marcada ao exterior.

Certificado Internacional de Vacinação e Profilxia. Crédito: anvisa.portal.gov.br
Certificado Internacional de Vacinação e Profilxia. Crédito: anvisa.portal.gov.br

Ainda ficou com dúvidas ? Confira o site da Anvisa.

Cartões de Crédito e Débito: comunique que você vai viajar para fora do país para que seus cartões sejam habilitados no exterior, também não se esqueçam de verificar se seu cartão de débito pode ser usado em outros países.

Habilitar os cartões de crédito e débito para uso no exterior
Habilitar os cartões de crédito e débito para uso no exterior

Reservas de hotéis, carros, vouchers: hoje em dia podemos manter tudo em meio digital, mas nunca confie num só, além de ter estes documentos no seu smartphone, envie os mesmos para si mesmo por e-mail. Pessoas mais precavidas imprimem tudo, o que não é uma má ideia, já que a bateria do celular acaba.

Itens que não podem faltar no Check List Viagem Internacional
Itens que não podem faltar no Check List Viagem Internacional

Dinheiro: pesquise na internet qual moeda vale a pena levar. Dólar e euros são sempre os mais pedidos, porém em alguns países vale a pena levar reais e trocar pela moeda local.  Quanto menos câmbio, menos dinheiro a gente gasta com taxas.

Lembre-se, sempre tenha mais que uma opção: Dinheiro e cartão, travel check e dinheiro e por aí vai.

Sempre é bom ter mais de uma forma de pagamento
Sempre é bom ter mais de uma forma de pagamento

Memória no smartphone: se você gosta de fotos, verifique quando espaço tem antes de viajar. Também não esqueçam de ver se o aplicativo de backup, como o Google Photos está configurado corretamente.

Preparar o smarphone é um item imprescindível num Check List Viagem internacional
Preparar o smarphone é um item imprescindível num Check List Viagem internacional

Powerbank: precisamos do smartphone para tudo, desde chamar um Uber até procurar por um restaurante, por isso ficar sem bateria é uma dor de cabeça.

Um powerbank pode salvar seu dia
Um powerbank pode salvar seu dia

Chip: você pode sair do Brasil com um chip internacional, mas se quiser pode comprar no destino.

É um conforto a mais e o chip vai te ajudar quando precisar chamar um Uber ou acessar um mapa por exemplo.

Com acesso à internet em qualquer lugar tudo fica mais fácil
Com acesso à internet em qualquer lugar tudo fica mais fácil

Adaptadores de tomada: procure o modelo do país que for viajar, já que não existe um padrão, aí é só comprar o adaptador correto.

Check List Viagem Internacional: não se esqueça dos adaptadores
Check List Viagem Internacional: não se esqueça dos adaptadores

Estoque de remédios: se toma algum medicamento todos os dias leve o suficiente para a viagem.

Também é legal levar a receita e um carta do médico em inglês explicando que você precisa daquele medicamento.

Além desses, leve aqueles básicos que você usa comumente, como analgésicos e antitérmicos.

Não se esqueça de levar uma "farmacinha"
Não se esqueça de levar uma “farmacinha”

Contatos com familiares: caso faça uma viagem com roteiro aberto, avise sempre o hotel ou local que você está, e caso seja com roteiro já montado, deixe uma cópia com seus familiares. Isso pode ser imprescindível em caso de emergências.

Hoje em dia tem Internet em todo lugar, por isso não deixe ninguém preocupado
Hoje em dia tem Internet em todo lugar, por isso não deixe ninguém preocupado

Seguro saúde: viajar sem seguro saúde é a pior besteira que você pode fazer. Este seguro vai te dar conforto, segurança e tranquilidade em eventuais problemas. Alguns cartões de crédito oferecem de graça caso a passagem tenha sido comprada no mesmo. Informe-se.

Nunca viaje sem seguro de saúde
Nunca viaje sem seguro de saúde

Viagem de carro: caso vá alugar carro para viajar em outro país, baixe os mapas off line, assim você não precisa de Internet para se localizar.

Existe um item controverso, a famosa PID – Permissão Internacional para dirigir. Alguns sites dirão que é imprescindível, outros não e sinceramente não cheguei a um consenso sobre isso.

Já dirigi no Chile, Argentina, Uruguai, Guatemala, México, Holanda, Bélgica, França, Croácia, Bósnia, Eslovênia, Montenegro e África do Sul e nunca me pediram o documento, somente minha habilitação brasileira foi o suficiente. Na dúvida emita e viaje mais tranquilo.

Viajar de carro traz muita liberdade
Viajar de carro traz muita liberdade

Reservas em atrações: lugares badalados no mundo, como o Coliseu em Roma, tem filas gigantes, mas pela internet você pode reservar dia e hora.

Alguns falarão que isso engessa a viagem, outros acharão mais prático, pois não cansamos e não perdemos tempo. Na minha opinião ? Reserve.

Você não vai querer perder parte das suas preciosas férias em filas certo ?
Você não vai querer perder parte das suas preciosas férias em filas certo ?


Visto: apesar de ser um item óbvio é importante verificar se o país precisa de visto de entrada. Dá uma olhada no site do Itamaraty e confira a lista completa de países que precisam do mesmo.

Quer evitar roubadas na sua viagem internacional ? Neste artigo eu relato algumas que aconteceram comigo.

Seu Check list Viagem Internacional já está pronto ?
Voltar ao início. Clique aqui

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Check List Viagem Internacional: o que é imprescindível fazer antes de sair do país”

Compartilhar:

Costumes Muçulmanos. Confira 5 dicas para experiência incrível em países Islâmicos

Costumes Muçulmanos: Primeiro é preciso entender um coisa….

Existe muita confusão quando falamos no Mundo Muçulmano, e boa parte é por falta de conhecimento. Muçulmano é o fiel adepto ao Islamismo, uma das maiores religiões do mundo, o que não pode ser confundido com Mundo Árabe.

O termo Árabe está relacionado a um povo, cultura e idioma, e caso você se interesse mais pelo tema existem muitos artigos na Internet.

Basicamente árabe é um povo originário da Península Arábica, os quais ao longo de anos foram se espalhando por todo o Oriente Médio e África.

Todo Árabe é Muçulmano ? Não, no mundo árabes existem cristãos por exemplo. E todo muçulmano é Árabe ? Também não, países como a Turquia e o Irã são de maioria Muçulmana porém não são árabes. Os Iranianos por exemplo descendem de uma das maiores civilizações da Antiguidade: Os Persas, mas aí é outra história.

A burca faz parte dos costumes muçulmanos
A burca faz parte dos costumes muçulmanos

Por que acho que este post é importante

Tive experiências viajando para países onde o percentual de Muçulmanos era expressivo, sendo eles: Jordânia, Israel, Palestina, Turquia, Marrocos e…. Bósnia, para quem não sabe, este último,  foi um enclave do Império Otomano no meio da Europa, e por isso tem uma população Muçulmana grande.

A incrível Petra na Jordânia
A incrível Petra na Jordânia

Posso dizer que “dei vários foras”, tipo aquelas mancadas, por isso decidi escrever este artigo.

Está planejando ir para algum país de maioria Muçulmana ? Dá uma olhada nestas dicas sobre costumes Muçulmanos:

1 – Roupas

Sempre que viajo procuro roupas que não “gritem” que sou turista, porém muitas vezes é impossível. Em Amman, na Jordânia, fazia um calor danado e eu andava de bermuda todos os dias.

Era raríssimo ver outros homens vestidos como eu, geralmente eles sempre usam calças compridas. Não aconteceu nenhum problema, mas eu me sentia estranho, talvez se voltasse optaria por uma calça jeans ao menos.

Por estar usando bermuda tive que por este lenço para ir ao Domo da Rocha em Jerusalém
Por estar usando bermuda tive que por este lenço para ir ao Domo da Rocha em Jerusalém

Para mulheres, em alguns lugares do mundo Muçulmano, é necessário usar um véu e como estes países possuem uma cultura, digamos paternalista, sugiro discrição no vestuário para evitar situações constrangedoras. Na minha viagem ao Marrocos observei muitas meninas sem o véu, usando calças jeans como qualquer outra menina no mundo, mas quando a gente é estranho no ninho é melhor ser mais conservador.

Apesar de obviamente te obrigarem, nunca entre numa mesquita com seu calçado. Naquelas que são abertas à não-Muçulmanos eles distribuem saquinhos para você carregar seu calçado durante a visita. Mas por que ? O Muçulmano, em muitos momentos de suas orações, o faz com o rosto próximo ao chão, ou seja, é uma questão de higiene e respeito acima de tudo.

No interior da Mesquita Hassan II com a sacolinha com meu tênis nas mãos.
No interior da Mesquita Hassan II com a sacolinha com meu tênis nas mãos.

2 – Observações culturais

Bom, escolhi este item imediatamente abaixo daquele que fala sobre roupas. Apoio os movimentos feministas, mas é totalmente desaconselhável levantar questões polêmias nestes países caso conversem com algum local. Julgar a cultura de outros locais com nosso olhar é errado, já que tradições seculares estão envolvidas e não é tão simples assim.

Ativistas do FEMEN (Grupo Feminista Ucraniano) já foram expulsas do Marrocos por conta de suas manifestações. Não cabe aqui o julgamento de certo ou errado, mas sim um alerta para tomarmos cuidado.

Acredito que uma viagem como esta valha como reflexão, ou seja, quando voltarmos para nossa casa podemos avaliar quão grande o mundo é e sim formar uma opinião, a qual deve ser expressa em locais adequados.

A enorme Praça Djema El-Fna é um espetáculo de diversidade cultural em Marrakesh.
A enorme Praça Djema El-Fna é um espetáculo de diversidade cultural em Marrakesh.

3 – Bebendo e comendo

Existem regras claras sobre o que um Muçulmano pode ou não consumir, e temos dois exemplos para resumir o assunto: Carne suína e bebida alcoólica. Quanto à carne suína ficará fácil obedecer porque você não vai encontrar mesmo, mas para bebida alcoólica valem algumas ressalvas.

É bastante difícil encontrar bares com bebidas alcoólicas nestes países, eles até existem, mas funcionam de maneira discreta. Lembro-me de um em Fez no Marrocos, onde a entrada era por uma pequena porta e era impossível ver pelo lado de fora as pessoas lá dentro. Ok, se existe o bar você pode ir, mas será que é tão necessário assim ? Outros lugares onde você pode encontrar drinks é dentro dos próprios hotéis, mas nunca pegue uma latinha de cerveja e saia bebendo pelas ruas da medina, certo ?

O famoso chá de menta marroquino
O famoso chá de menta marroquino

Eu passei por um pequeno constrangimento em Sarajevo na Bósnia. Esquecendo que estava num país onde parte é muçulmana pedi cerveja num restaurante e o garçom ficou meio chateado e disse que ali era uma restaurante para muçulmanos, logo bebida alcoólica não era permitida.

Mesmo na Turquia, um país onde a religião é separada do Estado não vi muita gente consumindo bebida alcoólica, era super interessante ver mesas com muitos homens conversando e tomando uma espécie de iogurte. Provei depois e não curti.

Essa bebida parecia meio moda em Istambul, provei mas achei que tinha gosto azedo.
Essa bebida parecia meio moda em Istambul, provei mas achei que tinha gosto azedo.

No Marrocos existem muitos, mas muitos cafés, onde somente se veem homens, que viram as cadeiras de forma a olhar o movimento da rua e bebendo apenas café e chás.

 

4 – Compras

Aí vai um item importante que faz parte da cultura e costumes muçulmanos: a negociação.

Esta pode ser bem divertida se você levar de boa.

Geralmente cabem ofertas no primeiro preço oferecido. Não consigo dar uma regra, mas eu (eu Diego) geralmente proponho 30% do valor inicial. Por exemplo, estou negociando um jogo de chá que o vendedor falou que custa 200 MAD (dihram) na moeda marroquina, se realmente estiver interessado, ofereço 60 MAD e sigo a negociação até chegar perto da metade. É correto ? É a melhor negociação ? Não sei, mas pelas minhas experiências consegui chegar num valor justo ofertando assim.

Lembre-se que, se você fizer uma oferta e o vendedor aceitar você terá que comprar o produto, ok nada te obriga, mas tenha certeza que o vendedor ficará meio bravo.

Não achei que a Turquia coloque o primeiro preço de forma que caiba muita negociação, Meu conselho é definir uma meta e tentar chegar perto do valor justo.

Negociar faz parte dos Costumes Muçulmanos. O Grand Bazaar em Istambul é talvez o shopping mais antigo do mundo, pois foi aberto em 1461.
Negociar faz parte dos Costumes Muçulmanos. O Grand Bazaar em Istambul é talvez o shopping mais antigo do mundo, pois foi aberto em 1461.

5 – Preconceito

Precisamos entender que o Islamismo é uma religião enorme, a qual abrange várias partes do mundo. Para ter uma ideia da diversidade, 16% da população da Índia é muçulmana, e imagine que eles estão distantes da Tunísia por exemplo.

Muitas questões políticas deste universo são extremamente complexas, sendo assim é bom evitar levantar assuntos sobre as diferenças de sunitas e xiitas, criação do Estado Palestino e terrorismo.

Lembre-se que a mídia quando fala de terrorismo generaliza todo o mundo Muçulmano, o que é completamente errado, pois a maioria é pacífica.

Quando estive em Israel, o guia emitia comentários tendenciosos à favor do país em relação à criação do Estado Palestino, eu apenas observei e guardei para mim, afinal escutar ambos os lados faz com que nossas convicções sejam mais consistentes.

Infelizmente por conflitos políticos a fronteira entre Israel e Líbano é fechada.
Infelizmente por conflitos políticos a fronteira entre Israel e Líbano é fechada.

É isso galera, espero ter colaborado para que conheçam um pouco mais dos costumes muçulmanos.

Posso dizer que todos estes países tem culturas lindas, paisagens incríveis e muita, mas muita história. E quando for, ao voltar você verá que nem tudo é como pintam. Precisamos ver com nossos próprios olhos.

Salam!! (um cumprimento muito comum no Mundo Árabe que basicamente significa Paz)

Ah, ia me esquecendo, a culinária é simplesmente deliciosa, tanto nos pratos como nas sobremesas.

Ok, confesso no meu último dia no Marrocos tomei uma cerveja num bar que ficava dentro de um navio ancorado em Rabat.
Ok, confesso no meu último dia no Marrocos tomei uma cerveja num bar que ficava dentro de um navio ancorado em Rabat.

 

Continuar lendo “Costumes Muçulmanos. Confira 5 dicas para experiência incrível em países Islâmicos”

Compartilhar:

Classificação de hotéis por estrelas: sabia que os hotéis não são mais classificados por estrelas ? Entenda como ficou

Sempre antes de reservar uma hospedagem precisávamos olhar a Classificação de Hotéis por Estrelas. Esta forma de pontuar os hotéis nos ajudavam a entender quais eram as comodidades e benefícios dos mesmos.

Neste artigo você verá:

Como os hotéis são classificados. Clique aqui.
As estrelas dos hotéis caíram”. Entenda o motivo. Clique aqui.
Dica de uma série da Netflix que fala sobre como as classificações podem ser no futuro. Clique aqui
Como escolher um bom hotel pela internet. Clique aqui

Mas vocês já se deram conta que este modelo nunca foi muito confiável ? Tenho certeza que se alguém nos perguntasse as diferenças básicas entre um hotel 3 ou 4 estrelas titubearíamos em responder.

Classificação de hotéis por estrelas: Quantas teria este quarto ?
Classificação de hotéis por estrelas: Quantas teria este quarto ?

E um 5 estrelas ? Tem que ter piscina, sauna e roupa de cama com fios egípcios ? Pois é, tudo isso sempre foi uma grande dúvida.

As estrelas sempre aparecem em uma placa na frente dos hotéis, porém alguma vez já se decepcionaram acreditando que o hotel não correspondia à quantidade de estrelas que dizia ter ?

Expectativa x Realidade: será que é como a foto mostra ?
Expectativa x Realidade: será que é como a foto mostra ?

Pois é, desde 2016 o órgão responsável por atribuir as estrelas aos hotéis parou de fazer isso. Desta forma, se um hotel abriu depois desta data e ostenta uma placa com estrelas não quer dizer que de fato tenha as mesmas.

A adesão dos hotéis sempre foi opcional, mesmo porque diversos tipos de hospedagem fogem ao padrão. Leia meu artigo onde conto um pouco sobre hostels.

A famosa classificação de hotéis por estrelas
A famosa classificação de hotéis por estrelas

Muitas pousadas e hotéis de praia fugiam desta classificação, e de uns anos para cá surgiram os hotéis “boutique”.

Neste tipo de hotel existe uma preocupação maior com o espaço, geralmente são menores e com menos quartos.

Esta condição possibilita que se tenha uma preocupação maior com design e às vezes os quartos são decorados de maneiras diferentes.

O atendimento é outro diferencial  e acontece de forma personalizada,

O hotel boutique se preocupa também em ter um espaço mais dinâmico com exposições de artes e jantares.

Mas voltando ao assunto das estrelas. O SBClass (Sistema Brasileiro de classificação dos meios de hospedagem) não conseguia fiscalizar todos os hotéis e imaginamos mesmo que não é uma tarefa fácil.

A classificação de hotéis por estrelas era um norte para ajudar a encontrar o hotel de acordo com as expectativas dos clientes.

Porém, sabe-se que a Internet mudou tudo. As reservas feitas pelo meio online podem ser decididas através dos comentários dos hóspedes.

O poder na mão das pessoas
O poder na mão das pessoas

Nestes sites, o hóspede classifica o hotel de acordo com alguns parâmetros como: limpeza, conforto, atendimento, etc

Além disso os hóspedes podem escrever sua percepção sobre a hospedagem.

Isso prova que a Internet é um elemento que vem substituindo organizações tradicionais. Se antes quem concedia as estrelas era um órgão hoje um primo que foi a Orlando fará isso. E nada mais justo.

Alguns sites até possibilitam que os hóspedes coloquem suas fotos. Todos sabemos das maravilhas do Photoshop, o qual pode “maquiar” uma foto mostrando algo como não é realmente.

Vocês já constataram alguma vez que a piscina era muito menor que a da foto do hotel ? Divide comigo nos comentários deste post as decepções que vocês já tiveram.

As notas e resenhas pedem que os hotéis monitorem e controlem a qualidade de seus serviços com mais afinco. Em muitos deles, o próprio recepcionista durante o check-out pede que avaliemos o hotel em algum site.

Este órgão, que antes fiscalizava, terá a função de orientar agora, já que a fiscalização ocorre organicamente pela Internet.

Abaixo destaco alguns sites de reservas onde podemos dar nota e fazer resenhas sobre hospedagens:

Booking

Tripadvisor

Decolar

Hoteis.com

Eu já usei todos eles e experimentei um excelente serviço. Todas às vezes a nota equivalia ao que encontrava na hospedagem.

Para isso funcionar é preciso ser colaborativo, ou seja, não adianta querer informações e não fornecer informações. Eu avalio todos os hotéis, pousadas e hostels que vou, pois desta maneira acredito ajudar o próximo hóspede.

Muitos podem se perguntar: e as avaliações falsas, onde a pessoa quer prejudicar a hospedagem ? Pois é, já estão sendo criados mecanismos para evitar isso.

Eu tenho como saber se uma avaliação é falsa ou não e muitas outras dicas sobre como entender as avaliações dos sites acima.

Querem saber ? Caso seja de interesse de mais de 50 pessoas escreverei um guia completinho com todas as dicas para escolher um bom hotel que atenda suas expectativas através das avaliações na Internet.

Basta dar um curtir na minha Fan Page no Facebook e depois compartilhar este post me marcando, basta digitar @viajantecurioso na caixa de texto.

Acredito que cada vez mais sairemos ganhando, já que nós mesmos regularemos os serviços.

É importante observar que outras áreas utilizam o serviço de resenhas, como por exemplo o Uber, quando damos notas ao motoristas. Em alguns sites também é possível comentar sobre produtos.

Será que um dia nós também seremos avaliados pela pontuação que os outros nos atribuem ? Ficções científicas a parte isso já acontece com falamos acima. Seria o SERASA um exemplo disso ?

Se você tem Nexflix procure a série Black Mirror Temporada 3 Episódio 1: Queda Livre.

Sem querer dar spoiler. Neste episódio vocês verão de uma forma exagerada como a classificação por notas poderá mudar nossas vidas. Já viu ? Então me manda um e-mail falando o que acharam. Eu particularmente gosto muito da série.

Já se deram conta que as redes sociais sabem tudo da gente ?
Já se deram conta que as redes sociais sabem tudo da gente ?

É isso caros leitores, espero ter esclarecido como ficou a classificação de hotéis por estrelas.

Não se esqueçam de curtir minha Fan page no Facebook e compartilhar este artigo me marcando. Se tiver pessoas interessadas disponibilizarei um conteúdo sobre “Como escolher uma boa hospedagem pela Internet”.

Boa viagem sempre!!

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Voltar ao Início

 

 

Continuar lendo “Classificação de hotéis por estrelas: sabia que os hotéis não são mais classificados por estrelas ? Entenda como ficou”

Compartilhar:

Como funciona um Hostel ? Confira os pontos positivos e negativos neste tipo de hospedagem

Mas afinal o que é isso ? Como funciona um hostel na verdade ?

Basicamente um hostel é um tipo de hospedagem onde a palavra de ordem é COMPARTILHAMENTO.

Num hostel não temos um quarto, mas sim uma cama e aí precisamos respeitar o espaço do outro.

O hostel faz parte da filosofia do Viajante Independente, pois este possibilita a interação com outros viajantes, num ambiente descontraído e com preços mais baixos que os tradicionais hotéis.

O entendimento sobre como funciona um hostel com certeza irá te ajudar na sua primeira experiência neste tipo de hospedagem.

Como funciona um hostel ? Ambiente descontraído é uma das grandes vantagens
Como funciona um hostel ? Ambiente descontraído é uma das grandes vantagens

Minha experiência

Comecei a viajar de forma independente em 2004 num mochilão de 30 dias pela Europa, e fiquei 100% dos dias hospedado em hostels. Observei que existem hostels que tem mais conforto que hotéis e outros que pecam em vários aspectos como segurança e limpeza.

Aprendi que ter banheiro no quarto não é uma boa, pois a cada vez que alguém precisa do mesmo ouvimos todos os “barulhos”, então o que facilitaria para mim se tornou um ponto negativo.

Não posso dizer que depois de 15 dias de viagem não sentia falta de um pouco de privacidade, mas a excitação da primeira trip internacional contrabalanceava este sentimento.

Existem hostels bem descolados por aí.
Existem hostels bem descolados por aí.

Abaixo 5 pontos positivos sobre hospedar-se em hostels para você entender um pouco mais como funciona um hostel.

 

1 – Preço

Sem dúvida esta é uma das principais vantagens, o preço de uma cama num quarto compartilhado é mais barato que um hotel, matemática simples, e numa viagem longa faz realmente diferença.

Já fiquei em hostels com 4, 8 e 30 camas e quando comparava com o preço do hotel realmente a economia era indiscutível. Porém, se estiverem viajando em 3 ou 4 pessoas vale a pena comparar com o preço de um hotel, em várias situações acabava empatando e aí vai do gosto.

Num mesmo espaço onde dormiriam duas pessoas podemos ter 8-10 camas
Num mesmo espaço onde dormiriam duas pessoas podemos ter 8-10 camas

2 – Localização

Percebi que os hostels, na maioria das vezes, têm localizações interessantes quando comparados aos hotéis. Sabe por que ? Um antigo casarão numa ruazinha charmosa estreita na Toscana pode ser um hostel, ou seja, por não ter as preocupações de um hotel (estacionamento, recepção, restaurante) é possível encontrar hostels nas regiões mais legais de uma cidade. Existe um que fica num barco em Asmterdam, já me hospedei em um no charmoso Albaicin em Granada e tem até um famoso a poucos metros no Central Park.

Deve ser legal ficar num Hostel-Barco
Deve ser legal ficar num Hostel-Barco

3 – Vibe

Viajando sozinho ou não, muitas vezes, queremos interações com outros viajantes e num hotel fica mais difícil, pois cada um “está em seu quadrado”. Num hostel, mesmo que você seja tímido, será obrigado a interagir pois estará dormindo no mesmo quarto.

Também é interessante pois vários hostels promovem festas, pub crawls e em alguns tem até um barzinho para tomar uma cerveja e jogar uma sinuca, ou seja, as oportunidades de conhecer gente nova realmente existem.

Salas de jogos proporcionam interação entre viajantes
Salas de jogos proporcionam interação entre viajantes

4 – Cozinha compartilhada

A maioria dos hostels possuem cozinha equipada para você poder cozinhar. Você não precisa preparar um risoto de frutos do mar, mas tenho certeza que uma bela macarronada é fácil de fazer, e cozinhando no hostel fazemos uma economia tremenda.

Cozinhar no hotel pode ser uma forma de interação, mas não se esqueça de lavar a louça depois hein ?
Cozinhar no hotel pode ser uma forma de interação, mas não se esqueça de lavar a louça depois hein ?

5 – Atividades

Muitas vezes os hostels conseguem atividades com preços legais como free walking tours, excursões e aluguel de carros, pois a maioria das pessoas que estão ali também procuram por isso, sendo assim é fácil juntar uma galera e ir para alguma praia ou trekking.

Já foi num Pub Crawl ? Não ? Você não sabe o que está perdendo!!
Já foi num Pub Crawl ? Não ? Você não sabe o que está perdendo!!

Mas ok, nem tudo são flores, abaixo listo 5 pontos negativos que observei nestas minhas andanças pelo mundo e depois que descobri melhor como um hostel funciona.

 

1 – Privacidade

Hostel não é lugar para se preocupar com privacidade. Imagine sua primeira viagem com sua namorada ou namorado, e mais 30 pessoas num quarto ?

Você precisa ir para o banheiro tomar banho munido de tudo. Lembro-me que em Lisboa que depois de tomar banho percebi que tinha esquecido a toalha! Tive que colocar a roupa por cima do corpo molhado, pois o banheiro ficava no final de um corredor, longe do quarto.

Se você, quando estiver muito cansado tentar dormir durante o dia terá dificuldades para encontrar silêncio, pois pessoas irão entrar e sair do quarto durante todo o período.

Você pode ficar de cueca ou calcinha no hostel, não vejo problemas, mas lembre-se que um dos pontos em questão é o respeito ao espaço do outro e sua atitude pode incomodar muita gente.

Sendo assim, se você é uma pessoa que preza pela sua privacidade à todo custo, o hostel definitivamente não é o melhor lugar para se hospedar.

Dá pra ter privacidade aqui ?
Dá pra ter privacidade aqui ?

2 – Segurança

Num hostel não existe “trancar a porta” pois a qualquer hora alguém pode chegar, sendo assim você fica exposto. Não são raros os casos de roubos de celulares e perfumes. Quando fico em hostel eu durmo com meu passaporte, celular, dinheiro e cartão no meu bolso, pois perder um destes ítens geraria uma enorme dor de cabeça.

As maiores dúvidas sobre como funciona um hostel é sobre segurança
As maiores dúvidas sobre como funciona um hostel é sobre segurança

3 – Conforto

É inegável que um hotel é mais confortável. Você chega no final da tarde cansado, se joga na cama, espalha suas coisas pelo quarto sem se preocupar com ninguém, num hostel isso é impossível. Suas roupas devem ficar na sua cama ou em armários que nem sempre estão disponíveis. Isso vale para sua escova de dente, sabonete, shampoo e toalha molhada, os quais devem retornar à sua cama, ou seja, você terá que estender sua toalha úmida na cabeceira e no outro dia usar a mesma com cheiro de cachorro molhado.

Dá uma olhada como funciona um hostel às vezes
Dá uma olhada como funciona um hostel às vezes

4 – Barulho

Sim, este é um item importante, não existe silêncio no hostel, tem sempre aquele viajante mexendo em saquinho plástico as 3 da manhã. Vocês conhecem barulho mais irritante que este ? Eu não.

É verdade que a maioria da galera respeita, mas tem hora que não tem jeito. Na minha última experiência, num hostel em Knysna na África do Sul,  5 meninas tinham que acordar as 5 para tomar um ônibus e elas arrumaram a mala por mais de uma hora, a não ser que você tenha um sono muito pesado, você irá acordar, não tem jeito.

Outro ponto a ser observado é que alguns hostels são conjugados com bares e dependendo da localização dos mesmos suas noites podem ser complicadas.

Lembro que em Hvar na Croácia a menina que tomava conta do hostel nos deu protetores de ouvido, porque logo abaixo do hostel tinha um bar que bombava até altas horas da madrugada.

Quando você quer dormir e seus companheiros de quarto querem conversar.
Quando você quer dormir e seus companheiros de quarto querem conversar.

5 – Banheiro

Se você é o tipo de pessoa “nojinho” não fique num hostel, da mesma maneira que você compartilha o quarto com 30 pessoas terá que compartilhar o banheiro com as mesmas 30. Isso significa encontrar o banheiro nem sempre limpo, cabelo nas pias e restrição para o tempo de banho, porque tem “sempre alguém esperando”.

Está preparado para o banheiro compartilhado ?
Está preparado para o banheiro compartilhado ?

Bom, estes foram os pontos que, ao meu ver, são positivos e negativos num hostel, fica para você ponderar e encontrar a melhor opção para você. Independente da escolha feita o ideal é IR, seja num hostel, num hotel ou num resort. Você que decide!!

Ficou claro como funciona um hostel ? Se tiver alguma dúvida deixe um comentário.

Minhas dicas para quando for se hospedar num hostel:

  1. Procure quartos onde o banheiro seja separado, sendo assim você fica livre de cheiros e barulhos enquanto dorme
  2. Tudo bem que a palavra de ordem é economia, mas acredito que o ideal seja um quarto com até 8 camas
  3. Redes de hostels garantem um padrão de qualidade, nem sempre é regra, mas pode ajudar na decisão
  4. Sempre reserve com antecedência, os melhores hostels são sempre muito concorridos.
  5. Leve aquelas toalhas de secagem rápida, não são macias mas secam em pouco tempo.
  6. Se for sair a noite e souber que vai chegar tarde, deixe tudo “meio no jeito” para não acordar quem já está dormindo.
  7. Leve cabos compridos, adaptadores e power bank, tem muitos hostels com tomadas nas camas, mas na maioria você tem que brigar por uma.
  8. Acordou cedo e vai fazer o check out ? Pegue todas as suas coisas e arrume a mala fora do quarto, respeite quem está dormindo.
  9. Tudo bem que o hostel possibilita interação, mas se você não falar inglês vai ficar realmente difícil.
  10. Lembre-se sempre, seu espaço é sua cama, coloque o tênis sob a mesma e não deixe roupas espalhadas pelo quarto.

Continuar lendo “Como funciona um Hostel ? Confira os pontos positivos e negativos neste tipo de hospedagem”

Compartilhar:

Primeira viagem internacional ? Confira 5 dicas para evitar uma roubada

Confira 5 dicas para evitar roubadas na sua primeira viagem internacional

Cada artigo que escrevo neste blog tem uma pegada muito pessoal, já que compartilho situações que realmente aconteceram comigo.

Espero que você, ao ler, evite cair na mesma roubada que eu.

Uma mancada na sua primeira viagem internacional pode arruinar tudo, depende da sua predisposição a problemas, em outras situações a mancada gera uma baita dor de cabeça, o que pode custar dias da sua tão sonhada viagem.

O cansaço da viagem pode fazer a gente ficar desatento. Primeira viagem internacional
O cansaço da viagem pode fazer a gente ficar desatento

Vem comigo que vou contar algumas experiências que tive

1 – Entrar em qualquer táxi no aeroporto

Estava eu todo feliz desembarcando em Lima no Peru, apesar de ser um país vizinho achei a viagem um tanto cansativa.

Chegando lá queria muito ir para o hotel, descansar e curtir a cidade. Fui até o banheiro para dar uma lavada no rosto quando um cara me abordou oferecendo serviços de táxi. Comecei a negociar com o rapaz e chegamos num preço que achei legal, mais barato do que havia pesquisado. O senhor gentilmente carregou minhas bagagens até o estacionamento e quando vi o carro confesso que fiquei um pouco receoso, pois o mesmo só tinha os dois bancos da frente e a parte de trás estava toda bagunçada. Cansado da viagem, apenas entrei no carro e pouco depois do cara ligar o motor um policial aparece à distância. Neste momento ele me diz: se ele te perguntar alguma coisa diga que sou teu amigo e que vim te buscar no aeroporto. Peraí !! Estava desatento, mas aí seria assinar um atestado de burrice fazendo o que ele estava falando, afinal mentir para que se ele era um taxista?

A ansiedade de chegar num lugar novo pode deixar a gente meio desatento, mas é muito legal chegar num lugar novo.
A ansiedade de chegar num lugar novo pode deixar a gente meio desatento.

Pois é, o policial chegou e fez exatamente o que o motorista tinha dito, ou seja, me perguntou se eu conhecia o cara, disse que não, que ele tinha me abordado no aeroporto. Foi então que o policial me convidou a sair e disse que ele iria me colocar num táxi seguro, porque provavelmente eu seria assaltado. Não sei o que aconteceu com o cara, pois estava tão passado que só queria sair dali.

Confesso que não fiquei tenso, pois a ficha não tinha caído, somente horas depois percebi o risco que corri. Não era minha primeira viagem internacional, mas mesmo assim dei esta baita mancada.

Sendo assim não esperem chegar no aeroporto para saber como ir para o hotel. Pesquisem antes. Está na dúvida sobre o táxi ? Pergunte nos guichês dentro do aeroporto, sei que hoje em dia o Uber ajuda muito, mas infelizmente este serviço não está disponível em todas as cidades. Se puder ir de transporte público melhor ainda, mas isso também não existe em todos os aeroportos.

2 – Andar sem o passaporte ou cópia do mesmo

Estava na Cidade do Panamá e queria curtir a noite. Andando pelas ruas, em frente a um bar, sou abordado por um policial que pede meus documentos. Como tinha decidido sair para curtir e tomar umas tinha deixado meu passaporte no hotel. O policial me disse que teria que me levar para à delegacia.

Muito calmamente, não sei como, comecei a argumentar claramente com o policial, dizendo que eles poderiam ir comigo até meu hotel para que pudesse mostrar o passaporte, porém o mesmo se negava. Ao mesmo tempo que ele se negava, não fazia nada, ficava falando no rádio com outro policial. Senti um clima estranho e não entendia direito.

A paradisíaca San Blás no Panamá
A paradisíaca San Blás no Panamá

Neste momento percebi que ele não poderia me prender ou fazer alguma coisa, bastava ter paciência e esperar que algo acontecesse, até que o mesmo disse que eu teria que pagar uma multa de 20 dólares. Fazer o que ? Paguei….

Desta forma aconselho a sempre andar com o passaporte ou cópia do mesmo. Observem que muitos países exigem o documento original e para ser sincero não existe um consenso sobre isso. Meu conselho é que, ao menos, tenha uma cópia do mesmo em mãos.

3 – Entrar em um país sem a passagem de retorno

Vivendo por um tempo em Cape Town na África do Sul, resolvi fazer uma viagem para o Marrocos. Na volta, mesmo possuindo o visto de turista quase não consegui entrar no país, tudo isso porque eles pediram meu ticket de retorno ao Brasil. Eu tinha este ticket, mas não impresso. Cansado da viagem não conseguia achar no meu celular. Neste momento a atendente me pressionava dizendo que cancelaria meu visto e me deportaria ali mesmo, até que achei o ticket e deu tudo certo.

Qual viajante não curte um aeroporto ?
Qual viajante não curte um aeroporto ?

Duas dicas: primeiro, tenha a passagem de volta, segunda, tenha isso em papel, não confie somente nos meios digitais, você pode ficar sem bateria por exemplo.

4 – Comprovante de pagamento de transporte público

Na minha primeira viagem internacional durante um mochilão em 2004 tive um problema sério com isso em Paris, após entrar no metrô e validar meu ticket joguei o papelzinho fora. Dois minutos depois um policial pediu o comprovante de que eu “não teria pulado a catraca” e eu disse que tinha jogado fora, foi então que me senti um perseguido internacional: outros dois policiais apareceram, me cercaram e inclusive impediram que meu amigo falasse comigo, neste momento eles disseram que poderiam me liberar se pagasse uma multa de 20 euros. Assim o fiz.

Sempre invejo os metrôs mundo afora.
Sempre invejo os metrôs mundo afora.

Dicas: Em muitos lugares não se pede o ticket para entrar em ônibus/trens/metrô, mas não tente dar uma de espertinho, pois muitas vezes, no meio da viagem alguém vem conferir, não foi o meu caso em Paris, pois realmente tinha pago, porém não tinha o comprovante. Guardem tudo.

5 – Deixar documentos importantes dentro da mochila

Bom, esta mancada não foi minha, mas vou fazer aqui “mea-culpa”. Estava em Granada na Espanha e em um dos dias meu amigo e eu resolvemos conhecer Sierra Nevada. Deixei o Eurail Pass, aquele passe de vários dias para circular de trem pela Europa, com meu amigo e ele colocou na mochila.

Bem que o Brasil poderia voltar a investir em trens como solução para o transporte coletivo né ?
Bem que o Brasil poderia voltar a investir em trens como solução para o transporte coletivo né ?

No ônibus, ele deixou a mochila naquele bagageiro que fica sobre os bancos e quando chegamos no destino cadê a mochila ? Tínhamos sido furtados enquanto cochilávamos durante a viagem. Minha perda foi financeira, pois tive que pagar tudo de novo, mas meu amigo perdeu documentos importantes, com sorte o passaporte dele não estava lá.

Sendo assim: documentos importantes devem ficar no cofre do hotel, trancado na mala ou sempre junto ao corpo, nunca numa mochila que pode facilmente ser roubada.

Espero que meus relatos sejam úteis para você que está planejando sua primeira viagem internacional.  Lembre-se sempre que o viajante está numa condição vulnerável, seja pelo idioma, seja pela cultura. Todo cuidado é pouco.

Já foi para fora do Brasil ou está planejando sua primeira viagem internacional ? Compartilhe suas experiências com a gente!!

Continuar lendo “Primeira viagem internacional ? Confira 5 dicas para evitar uma roubada”

Compartilhar:

Viajando só. Você encara essa ? Confira dicas para Viajar Sozinho

Dicas para viajar sozinho

A arte de viajar muitas vezes bate num empecilho prático: Companhia.

Queremos viajar e queremos descobrir novos lugares, mas com quem ? Pode ser que você seja solteiro, as férias não coincidam com as de seus amigos ou porque o parceiro/a não tem a mesma vontade de cair no mundo como você. E aí ?

Aí é preciso tomar uma decisão e ponderar, mas viajar sozinho na primeira vez pode não ser fácil. Leia mais um pouco e espero que as dicas para viajar sozinho façam sentido para você.

Quando passei o carnaval de 2010 sozinho no Uruguai. Quem tira nossas fotos quando viajamos sós ?
Quando passei o carnaval de 2010 sozinho no Uruguai. Quem tira nossas fotos quando viajamos sós ?

Seus amigos podem não ser seus melhores companheiros de viagem

Ao tentar de qualquer forma ter alguém para dividir uma viagem podemos cair no erro da companhia errada: aquele seu amigo noturno que não curte acordar cedo, o agitado demais que não te dá sossego e aquele que adora cidade enquanto você quer estar no campo. Das dicas para viajar sozinho, esta com certeza tem que ser considerada, muitas amizades terminam em viagens por desavenças que poderiam ser evitadas.

Aí a pessoa cede e vai, e pode sim acontecer algo muito legal, que é descobrir que gostamos de algo que não sabíamos que poderíamos curtir, é quando você que não dá a mínima para futebol resolve ir no Estádio do Boca em Buenos Aires e simplesmente adora. Sim, isso pode acontecer, mas como é um risco prepare-se para o oposto.

Confesso que nunca foi um sonho fazer em safari, até que conheci o incrível Kruger Park na África do Sul.
Confesso que nunca foi um sonho fazer safari, até que conheci o incrível Kruger Park na África do Sul.

Diferentes gostos e disposições podem tornar uma viagem um problema. É possível evitar tudo isso com planejamento, porém se ainda quer viajar sozinho dá uma olhada nas dicas para viajar sozinho abaixo:

1 – Você precisar se conhecer

Como você é quando está sozinho na sua própria cidade ? Você vai ao cinema sozinho ? Sai para jantar só ? O que acontece num final de semana quando todos seus amigos têm compromissos e você ficou de fora ? Você fica em casa ou se atreve a fazer alguma coisa ?

As respostas para estas perguntas te ajudarão a saber se realmente está preparado para encarar uma jornada sozinho pelo mundo, mas é preciso ser sincero consigo mesmo.

O Atacama foi lindo, mas sabe aquela viagem que você não interage com ninguém ? É preciso estar preparado para o silêncio.
O Atacama foi lindo, mas sabe aquela viagem que você não interage com ninguém ? É preciso estar preparado para o silêncio.

Você tem medos ? Quais são eles ? Você consegue se divertir sozinho ? É tímido/a ?

Pergunte-se a si mesmo e veja se está preparado, conheça seus limites, se você está passando por algum problema muitas vezes estar sozinho pode acentuar ou agravar a situação. Faça uma auto análise, pergunte aos seus amigos como eles te veem e só assim você estará confiante para encarar este novo desafio.

2 – Escolha bem o destino

Ok, você se sente confiante e vai mesmo passar as próximas férias de verão sozinho, pois bem, um roteiro adequado pode te ajudar nesta experiência.

Viagens em grupos, como uma Expedição ao Jalapão ou Monte Roraima te colocarão perto de pessoas onde de alguma forma você irá interagir: seja dividindo uma barraca de camping ou sincronizando seu ritmo com o grupo durante um trekking.

Machu Pichu foi uma viagem de auto descobrimento para mim.
Machu Pichu foi uma viagem de auto descobrimento para mim.

Grandes cidades com programação cultural intensa também podem ser uma boa, afinal você pode passar horas curtindo um museu sozinho e depois sentar num café e ficar vendo o dia passar.

O contrário disso, como roteiros românticos e de lua de mel podem te fazer se sentir meio deslocado. Gramado ou Campos do Jordão podem não ser uma boa escolha viajando sozinho.

3 – Segurança e saúde

Você já assistiu o filme 127 Horas (2011) com James Franco ? Não vou dar spoiler aqui, mas apenas resumindo: um cara resolve sair para escalar e luta por sua sobrevivência sozinho após um acidente.

Pronto, você que tinha dúvidas em viajar sozinho vai desistir depois deste meu exemplo. Calma!! Não é por aí, porém é preciso falar a realidade e avaliar os riscos. Se está viajando sozinho compartilhe com alguém onde você está hospedado, comunique-se com sua família/amigos constantemente, e lembre-se que independência também implica em não deixar ninguém preocupado.

Por incrível que pareça consegui wifi no alojamento no Salar de Uyuni na Bolívia
Por incrível que pareça consegui wifi no alojamento no Salar de Uyuni na Bolívia

Hoje em dia é muito fácil fazer isso, não é possível usar como desculpa que não tinha wifi. O mundo tem wifi, sorry.

Outro ponto em questão é, faça seguro de viagem e divida os dados da apólice com alguém pois em caso de necessidade esta pessoa poderá te ajudar.

Agora vem aquele papo de mãe: cuidado ao sair sozinho. Evite aquele “porre” que pode ser divertido, mas pode ser um problema se não tiver um amigo por perto.

4 – Livros, músicas, jogos e afins

Estes itens são exemplos, mas leve para sua viagem solo algo que você possa curtir os momentos em que estará somente consigo mesmo. Um bom livro, sua playlist favorita e joguinhos podem te distrair por horas quando estiver viajando sozinho, seja em longas viagem de avião ou antes de dormir.

Para chegar até Erg Chebbi no deserto do Saara foram mais de 10 horas de ônibus, haja distração!!
Para chegar até Erg Chebbi no deserto do Saara foram mais de 10 horas de ônibus, haja distração!!

Se você está viajando e propositalmente não quer conhecer ninguém, como uma peregrinação à Santiago de Compostela ou Tibet é uma coisa, mas se quer conhecer pessoas é outra completamente diferente. Lembre-se que as pessoas não estarão por perto o tempo todo, então nada melhor do que algo para passar o tempo.

5 – Fale outro idioma

Este item é complicado, porque falar outro idioma não é algo que se faça em um mês, mas te digo de antemão que é ainda mais importante viajando sozinho. É mais um idioma que te abre novas oportunidades, é mais uma língua que te ajudará a interagir com pessoas de diferentes partes do mundo ou naquele dia que você está de bobeira no seu hostel.

Festa animada num bar embaixo do hostel que fiquei em Hvar na Croácia
Festa animada num bar embaixo do hostel que fiquei em Hvar na Croácia

6 – Dinheiro

Sim, viajar sozinho é mais caro, muitos pacotes cobram adicionais para “singles”, passeios com mais de uma pessoa podem ser negociados mais facilmente, é mais fácil alugar um carro e dividir os custos, e um hotel, muitas vezes, tem quase o mesmo preço para uma ou duas pessoas.

Desta forma faça um planejamento financeiro com estes adicionais.  Antecipadamente pode se evitar boa parte destas despesas. Procure no Facebook e Instagram grupos de pessoas que estão viajando para onde está indo, pergunte, se encaixe nas excursões, isso pode lhe ajudar a economizar.

Não existe transporte coletivo para o Kasbah Ait Ben Haiddou no Marrocos, só de taxi mesmo, e o preço é o mesmo se for 1 ou 5 pessoas. Tive que pagar sozinho....
Não existe transporte coletivo para o Kasbah Ait Ben Haiddou no Marrocos, só de táxi mesmo, e o preço é o mesmo se for 1 ou 5 pessoas. Tive que pagar sozinho….

7 – Hospedagem

É muito mais fácil viajar sozinho quando se está num hostel, já que estes lugares naturalmente une as pessoas com seus ambientes compartilhados. Você pode cozinhar com a galera, combinar passeios e participar das atividades que geralmente os hostels proporcionam para pessoas como você, que estará viajando sozinho.

Das mais importantes dicas para viajar sozinho, esta com certeza é bastante importante!!

Quando viajei sozinho para Berlin
Quando viajei sozinho para Berlin

Já leu meu artigo sobre hostels ? Dá uma olhada aqui.

8 – Viajando sozinho por opção

Todas as dicas para viajar sozinho não se aplicam se você quer viajar sozinho porque quer ficar consigo mesmo, independente de tudo. Muitas pessoas precisam fazer isso para se conhecerem melhor ou quando passam por processos de separação por exemplo. Se você quer viajar sozinho não importa o lugar ou onde ficará hospedado, afinal é seu “momento egoísta”, você viaja sozinho porque simplesmente quer fazer o que lhe der na cabeça sem precisar consultar ninguém.

Serra do Cipó em Minas Gerais
Serra do Cipó em Minas Gerais

9 – Vença sua timidez

De todos os itens acima este talvez seja o mais importante. Se vai viajar sozinho seja cara de pau, pergunte se pode ir junto, peça informações, puxe conversa no aeroporto ou no ônibus, conte da sua viagem, esteja aberto a mudanças de roteiros e convites inesperados.

Saia para jantar sozinho, vá a um bar e peça um drink, não fique entocado dentro do quarto nas redes sociais. Hostels geralmente possuem ambientes de integração, mesmo se não curtir bebidas alcoólicas vá ao pub crawl e tome água, mas se dê a chance de se divertir.

O dia que conheci o Cabo da Boa Esperança em Cape Town na África do Sul
O dia que conheci o Cabo da Boa Esperança em Cape Town na África do Sul

10 – Estas são minhas percepções, mas antes de tudo siga seu coração

Amigos leitores, todas as dicas para viajar sozinho foram escritas baseadas nas minhas percepções das várias viagens solo que fiz, destacando algumas como: Carnaval no Uruguai, Sul do Chile, Peru, Bolívia, Atacama, Berlin, África do Sul, Marrocos e muitas viagens pelo nosso Brasil.

Aconteceram contratempos ? Sim. Tive uma forte infecção de garganta em La Paz e não conseguia sair da cama, meu amigo do Brasil fez todos os contatos com meu seguro e no final tudo deu certo.

Numa viagem ao Atacama não consegui interagir com ninguém e me senti muito só, porém tenho muito mais histórias divertidas que contratempos. Fui para o Réveillon no Rio de Janeiro sozinho. Eu sou o tipo de pessoa que adora Natal e Ano Novo e naquele ano todos meus amigos tinham compromisso ou não podiam viajar, encarei o desafio e fui. Se fiquei sozinho algumas horas em toda aquela semana foi muito. Conheci pessoas incríveis e no dia da virada estava numa festa linda com pessoas que tinha conhecido 5 dias antes.

No Peru conheci duas brasileiras super gente boa e simplesmente desisti do meu roteiro para seguir o delas, foram dias incríveis. Em Berlin descobri um bar super legal e todas as noites ia pra lá, mesmo com o inglês mais ou menos conversava com todo mundo. Em Cape Town na África do Sul foi a mesma coisa, quando me dei por si estava numa roda conversando animadamente com uma galera.

Se não fosse pela brasileiras que conheci durante minha viagem ao Peru e Bolívia não teria me aventurado pelas águas do Titicaca. - Dicas para viajar sozinho
Se não fosse pela brasileiras que conheci durante minha viagem ao Peru e Bolívia não teria me aventurado pelas águas do Titicaca.

Viajar sozinho é uma decisão sua e somente sua.  Quando se sentir preparado apenas vá e dê uma chance a si mesmo, caso contrário não se obrigue a nada e espere o momento certo, pois ele chegará com certeza.

Gostaram das dicas para viajar sozinho ?

Boa viagem

Continuar lendo “Viajando só. Você encara essa ? Confira dicas para Viajar Sozinho”

Compartilhar:

Como montar um roteiro de viagem: veja as dicas e conheça seu perfil viajante

Praia ou montanha ? Cultura ou diversão ? Como montar um roteiro de viagem ?

Nesta minha vida de blogueiro de viagens muitos amigos vêm me perguntar dicas sobre como montar um roteiro de viagem para os diversos fins: lua de mel, férias ou feriados.

A primeira pergunta que faço, se não conheço bem a pessoa é: O que você gosta de fazer ? Muitas vezes meus amigos que não são muito chegados à programas culturais planejam 20 dias na Europa passando por Londres, Paris ou Roma por exemplo.

Londres é a cidade da diversidade cultural. Veja as dicas abaixo sobre como montar um roteiro de viagem
Londres é a cidade da diversidade cultural. Veja as dicas abaixo sobre como montar um roteiro de viagem

A maioria das atrações na Europa remetem à História, o Velho Continente, responsável por boa parte das colonizações no mundo todo é rico em Cidades medievais, grandes museus e igrejas. Estes lugares fazem parte de quaisquer roteiros de viagem na Europa.

Muitas vezes percebo que as pessoas viajam porque simplesmente um amigo foi ou porque viram alguma matéria e esquecem de ver o que farão por lá. Lembro-me da mãe de um grande amigo que dizia que a melhor parte do Louvre foi uma plaquinha escrito “Exit”.

Mesmo que você não seja muito chegado em museus o Louvre é imperdível
Mesmo que você não seja muito chegado em museus o Louvre é imperdível

Existem pessoas que tem a necessidade de conhecer e descobrir lugares, mesmo que estes não sejam de sua preferência, eu sou assim. Não entendo nada de Rugby e nem aprecio o esporte, mas quando estava na África do Sul fui ao estádio assistir a uma partida, afinal este é um dos esportes preferidos do país.

Não conhecia nenhuma regra, mas sempre é bom ter experiências novas.
Não conhecia nenhuma regra, mas sempre é bom ter experiências novas.

Sempre que meus amigos perguntam sobre dicas de roteiros uso a seguinte estratégia para ajudá-los: Divido os tipos de turismo basicamente em cinco:

Campos e montanhas

Praias

Compras

Noite e Diversão

Cultural

Logicamente esta é uma divisão primária, já que hoje existe turismo espiritual, gastronômico e de negócios por exemplo. Porém estas 5 classificações nos auxiliam a escolher um roteiro com a nossa cara.

A Europa é incrível, mas um roteiro essencialmente cultural pode ser chato
A Europa é incrível, mas um roteiro essencialmente cultural pode ser chato

Aliás, independente de roteiro, se estou viajando por mais de 10 dias, coloco alguma cidade somente para “existir” como diz uma amiga minha. Geralmente aquela cidade onde você acorda tarde, dá uma volta sem preocupações de conhecer e tirar fotos, para num café e somente curte sem pressa e obrigações.

O dia em que somente "existi" em Liubliana, capital da Eslovênia
O dia em que somente “existi” em Liubliana, capital da Eslovênia

Tipos de roteiros

Roteiros de campos e montanhas: Você adora Campos do Jordão ou Monte Verde ? Isso é um bom indício para você planejar uma viagem para a Patagônia por exemplo. Outro ponto importante é se você gosta de trilhas, onde você deverá procurar um local que te proporcione contato com a natureza.

A Patagônia é um show da natureza
A Patagônia é um show da natureza

Não tem tanta certeza se é esta a sua ? Roteiros como Santiago do Chile te mostrará a linda Cordilheira dos Andes, mas se enjoar você terá atividades culturais na capital chilena.

Santiago tem atrações para todos os gostos
Santiago tem atrações para todos os gostos

Roteiros de praia: Bom, nem é tão difícil lembrar de roteiros assim, o Brasil mesmo está repleto de lugares onde o objetivo principal é a praia. um exemplo disso é o Nordeste.

Pipa é um dos meus lugares preferidos no Nordeste
Pipa é um dos meus lugares preferidos no Nordeste

Se você não gosta tanto de praia no Brasil, por que você iria gastar dinheiro com uma temporada num lugar essencialmente de praia no exterior ? Que tal por exemplo ir para Cancun onde tem praia mas você pode conhecer Chitzen Itzá por exemplo ?

A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história
A Riviera Maya proporciona um mix perfeito entre natureza e história

Roteiro de compras: muita gente viaja para comprar, a meca do consumo é Miami e região com seus imensos outlets, mas será que não vale a pena estender para uma viagem de carro pela Flórida ou conhecer Key West ?

Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.
Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.

Roteiro de noite e diversão: tem uma galera que viaja pensando nos programas noturnos, pessoas assim tem horror a pequenas cidades onde depois das 19 não tem nada a fazer. Las Vegas, Nova York e Berlin são cidades onde a vida noturna “pega fogo”.

Berlin tem uma vida noturna bastante interessante
Berlin tem uma vida noturna bastante interessante

Se você gosta de baladas e bares, deve procurar as grandes metrópoles, onde as opções de entretenimento existem aos montes. Gosta de by night mas também quer fazer algo durante o dia ? Que tal Madrid com suas infinitas opções de passeios e day trips ?

Roteiros culturais: este são aqueles tipos de roteiros de viagem que compreendem visitas à museus, igrejas, cidades antigas e exposições. Mesmo gostando muito de roteiros culturais eu procuro conhecer um museu a cada dois dias. Isso porque este é um tipo de programa que nossos olhos se cansam e a gente não retém a informação depois de algum tempo.

Outra técnica que uso é ver como está o dia: se acordo e está ensolarado aproveito para fazer a programação ao ar livre, caso contrário vou conhecer algum museu ou alguma outra atividade em lugares fechados.

Conhecer as Mesquitas de Istambul é um programa imperdível na Turquia
Conhecer as Mesquitas de Istambul é um programa imperdível na Turquia

Como viajo

De forma geral, para definir roteiros de viagem, pontue os itens acima de 1 a 5.  Assim você já consegue a ter uma ideia de como planejar suas próximas férias.

Eu gosto muito de programas culturais, mas também curto contato com a natureza. Minha pontuação seria deste jeito:

Cultural 5

Campos e Montanhas 4

Praias 3

Noite e diversão 2

Compras 1

Esta é uma dica sobre como montar um roteiro de viagem. Usei esta técnica quando fiz uma viagem para Alemanha, Noruega e Polônia, ou seja, encontrei bastante atração cultural na Alemanha e Polônia e muita natureza na Noruega. Voltei para casa feliz.

O importante é saber o que mais gosta. Escrevi este artigo para você que planeja uma viagem internacional e quer aproveitar bem o seu dinheiro, não perdendo tempo em roteiros cansativos e chatos.

Este artigo fez sentido para você ? Que tipo de turista você é ? Te ajudou a descobrir como montar um roteiro de viagem ?

Boa viagem sempre!!

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Como montar um roteiro de viagem: veja as dicas e conheça seu perfil viajante”

Compartilhar:

Já pensou em passar o Ano Novo em alto mar ? Saiba como é um Cruzeiro de Réveillon

O final do ano vem chegando e chega a hora de planejar as festas. Além dos tradicionais destinos de Ano Novo, fazer um Cruzeiro de Réveillon pode ser uma opção confortável, segura, divertida e tranquila.

Existem vários cruzeiros que fazem o percurso pela bela costa brasileira. Inclusive Cruzeiro de Reveillon
Existem vários cruzeiros que fazem o percurso pela bela costa brasileira

 

Como é fazer um Cruzeiro de Réveillon ?

Existem algumas opções de Cruzeiros de Réveillon passando por belas cidades como: Rio de Janeiro, Búzios, Ilha Bela, Salvador, Buenos Aires e Montevidéu.

O Réveillon é uma data bastante comemorada pelos brasileiros, desta forma a procura por cruzeiros nesta época tende a ser alta. Reservar com bastante antecedência é o segredo para conseguir o navio desejado, o destino, o tipo de cabine e principalmente o melhor preço.

A festa de Reveillon - crédito: www.hoteisepousadasem.com.br
A festa de Reveillon – crédito: www.hoteisepousadasem.com.br

O cruzeiro funciona normalmente como em qualquer outra data, com exceção de uma grande festa que é preparada para a noite da virada.

A tripulação irá oferecer vários tipos de espumantes para a noite do Réveillon, e mesmo que tenha o pacote de bebidas este tipo de serviço é cobrado à parte.

A noite de Réveillon pede um bom espumante
A noite de Réveillon pede um bom espumante

No dia 31 é servido o jantar normalmente e depois acontece a festa em algumas partes do navio. 

Não só durante a festa, mas durante todo o cruzeiro existe um painel com a contagem regressiva, o que confere um ar de expectativa aos viajantes.

Toda a festa da virada ocorre com o navio em movimento. Este assunto é importante, pois se você tiver problemas com enjoo é aconselhável que tenha os medicamentos adequados sempre à mão.

A grande vantagem de fazer um Cruzeiro de Réveillon é que tudo fica mais fácil, já que se estiver cansado, basta pegar o elevador e ir para o quarto.

Para os mais animados, ainda acontece uma baladinha na discoteca após a festa da virada.

A discoteca é outro lugar animado no navio. Crédito: www.cvc.com.br
A discoteca é outro lugar animado no navio. Crédito: www.cvc.com.br

Como funcionam as refeições no navio ?

Existem dois tipos tipos de restaurantes:

Estilo buffet

Neste restaurante são servidos todas as refeições, então existe a mudança dos alimentos durante todo o dia, já que o mesmo funciona praticamente 24h.

Tem uma diversidade boa de comidas, porém não achei o sabor espetacular. Entre as refeições ficam disponíveis também hambúrgueres e pizzas.

O Restaurante Buffet - Crédito: diariodebordomsc.com.br
O Restaurante Buffet – Crédito: diariodebordomsc.com.br

À Francesa

Este restaurante tem serviço com hora e mesa marcada. Se você estiver indo em casal, irão dividir uma mesa com outras pessoas todos os dias da viagem.

Ao fazer o check in no navio você receberá as informações sobre qual restaurante ir, pois geralmente existem dois.

Sendo um serviço à francesa segue aquela ordem de entrada, salada, prato principal e sobremesa.

Gostei muito do serviço deste restaurante e o atendimento foi ótimo.

Todo dia o mesmo garçom atende a sua mesa e nos sentimos realmente numa experiência VIP.

O lindo restaurante com serviço À Francesa - Crédito: diariodebordomsc.com.br
O lindo restaurante com serviço À Francesa – Crédito: diariodebordomsc.com.br

Bebidas

Com exceção de café, leite, chás, sucos de máquina e água todas as outras bebidas são cobradas à parte

No restaurante à francesa a única bebida grátis é água.

Pacotes de bebidas

Existem vários tipos de pacotes de bebidas: refrigerantes e água, cervejas e outros ilimitados, os quais dão direito à quaisquer bebidas em todos os bares e no restaurante à francesa.

Apenas lembre-se que o pacote ilimitado deve ser comprado por todos que estiverem na mesma cabine.

 

Cruzeiro de Réveillon é a sua cara ?

Eu sempre pensei nisso, pois sou um viajante mais despojado, porém depois de passar tantas festas de Ano Novo no Rio de Janeiro ou em outros lugares fiquei um pouco cansado.

Existem sim lugares mais tranquilos, mas nunca tinha encontrado uma opção que juntasse conforto, facilidades e um pouco de animação na noite da Virada. O cruzeiro oferece tudo isso!!

 

Como foi minha experiência

Fiz um Cruzeiro de Réveillon de 7 dias saindo de Santos com o MSC Música. Passamos por Punta del Este, Montevidéu e Buenos Aires. Eu já conhecia as três cidades então não me preocupei tanto em desbravá-las, tanto é que em um dos dias eu nem desci do navio.

Se seu objetivo é conhecer bem os lugares acredito que cruzeiro nunca é a melhor opção, já que o acesso ao navio é regido por horários limitados e de forma geral existe pouco tempo para ficar na cidade.

Quando a cidade tem porto como Buenos Aires podemos sair e voltar a hora que quisermos, mas em lugares como Punta Del Este é preciso usar os “barquinhos”, e aí existe um horário determinado para retornar ao navio.

 

Dica importante

Um navio como o MSC Musica acomoda aproximadamente 2500 pessoas, então imaginem que o check in deva ser demorado.

De qualquer forma o embarque é muito organizado, porém as malas demoram para chegar no quarto.

Sabendo disso, quando entrei no navio, fui direto ao restaurante e às piscinas, as quais estavam vazias, já que todo mundo estava plantado nas cabines esperando as malas, e este tempo foi mais que suficiente para as mesmas chegarem.

Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre Cruzeiros, a MSC tem um Blog bem legal, clique aqui.

 

E você, já se preparou para o Réveillon deste ano ?

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Já pensou em passar o Ano Novo em alto mar ? Saiba como é um Cruzeiro de Réveillon”

Compartilhar:

Turismo Sustentável. Confira 10 dicas para viajar com responsabilidade social

O que é Turismo Sustentável ?

Viajar é uma forma de trocar experiências, não só o viajante entra em contato com a cultura do local que visitou, como este deixa marcas por onde passa, o que se espera é que estas marcas sejam positivas. Confira as dicas abaixo e veja como fazer Turismo Sustentável.

Turismo Sustentável
Sustentabilidade é a palavra de ordem.

1 – Lembranças e presentinhos: tem gente que adora viajar para comprar, tem viajante que compra somente um imã de geladeira e tem os turistas que gostam de bonés e camisetas. Independente do que curte, sempre é bom incentivar o comércio local, principalmente o artesanato. Com este mundo globalizado cada vez é mais difícil achar algo genuíno, mas sempre tem. Procure os artesãos locais, além de trazer algo original você contribuirá com a economia local, a qual tornará o turismo sustentável.

Trazer peças originais para casa é sempre mais interessante
Trazer peças originais para casa é sempre mais interessante

2 – Fotos com animais: eu já caí neste erro algumas vezes, mas agora estou mais esperto. É preciso prestar muita atenção nos locais que usam os animais como atrativos. Aquela foto com o leão bonitinho no seu colo significa que ele está a base de tranquilizantes ou outra coisa para manter um animal selvagem agindo como pet. Pesquise antes, procure saber sobre santuários ou organizações que respeitem e tenham projetos sustentáveis com animais.

Não é normal um animal selvagem pousando pra foto
Não é normal um animal selvagem pousando pra foto

3 – Comida local: redes de restaurantes existem em todo lugar, que tal procurar um restaurante local para contribuir com a economia do lugar ? Muitas vezes estes locais tem produtos frescos e cardápios diferenciados, deixe o Fast-food para quando voltar pra casa.

E aquela comida com gosto de "feito pela mãe" ?
E aquela comida com gosto de “feito pela mãe” ?

4 – Entradas em museus: já vi muito viajante dizer que só vai onde é gratuito. Frequentar e pagar por museus é uma forma de manter o acervo sustentável para que outras pessoas o conheçam. Muitos criticam a diferença de preços entre os locais e os turistas, mas isso ocorre porque muitos locais não tem dinheiro para fazer os programas dos turistas. Por incrível que pareça tem muito carioca que nunca foi no Pão de Açúcar e muito paulista que nunca pisou no Masp.

Prestigiar as atrações é uma forma de colaborar com a economia local.
Prestigiar as atrações é uma forma de colaborar com a economia local.

5 – Andar a pé: hoje em dia ninguém mais dá informação sobre como chegar a um lugar, vão logo dizendo “Pede um UBER”, a não ser que você tenha restrições médicas, andar 1 ou 2 Km a pé não vai matar ninguém e você ainda colabora com a diminuição de poluição nas cidades.

Além de ser um excelente exercício físico andar a pé é a melhor forma de conhecer um lugar.
Além de ser um excelente exercício físico andar a pé é a melhor forma de conhecer um lugar.

6 – Use o transporte coletivo: usar transporte coletivo é uma forma de ver o dia a dia de uma cidade na sua essência, ver as pessoas indo e vindo é uma excelente interação cultural. Além de econômico é mais ecológico.

Utilizar o transporte coletivo é uma forma econômica e ecológica para se deslocar nas cidades.
Utilizar o transporte coletivo é uma forma econômica e ecológica para se deslocar nas cidades.

7 – Procure alguma cooperativa de turismo local: este ramo de negócio possibilita que famílias trabalhem com turistas, hospedando os mesmos de forma mais barata. Além de gerar empregos, possibilita a distribuição de renda. Sem contar que a experiência será mais enriquecedora pois contará com o apoio de alguém que mora no lugar e assim o conhece muito bem.

As cooperativas são uma excelente forma de contribuir com a economia local.
As cooperativas são uma excelente forma de contribuir com a economia local.

8 – Safári Humano: este é um item contraditório e sério, sempre que existe um tipo de turismo onde se visita uma tribo ou qualquer outra atividade onde o foco são pessoas é preciso observar 3 ítens: 1- respeito à cultura, não tratando as pessoas como excentricidades; 2 – garantir que estas pessoas recebam os recursos provenientes destas atividades e 3 – saber da originalidade. Em muitas tribos os índios se vestem com os trajes típicos somente para os turistas verem, outro exemplo são as mulheres girafa da Tailândia. Vocês já pararam para imaginar o sofrimento delas com aqueles argolas somente para você tirar sua selfie ?

É preciso respeitar as culturas e evitar qualquer tipo de colaboração com a exploração humana.
É preciso respeitar as culturas e evitar qualquer tipo de colaboração com a exploração humana.

9 – Respeite a história do local: muitos cemitérios, prisões e memoriais são locais turísticos. Há pouco tempo atrás houve uma crítica contra turistas que tiravam selfies fazendo brincadeiras no Memorial do Holocausto em Berlim. É legal tirar foto, mas sempre com respeito.

O Memorial do Holocausto em Berlin.
O Memorial do Holocausto em Berlin.

10 – Divulgue além do lugar principal: todos gostam de redes sociais hoje em dia. Que tal compartilhar imagens da realidade perto dos grandes monumentos? Alguns exemplos: as favelas no entorno do Cristo Redentor, a cidade avançando sobre as Pirâmides de Gizé no Egito e a pobreza ao redor do Taj Mahal na Índia são algumas dicas. O Instagram hoje em dia tem uma beleza muito plástica, e mostrar a realidade pode chamar a atenção dos governantes para que melhorem as condições daqueles locais.

Que tal divulgar os entornos de grandes atrações turísticas ?
Que tal divulgar os entornos de grandes atrações turísticas ?

E aí, gostaram do artigo ? Concordam com os pontos levantados ? O que mais seria importante para fazer Turismo Sustentável na sua opinião ?

Continuar lendo “Turismo Sustentável. Confira 10 dicas para viajar com responsabilidade social”

Compartilhar:

Como viajar gastando pouco: Confira 10 dicas simples para economizar nas suas viagens

Como viajar gastando pouco

Quem viaja bastante sempre causa curiosidade nas outras pessoas, pois as mesmas não entendem como conseguimos viajar tanto aliando férias e economia.  Abaixo listei 10 dicas, algumas extremamente simples e outras mais complexas, com o objetivo de ter o melhor custo-benefício nas suas férias. A economia pode ser pequena em algumas delas, mas lembre-se que de grão em grão a galinha enche o papo:

As ilhas gregas podem ser um destino com preços bem convidativos. Como viajar gastando pouco
As ilhas gregas podem ser um destino com preços bem convidativos.

1 – Levar lanche para o aeroporto: Gente, comer no aeroporto é caríssimo, algumas redes de fast food têm preços diferentes, pois lá você não tem muito o que fazer. Tenho sempre levado meus lanchinhos para comer antes do embarque. Ao lado de onde sai o transfer para Guarulhos aqui em Campinas tem uma lanchonete com pães de queijo a R$ 2,50, o mesmo quitute no aeroporto chega a custar R$ 6,00. As férias e economia já começam no embarque.

Dependendo do horário do voo é preciso fazer alguma refeição antes do embarque.
Dependendo do horário do voo é preciso fazer alguma refeição antes do embarque.

2 – Menu do dia: para muitas pessoas viagens são também experiências gastronômicas, e em algum dia é legal ir num restaurante badalado daquele chef que você admira, mas não em todos, sendo assim vou naquele restaurante mais simples e escolho o Menu do Dia. Este é sempre mais barato, pois é a comida que foi feita em maior quantidade. Fazer pedidos muito diferentes, além de demorar o preparo custam mais caros.

Não tenha vergonha de pedir o menu antes de entrar no restaurante. Assim você não tem surpresas.
Não tenha vergonha de pedir o menu antes de entrar no restaurante. Assim você não tem surpresas.

3 – Ver os dias de descontos ou entrada free: muitos museus e atrações tem dias de descontos, procure saber antes e programe aquele dia para conhecer o lugar. Sempre é possível descobrir dicas sobre como viajar gastando pouco.

Sabia que o teleférico para a Table Mountain em Cape Town é mais barato às sextas-feiras ?
Sabia que o teleférico para a Table Mountain é mais barato às sextas-feiras ?

4 – Usar transporte público: muita gente não gosta desta opção, porém é sempre a mais barata e mais independente. Fuja daqueles taxistas que oferecem um dia inteiro de passeio, se quiser conforto faça por uma agência especializada, caso contrário procure maneiras de usar o transporte público, pode até ser mais divertido!!

Um metrô para chamar de meu em Londres
Um metrô para chamar de meu em Londres

5 – Compras: muitos turistas viajam para comprar, a não ser que esteja indo em roteiros específicos para isso, como os EUA por exemplo com seus incríveis outlets, lembre-se que a chance de comprar algo que não precisa durante uma viagem é alta, isso porque, a compra é emocional. Quando estamos felizes (e geralmente em viagens estamos) acabando comprando mais.

Lembre-se que shopping é shopping em qualquer lugar do mundo, evitar ir nestes lugares gera uma economia tremenda para os compulsivos. Não existe milagre para a pergunta: Como viajar gastando pouco ? Sempre é preciso abrir mãe de alguma coisa.

Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.
Mesmo não sendo um compulsivo por compras acabei comprando algumas coisinhas em Nova York.

6 – Supermercado: ir em supermercados em outros países é uma delícia, lá você pode encontrar produtos diferentes do seu país e comprar algumas “coisinhas” para depois comer e relaxar num parque, além do que é super mais barato.

Quem disse que as dicas sobre como viajar gastando pouco tem que ser limitantes ? Ás vezes é preciso apenas um pouco de criatividade, e nós brasileiros somos bons nisso.

A gente se divertindo em um supermercado em Dubrovnik na Croácia.
A gente se divertindo em um supermercado em Dubrovnik na Croácia.

7 – Evite os roteiros pinga-pinga: ficar mais tempo em um lugar gera economia, isso porque passamos a conhecer a cidade e aí conhecemos os lugares com melhor custo benefício, além do que cansa menos.

Fiquei 15 dias somente em Nova York e descobri um restaurante legal e barato abaixo do Columbus Circle.
Fiquei 15 dias somente em Nova York e descobri um restaurante legal e barato abaixo do Columbus Circle.

8 – Localização do hotel: uso a seguinte estratégia na escolha dos hotéis: se a cidade tem transporte coletivo abundante e de qualidade não me importo em ficar fora de zonas turísticas, desde que o lugar seja seguro. Caso contrário é sempre melhor ficar nos centros ou perto de onde ficam a maioria das atrações. Esta dica não vale para quem quer dormir vendo a Torre Eiffel ou o Cristo Redentor. Se quiser assim, o faça, mas sempre será mais caro.

Vista da sacada do hotel que fiquei em Atenas, como a cidade não tem um transporte abrangente decidi ficar perto dos bairros turísticos.
Vista da sacada do hotel que fiquei em Atenas, como a cidade não tem um transporte abrangente decidi ficar perto dos bairros turísticos.

9 – Água, frutas e snacks: esta dica parece boba, mas ande sempre com uma mochila onde possa colocar uma garrafa de água, alguns snacks ou frutas. Além de ser uma dica de saúde, pois você lembrará de se hidratar, é uma dica econômica, assim você não fica parando em cada esquina para comer uma coxinha.

Com a inseparável mochila no Museu do Botero em Bogotá.
Com a inseparável mochila no Museu do Botero em Bogotá.

10 – Tecnologia: isso é provado: quem usa tecnologia economiza. Use e abuse os apps, um exemplo disso é que a Rússia, para a Copa do Mundo 2018 lançou um app com diversas dicas turísticas onde o visitante não precisa investir em tours pagos. Sempre as cidades têm vários com diversos propósitos, seja para aluguel de bicicleta, descobrir bares e restaurantes com promoções, rotas turísticas e obviamente os app´s de reservas de voos e hotéis.

Em Varsóvia na Polônia o aluguel de bicicletas é feito por app´s.
Em Varsóvia na Polônia o aluguel de bicicletas é feito por app´s.

Sei que muitos leitores têm que ponderar estas minhas dicas, pois elas falam de experiências e isso vai da opção de cada um. Por exemplo, o novo terminal de embarque em Guarulhos-São Paulo tem restaurantes renomados. Se você estiver viajando em lua de mel nada mais romântico do que tomar uma taça de vinho antes do embarque. Lembre-se, a vida é feita destes momentos, mas se consegue abrir mão não se envergonhe dos seus “lanchinhos”, tem muita gente que faz isso.

O objetivo deste blog são as Viagens Independentes e não a busca extrema por economia. Todas as dicas acima se referem a conseguir viajar gastando pouco, porém nunca esquecendo o conforto. Não adianta comer mal e falar que não está gastando, como não adianta marcar somente deslocamentos noturnos para economizar no hotel, uma noite de sono numa cama gostosa é incomparável.

Pequenas economias geram grandes diferenças, escolha seu estilo e seja feliz.

E aí, acha que estas dicas sobre como viajar gastando pouco funcionam ?

As dicas fizeram sentido para você ? Escreva um comentário se leu meu artigo até aqui. E se tiver alguma dica compartilhe com a gente, você poderá ajudar a outros viajantes.

Boa viagem!!

Continuar lendo “Como viajar gastando pouco: Confira 10 dicas simples para economizar nas suas viagens”

Compartilhar: