Região dos Cânions no Rio Grande do Sul

Por que visitar a Região dos Cânions no Rio Grande do Sul ?

O estado têm atrativos para várias viagens, já conheci a região da Serra Gaúcha com Gramado e Canela, a Região das Missões e a linda Região dos Cânions no Rio Grande do Sul, sobre a qual falarei neste artigo.

Os Cânions no Rio Grande do Sul ficam no Parque Nacional dos Aparados da Serra e Parque da Serra Geral. Este nome “aparados” caracteriza bem os desfiladeiros, já que estes parecem que foram cortados e moldados à faca.

Toda a grandiosidade do Cânion Fortaleza na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Toda a grandiosidade do Cânion Fortaleza

Esta linda região fica no limite dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, e a cidade de Cambará do Sul é uma excelente base para explorar a região.

Cambará do Sul é uma cidade bem pequena, mas excelente para relaxar entre os vários passeios que se pode fazer pela região. Esqueça um pouco a badalada Gramado, e dê uma oportunidade à pequena cidade com uma população de pouco mais de 6.000 habitantes.

As tradicionais casas de madeira na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
As tradicionais casas de madeira do Rio Grande do Sul

Mas vamos falar da grande motivação de vir para estas bandas !!

Conhecida como a cidade dos Cânions no Rio Grande do Sul, dois deles são os grandes destaques: o Itaimbezinho e o Cânion Fortaleza. Dedique meio período para cada um e tenho certeza que voltará para casa feliz por ter conhecido a bela região dos Cânions no Rio Grande do Sul.

Os enormes paredões do Cânion Itaimbezinho na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Os enormes paredões do Cânion Itaimbezinho

Além disso, se você gosta de andar à cavalo, existem passeios que podem ser feitos por aí. Se curte trilhas, a do Rio do Boi será um desafio à sua resistência física, mas que garantirá visuais memoráveis do interior dos Cânions do Rio Grande do Sul.

Como chegar

Não existe um aeroporto perto de Cambará do Sul, você poderá escolher viajar para Caxias do Sul, que está  135Km ou Porto Alegre a 191Km.

É possível ir de Porto Alegre à Cambará do Sul de ônibus pela Citral e a viagem demorará 6 horas, outra opção, a qual acho mais apropriada é alugar um carro. Ele será de grande utilidade para o deslocamento na região, e você não dependerá de contratar serviços de terceiros por lá.

Uma dica boa

Um roteiro básico pela região dos Cânions no Rio Grande do Sul, considerando que você não vá fazer trilhas longas, pode ser feito em 4 dias, tipo naqueles feriadões que brasileiro adora emendar. Sendo assim, você pode voar na quarta a noite, usar os outros três dias para conhecer a região e no domingo acordar cedo e voltar pelo litoral passando pela bonita cidade de Torres. Eu fiz este roteiro e aconselho.

Além de conhecer o balneário com sua famosa Praia da Guarita, a viagem de volta será margeando as enormes lagoas do Rio Grande do Sul.

Cânion Fortaleza

A ansiedade era grande para conhecer este Cânion no Rio Grande do Sul, porém quando acordei estava tudo encoberto, mas foi só esperar um pouco que os desfiladeiros, como vemos nos cartões postais, se abriram para nós.

No verão é comum os cânions serem encobertos por uma densa neblina, conhecida como “viração”. Diferentemente da chuva não é possível prever. Pode durar até duas horas e às vezes mesmo com sol na cidade os cânions podem estar sem visibilidade.

Um funcionário da pousada onde estava foi com a gente de carro, pagamos R$ 20,00 (2012) cada um, porém não considerem este valor, é que a pousada que estava foi bem legal e se fosse por agência ficaria mais caro.

Toda a grandiosidade do Cânion Fortaleza, um dos mais bonitos Cânions no Rio Grande do Sul
Curtindo o visual do Cânion Fortaleza

São aproximadamente 24Km do centro de Cambará até os Cânions, deste total 9Km são em estradas de terra. Chegando lá fizemos uma pequena trilha para a  Cachoeira do Tigre Preto, passando pela linda queda d´água de 400m, antes de chegar na mesma é preciso atravessar um lajeado, o que torna a trilha ainda mais interessante. De um certo ponto é possível ver a Pedra do Segredo, que com 5m de altura, pesando 30 toneladas se apóia em uma base de apenas 50cm.

Atravessando o lajeado na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Atravessando o lajeado

Esta trilha tem um percurso de 3km ida e volta e é super fácil. Na volta pegamos o carro e fomos até o mirante do Cânion.

A cachoeira do Tigre Preto na região dos Cânions do Rio Grande do Sul
A cachoeira do Tigre Preto

O Cânion Fortaleza é mais selvagem que o Itaimbezinho, pois este segundo tem cercas para proteger do desfiladeiro, já no Fortaleza é possível caminhar pelas bordas, onde em alguns pontos a altura é de 900m. Como falei, é possível fazer este passeio tranquilamente numa manhã.

Apesar de termos ido com guia é possível fazer por conta própria, caso você não queira fazer a trilha até a cachoeira poderá ir de carro e estacionar a 300m dos mirantes.

Cânion Itaimbezinho

O Cânion Itaimbezinho fica no Parque Nacional dos Aparados da Serra e tem uma melhor estrutura para receber os visitantes. Diferente do Fortaleza onde não existe cobrança de entrada e de estacionamento aqui se paga, os valores são R$ 8,00 de entrada e R$ 15,00 para o estacionamento. Existem três trilhas que são auto guiadas, ou seja, você não precisa de guia.

Os mirantes do Cânion Itaimbezinho na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Os mirantes do Cânion Itaimbezinho

Não fiz a Trilha do Rio do Boi e apesar do site informar que o guia é facultativo acredito que seja melhor usar os serviços de alguma agência, pois é uma trilha difícil, com mais de 6 horas de caminhada.

Trilha do Vértice: 1 hora de caminhada pela parte alta do parque, precisa entrar até as 17h

Trilha do Cotovelo: são 3 horas também pela parte alta do parque, precisa entrar até as 15h

Trilha do Rio do Boi: 6 horas pelo interior do Cânion, precisa entrar até as 13h

Eu fiz a do Vértice e fiquei bastante feliz com o que vi. Como falei anteriormente a Região dos Cânions no Rio Grande do Sul possibilita conhecer a magnitude dos desfiladeiros sem a necessidade de grandes caminhadas.

Caminhando na parte alta do Parque Nacional dos Aparados da Serra na região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Caminhando na parte alta do Parque Nacional dos Aparados da Serra

Confira o site do ICMBio, que administra o parque, para ter as informações completas e horários de visitação.

Você encontrará uma estrutura de visitantes com lixeiras, bancos e cercas protegendo a borda dos Cânions, que aqui pode chegar a 700m.

Os visuais são incríveis e existe uma mistura entre a Mata Atlântica e a Floresta de Araucária.

Floresta de Araucária e Mata Atlântica na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Floresta de Araucária e Mata Atlântica

Minhas percepções

Gostei muito da região e é um dos lugares de natureza que mais gostei de conhecer no Brasil. Apesar dos Cânions no Rio Grande do Sul serem conhecidos, ainda senti (2012) uma sensação de que não era um passeio muvucado.

O Cânion Fortaleza foi o mais bonito para mim, exatamente pelo fato de não ter tanta estrutura e possibilitar um contato maior com a natureza, de outra forma considero o Itaimbezinho imperdível também.

Outro ponto interessante é que este é um passeio para toda a família, é possível chegar nos Cânions sem ter que fazer grande esforço, com exceção à difícil Trilha do Rio do Boi.

A hospitalidade foi um grande diferencial nesta viagem.

Gosta de andar à cavalo ?

Não tenho muito experiência em andar à cavalo, mas fiz um lindo passeio até o Rio Camisas para ver o por do sol. Acompanhados por um guia atravessamos campos abertos, uma parte numa floresta de eucaliptos até um mirante onde justamente chegamos no por do sol.

Passeios à cavalo são uma tradição em Cambará do Sul na Região dos Cânions no Rio Grande do Sul
Passeios à cavalo são uma tradição em Cambará do Sul

Torres

Como falei no início do artigo, depois de conhecer os Cânions dei uma esticada até a bonita cidade de Torres no litoral. Como meu voo era somente a noite em Porto Alegre, acordamos cedo em Cambará do Sul e viajamos até Torres para curtir o dia.

A viagem durou aproximadamente duas horas e tivemos tempo suficiente para conhecer a cidade. Precisamos ficar atentos ao relógio, já que no mesmo dia teríamos que percorrer mais 185 Km até Porto Alegre.

As belíssimas formações rochosas na Praias de Torres
As belíssimas formações rochosas na Praias de Torres

Sou o tipo de pessoa que quer aproveitar o máximo das viagens, e uma passagem pela linda Torres completou bem o passeio aos Cânions no Rio Grande do Sul.  Apesar de ter tido pouco tempo conseguimos caminhar pelos mirantes da Praia da Guarita, subir ao Morro do Farol para observar as pessoas saltando de parapente, ir até a ponte que separa Santa Catarina e Rio Grande do Sul e almoçar tranquilamente na bela cidade do litoral gaúcho.

Morro do Farol
Morro do Farol

Onde fiquei em Cambará do Sul

Cambará tem opções de pousadas para todos os gostos, eu escolhi a Pousada do Oliveira e fui super bem atendido. Os donos foram uma simpatia e o café da manhã uma delícia.

Os confortáveis chalés da Pousada do Oliveira
Os confortáveis chalés da Pousada do Oliveira

Bom, é isso, espero ter contribuído com minhas dicas. Nas próximas férias considere a Região dos Cânions no Rio Grande do Sul, tenho certeza que não irá se arrepender.

Já foi para lá e tem alguma dica ? Deixe sua opinião nos comentários, assim podemos ajudar outros viajantes a conhecer esta parte tão linda do nosso Brasil.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

 

Compartilhar:

4 comentários em “Região dos Cânions no Rio Grande do Sul

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *