O que ver em Rabat – conheça uma das capitais imperiais do Marrocos em um dia

O que ver em Rabat – A Cidade Imperial e Capital do Marrocos

Viajei pelo Marrocos por 17 dias, e no meu roteiro passei pela exótica Marrakesh, pelo incrível Deserto do Saara, pela capital espiritual Fez e por outras cidades que me faziam pensar que estava dentro de um filme.

Coloquei Rabat no meu roteiro porque sempre gosto de conhecer as capitais. Ainda que pouco falada perto da conhecida Marrakesh, a cidade reserva boas surpresas no Marrocos.

A Torre Hassan é um símbolo de Rabat. O que ver em Rabat
A Torre Hassan é um símbolo da cidade, porém há muito o que ver em Rabat

Quando chegamos em Rabat temos aquela sensação de metrópole, com ruas largas, trânsito e muita gente, mas é só andar um pouco para descobrir os encantos do local.

A cidade é servida por trem, e de Rabat é fácil ir para Casablanca ou para o norte em Tanger, aliás os trens me surpreenderam positivamente no Marrocos, são limpos, pontuais e baratos. Como meu voo de volta era por Casablanca, ficou fácil ir para o aeroporto, já que de Rabat é possível tomar um trem até Casa Voyagers (Casablanca) e de lá outro direto para o aeroporto.

Por que coloquei Rabat no meu roteiro ?

Há muito o que ver em Rabat, ainda mais porque a cidade faz parte das Capitais Imperiais juntamente com Marrakesh, Fez e Meknes

As cidades imperiais foram antigas capitais do Reino do país, e eu queria conhecer todas elas.

Rabat é uma cidade moderna, com largas avenidas
Rabat é uma cidade moderna, com largas avenidas

Além de tudo isso, é fácil ir para Rabat. Existem muitas promoções de voos do Brasil para Casablanca, e desta cidade é apenas uma hora de trem até a capital do Marrocos. Você pode ficar em Casablanca e fazer um bate e volta tranquilamente para Rabat, já que em apenas um dia é possível conhecer suas principais atrações.

Cheguei em Rabat vindo de Chefchaouen a cidade Azul do Marrocos, a companhia de ônibus Supratours faz este trecho. Dá uma olhada no meu roteiro pelo país onde explico todos os deslocamentos que fiz. Lembrando que viajei sempre por conta própria, utilizando ônibus e trens.

O que ver em Rabat

A princípio é interessante lembrar que Rabat não é necessariamente uma cidade turística, sendo assim você verá o Marrocos “como ele é”. A Avenida Mohamed V é um destaque na cidade, aliás é onde fica a estação de trem. Esta avenida larga e com palmeiras é um convite para uma caminhada sem compromisso, apenas admirando o vai e vem das pessoas.

A Avenida Mohamed V com as lindas palmeiras
A Avenida Mohamed V com as lindas palmeiras

Perto desta avenida o Museu de Arte Contemporânea é um lugar a se conhecer, o moderno prédio com caraterísticas mouras se destaca na rua.

O Museu de Arte Contemporânea de Rabat
O Museu de Arte Contemporânea de Rabat

Existem partes no centro de Rabat que não são necessariamente bonitas, mas é legal ver a realidade além do turismo.

Como toda cidade marroquina, Rabat tem uma medina. É sempre bom dar uma volta por lá e ver o dia a dia dentro da cidade antiga.

Caminhando pela medina de Rabat
Caminhando pela medina de Rabat

Um dos pontos mais interessantes na cidade é a Torre Hassan, a inacabada mesquita encanta os visitantes com sua grandiosidade. Na época existia a pretensão de que a mesma fosse a maior do mundo, porém em 1199 as construções foram abandonadas.

A incompleta Torre Hassan e suas 200 colunas
A incompleta Torre Hassan e suas 200 colunas

Apesar disso, a torre com suas 200 colunas de tamanhos diferentes é um programa imperdível na cidade e este local se tornou um símbolo de Rabat.

A Torre Hassan surpreende com sua grandiosidade
A Torre Hassan surpreende com sua grandiosidade

Nesta mesma praça, na extremidade oposta ao minarete, fica o Mausoléu de Maomé V, onde estão sepultados o famoso rei e seus dois filhos.

O incrível Mausoléu Maomé V
O incrível Mausoléu Maomé V

Guardas devidamente trajados guardam a entrada do Mausoléu, o qual é uma obra prima da arquitetura marroquina. Seu interior é incrível, aliás, das construções que conheci no Marrocos, esta me impressionou bastante, tanto pelos detalhes externos como o interior. Não deixe de notar a decoração do teto, com pontos brilhantes que lembram estrelas.

Os guardas vigiando o Mausoléu
Os guardas vigiando o Mausoléu
A arquitetura do Mausoléu é rica em detalhes
A arquitetura do Mausoléu é rica em detalhes

Continuando o dia por Rabat, dê uma volta pelo Casbá dos Udaias com suas construções em azul e branco e destaque para a Porta Monumental. Caminhe por aí despretensiosamente até os mirantes para o mar. Não crie expectativas para a Praia de Rabat, infelizmente neste trecho a mesma é bem suja.

O Casbá dos Udaias e seu Portão Monumental
O Casbá dos Udaias e seu Portão Monumental
A vista dos mirantes do Casbá dos Udaias
A vista dos mirantes do Casbá dos Udaias

Junto ao Casbá aproveite para conhecer o Jardim Andaluz e relaxar enquanto a cidade agitada acontece lá fora.

O Jardim Andaluz
O Jardim Andaluz

Saindo do jardim e caminhando um pouco se chega a um enorme calçadão à beira do Rio Bu Regregue, do outro lado já é Salé. Neste calçadão existem alguns restaurantes e é interessante ver o movimento de barcos cruzando o rio.

Observando o vai e vem dos barcos.
Observando o vai e vem dos barcos.

Existe um barco de madeira ancorado onde funciona um bar e restaurante, foi ali que tomei a única cerveja no Marrocos, já que os muçulmanos não podem consumir álcool.

Foi difícil mas encontrei cerveja no Marrocos
Foi difícil mas encontrei cerveja no Marrocos

Um pouco mais distante desta região, Chellah é outro lugar a se conhecer em Rabat. Eu tomei um taxi por 35 MAD (2018) perto da estação de trens até este lugar.

Ruínas de uma cidade Romana
Ruínas de uma cidade Romana

Chellah é um sítio arqueológico da cidade Romana de Sala Colonia, a qual depois foi tomada pelos árabes muçulmanos na conquista do norte da África no século VII. Desta forma é possível ver uma mistura de ruínas romanas com minaretes, mesquitas e as tumbas reais.

Observe os diversos ninhos de cegonhas na área, muitos deles ficam exatamente no topo dos minaretes.

O Minarete e a cegonha em Chellah
O Minarete e a cegonha em Chellah
Alguém viu o gatinho ?
Alguém viu o gatinho ?

Valeu a pena conhecer Rabat ?

Com certeza valeu muito a pena, e em um dia é possível conhecer todos estes lugares. Logicamente se for entrar em museus precisaria de mais um dia, no mais Rabat pode funcionar bem como um day trip de Casablanca, ou como um ponto de parada na sua viagem pelo Marrocos.

Gostou das dicas sobre o que ver em Rabat ?

Siga-me no Instagram @viajante_curioso. Pesquise também a hashtag #viajantecuriosonomarrocos , tem várias dicas por lá.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “O que ver em Rabat – conheça uma das capitais imperiais do Marrocos em um dia”

Compartilhar:

Ksar Ait Ben Haddou: conheça esta incrível cidade de 757 que ficava na rota das caravanas

Ksar Ait Ben Haddou – cenário de filmes como Lawrence da Arábia e Jesus de Nazaré.

Quando estava planejando minha viagem ao Marrocos li muito sobre Ourzazate, mas confesso que tive dificuldade para incluir a cidade no meu roteiro.

Ourzazate é conhecida como a porta de entrada para o deserto e também como a cidade dos Kasbahs, que são antigas fortificações feitas de barro, muito comuns nesta parte do Marrocos.

O incrível Ksar Ait Ben Haddou com sua arquitetura preservada
O incrível Ksar Ait Ben Haddou com sua arquitetura preservada

Cheguei em Ourzazate de ônibus, vindo de Marrakesh, aliás, se quiser dicas sobre esta cidade clique aqui.

A dificuldade de fazer turismo em Ourzazate é que muitas atrações estão fora da cidade, e senti que um carro ajudaria bastante. Não encontrei muitas agências de turismo, já que viajei por conta própria.

Como ir

A partir de Marrakesh é possível tomar um ônibus para Ourzazate, neste artigo falo sobre os deslocamentos e as companhias de ônibus que atendem a esta região.

É possível ir para Ourzazate de tour privado, onde geralmente se conhece, além da cidade, o Deserto do Saara.

O que tem para fazer lá

Confesso que o principal motivo para ter ido a Ourzazate foi de conhecer o Ksar Ait Ben Haddou, um dos mais conservados de todo o Marrocos, por conta disso o mesmo é tombado pela UNESCO e teve vários filmes gravados por lá.

Para chegar até o Ksar Ait Ben Haddou não existe nenhum tipo de transporte público e você terá que ir de táxi, são 30 km desde o centro de Ourzazate. O pessoal do hotel me disse que bastaria ir até uma praça onde ficam os taxistas e dividir a corrida com outros turistas que certamente estariam por lá, mas não tinha ninguém!!

Fiquei impressionado com o Ksar Ait Ben Haddou
Fiquei impressionado com o Ksar Ait Ben Haddou

Enfim, como queria muito conhecer, paguei sozinho o taxi, e foi por volta de uns R$ 80,00 (lembro deste valor convertido).

O taxista foi super simpático e parou em alguns pontos durante o caminho para que eu tirasse algumas fotos.

Realmente o Ksar Ait Ben Haddou é imperdível, à primeira vista viajamos ao passado, imaginando as caravanas que ali passavam.

Não deixe de ir até um pequeno riacho ao lado do Kasbah, dá para garantir lindas fotos e percebi que só tinha eu por lá.

Quer um pouco de privacidade ? Procure este lugar. Fiquei sozinho um tempão por lá.
Quer um pouco de privacidade ? Procure este lugar. Fiquei sozinho um tempão por lá.

Acredito que em uma hora e meia seja o suficiente para explorar o lugar, lá dentro tem algumas lojinhas e é impressionante descobrir que ainda algumas famílias moram ali.

Sempre tem uma lojinha.
Sempre tem uma lojinha.

Voltando à cidade o taxista me levou ao Taourirt, este Kasbah fica dentro da cidade, e para mim o mais interessante foi ver o contraste do antigo com o novo, pois diferente do Ksar Ait Ben Haddou, que está numa colina, Taourirt é cercado pelas belas avenidas de Ourzazate.

O contraste do antigo com o novo em Ourzazate
O contraste do antigo com o novo em Ourzazate

Ourzazate está bastante ligado ao cinema, várias produções foram filmadas lá e você poderá conhecer o CLA Estúdios e um Museu do Cinema que fica perto do Taourirt. Confesso que não conheci nenhum dos dois mas acredito que valha a pena.

Como disse anteriormente várias atrações estão na região e não propriamente em Ourzazate, senti muito dificuldade em conseguir informações pela internet, desta forma aconselho que você planeje a visita a esta região alugando um carro ou com tour privado.

Tive bastante sorte, pois no outro dia que ainda estava em Ourzazate me juntei a outros dois turistas e pagamos um motorista para explorar a região.

Existe uma estrada conhecida com a Rota dos Mil Kasbahs, é um caminho muito bonito margeado pelas fortificações tão tradicionais desta região, é bem verdade que nem todas são tão conservadas como o Ksar Ait Ben Haddou, porém é uma viagem imperdível.

Paisagem típica nas estradas desta região
Paisagem típica nas estradas desta região

Outro ponto bastante interessante é Skoura, onde tem um Kasbah bem preservado, o qual não tive tempo de conhecer. Repare que nesta região existe geralmente um tipo de oásis, com uma extensa faixa verde de plantações e o vermelho típico que mostra a aridez das cidades.

Extensas faixas de plantação contrastando com a aridez vermelha das cidades
Extensas faixas de plantação contrastando com a aridez vermelha das cidades

Também passamos pelo Vale das Rosas, onde eles cultivam as plantas para diversos fins. Toda esta região é conhecida como Baixo Atlas. O motorista parou também num mercado bérbere, foi bem legal ver a movimentação de um dia normal de feira na região.

A região do Vale das Rosas
A região do Vale das Rosas

Outro ponto interessante nesta região é o Gorges du Todra, que são paredões que se elevam na estrada, formando como um corredor. O visual é incrível.

Os paredões que formam o Gorges du Todra
Os paredões que formam o Gorges du Todra

Minha percepção

Viajei para o Marrocos por conta e não usei nenhum tour privado, mas acredito que nesta região seja necessário contratar um passeio ou estar de carro alugado. Aliás, dirigir por esta região deve ser uma delícia, pois as estradas são boas e os visuais incríveis.

As inúmeras paradas pelas estradas da região
As inúmeras paradas pelas estradas da região

Depois de Ourzazate fui para Merzouga, para dormir no Deserto do Saara, acontece que o caminho foi o mesmo que tinha feito um dia antes, ou seja, passei duas vezes nos mesmos lugares, isso porque fiquei duas noites em Ourzazate e voltei à cidade para no outro dia tomar o ônibus com destino à Merzouga.

Os tours particulares fazem isso de forma mais lógica, ou seja, Ourzazate,Ksar Ait Ben Haddou, Skoura, Rota do Mil Kasbas, Vale das Rosas e Gorges du Todra, pois estes estão na direção de Merzouga, onde certamente este tour terminará.

De qualquer forma acredito que Ourzazate é um lugar imperdível e deve sim estar no seu roteiro para o Marrocos!! Já esteve por lá ? Divide suas opiniões comigo.

Espero que tenham gostado do artigo.

Procure pela hashtag #viajantecuriosonomarrocos no Instagram, tem muitas dicas lá também.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Ksar Ait Ben Haddou: conheça esta incrível cidade de 757 que ficava na rota das caravanas”

Compartilhar:

As Dunas de Erg Chebbi – O fantástico deserto do Saara na região de Merzouga no Marrocos

As fantásticas Dunas de Erg Chebbi no Deserto do Saara

Um roteiro pelo Marrocos só é completo se incluir as fantásticas dunas de Erg Chebbi perto de Merzouga. Quando montei meu itinerário pelo país, onde você pode conferir aqui , não deixei este incrível lugar de fora.

O emblemático Deserto do Saara tem sua porção no Marrocos e o lugar mais bonito para conhecê-lo é Merzouga. Outro ponto é Zágora, mas pessoas que foram nos dois lugares afirmaram que as dunas de Erg Chebbi em Merzouga são mais bonitas.

As dunas de Erg Chebbi em Merzouga
As dunas de Erg Chebbi em Merzouga

Aqui você vai ter aquele visual que sempre imagina do deserto: as enormes dunas. É incrível observar como as mesmas ficam lindas no por do sol, onde um tom alaranjado toma conta de tudo. Assim são as dunas de Erg Chebbi.

Passar uma noite no meio destas dunas é algo mágico, é tipo aquelas experiências que ficarão gravadas para sempre na nossa memória.

Como ir

Você pode ir por tour privado desde Marrakesh, Fez ou Ourzazate. Este tour privado geralmente abrange outros lugares, como a região de Ourzazate, clique aqui que tenho bastante informações sobre lá também.

Basicamente o tour à Merzouga compreende a chegada ao vilarejo, uma pequena viagem de camelo até o deserto um pouco antes do por do sol, acampamento no meio das dunas de Erg Chebbi com jantar e músicas bérbere, pernoite e volta na manhã do outro dia.

A estrada e o deserto do Saara
A estrada e o deserto do Saara

A maioria dos passeios oferece um hotel em Merzouga que funciona como ponto de apoio para as Dunas de Erg Chebbi. Possivelmente o café da manhã depois da volta das dunas será lá.

Caso vá por conta própria observe os horários dos ônibus, a Supratours tem apenas um horário em Ourzazate, as 13, e a viagem dura umas 8 horas aproximadamente. Confira o site desta empresa e veja os horários que melhor te atendem.

Tive apenas um contratempo, como sai de Ourzazate as 13, cheguei em Merzouga somente as 21, ou seja, não teria como ir para as dunas naquele dia. Eu imaginava Merzouga como o Atacama, cheio de agências onde facilmente agendaria o passeio para o outro dia, mas não é bem assim.

Merzouga é um povoado bem pequeno e chegando lá não encontrei nada, como já era tarde fui para um hotel que tinha conseguido algumas referências e passei a noite por lá. Lembrando que cheguei na cidade sem reserva alguma.

Caso você vá de tour privado será bem mais fácil, porém se resolver ir por conta própria sugiro que faça a reserva nos Campings, pelo próprio booking  ou outro app. Eu não sabia que esta reserva compreenderia todo o passeio, ou seja, a viagem de camelo e a estadia nas tendas nas dunas.

Nossos amigos que nos levarão até o acampamento
Nossos amigos que nos levarão até o acampamento

Depois de fazer a reserva entre em contato, eles serão super prestativos e cuidarão de toda a logística para vocês.

Como estava totalmente perdido por lá, entrei no booking peguei o telefone deles e liguei, no outro dia eles foram ao meu hotel e me levaram para o hotel deles na cidade e depois às dunas, desta forma fiquei o dia todo livre, pois o passeio só sai no final da tarde.

De maneira alguma foi perda de tempo, pois a cidade se limita com o deserto, basta atravessar as ruas e as dunas aparecem na sua frente de maneira mágica. Não deixe de prestar atenção no céu, é incrível a quantidade de estrelas que se vê, uma experiência emocionante.

Quando saí do hotel já dei de cara com as dunas Erg Chebbi e palmeiras
Quando saí do hotel já dei de cara com as dunas Erg Chebbi e palmeiras

Como funciona o passeio

Como falei, primeiro eles te levam para um hotel no vilarejo onde toda sua bagagem ficará guardada durante o passeio, arrume apenas uma pequena mochila com os itens essenciais para uma noite nas dunas de Erg Chebbi.

Aí eles organizam os camelos que serão o veículo para chegar no acampamento. Este trajeto é lindo, pois somos conduzidos pela borda de enormes dunas. O guia, sabiamente, faz um caminho seguro e para constantemente para fotos.

Nos sentimos nas antigas caravanas que cruzavam o Deserto do Saara
Nos sentimos nas antigas caravanas que cruzavam o Deserto do Saara

Este trajeto é feito em fila indiana e o guia vai a pé puxando o primeiro camelo. Tudo é feito de forma que chegamos no acampamento, nos acomodamos nas tendas e saímos para ver o por do sol, que é um ESPETÁCULO.

Neste momento o sol pinta todas as dunas Erg Chebbi de laranja
Neste momento o sol pinta todas as dunas Erg Chebbi de laranja

Fui no mês de abril e o deserto é congelante, não dispense blusas e jaquetas. Eu já tinha tido uma experiência dormindo no deserto de Wadi Rum na Jordânia, porém este é bem mais primitivo. Na Jordânia tinha uma estrutura de banheiro com água corrente e tudo mais, em Merzouga não, apenas uma lata enorme de água com uma torneira, porém nada disso tirou o encanto da visita.

Nosso pequeno acampamento no meio das dunas do Saara
Nosso pequeno acampamento no meio das dunas do Saara

Observe que esta região tem hotéis e campings para todos os gostos, alguns super chiques e outros bem simples. Fica a gosto do “freguês”. Procure o Google e verá resorts no deserto com piscinas à beira das dunas Erg Chebbi.

Depois do por do sol, temos um tempinho e eles nos servem chá e bolachas para “quebrar o galho” até o jantar.

O jantar é servido dentro de umas tendas e foi ótimo, a comida era boa e em bastante quantidade. Foi uma delícia jantar dentro da tenda, conversar com os outros viajantes e depois escutar música bérbere. Eles fazem de tudo para agradar e para proporcionar uma experiência impecável. Foi uma noite memorável.

Jantar e música bérbere no jantar
Jantar e música bérbere no jantar

Depois do jantar ficamos conversando mais um pouco e aí o cansaço tomou conta. Fiquem tranquilo que tem cobertores suficientes. Eu passei a noite super bem.

No outro dia levantamos cedo para ver o nascer do sol que também é um espetáculo, tudo é muito mágico. Aí já montamos os nossos camelos e voltamos para o hotel do vilarejo onde é servido um farto café da manhã.

O nascer do sol também foi um espetáculo, mas estava bem frio!!
O nascer do sol também foi um espetáculo, mas estava bem frio!!

Este post não recebeu nenhuma espécie de patrocínio, mas se quiserem uma referência procurem pelo Berber Camp, é simples mas o pessoal foi super simpático e prestativo. Eles inclusive providenciaram a compra do ticket de ônibus, já que dali fui à Fez.

Depois do café da manhã os serviços terminam, caso precise ficar mais no hotel até o horário do ônibus sem problema algum, eles fornecem um quarto com banheiro. Notem que por conta dos meus horários, fiquei praticamente três dias: um de viagem desde Ourzazate,  o outro no hotel aguardando a saída para as dunas no final da tarde e outro aguardando o meu ônibus. Tente se organizar para otimizar seu tempo ou caso contrário, faça como eu e relaxe, ficar uns dias naquela calma toda foi uma delícia.

No retorno é bem legal tirar fotos do reflexo dos camelos.
No retorno é bem legal tirar fotos do reflexo dos camelos.

Espero que este post te ajude a organizar sua viagem por este incrível país. Procure pela hashtag #viajantecuriosonomarrocos que tenho mais dicas por lá.

Deixe seu comentário dizendo que achou do post, ou se tem alguma dúvida, assim podemos cada vez melhorar mais o blog e ajudar mais viajantes.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “As Dunas de Erg Chebbi – O fantástico deserto do Saara na região de Merzouga no Marrocos”

Compartilhar:

Como ir de Fez a Chefchaouen: a cidade com todos os tons de azul no Marrocos

Como ir de Fez a Chefchaouen – a cidade com todos os tons de azul no Marrocos

O Instagram foi o grande culpado pela minha vontade de conhecer Chefchaouen no Marrocos. Fiquei encantado com aquela cidade toda em azul logo abaixo de montanhas. Mas que lugar era aquele ?

Todos os tons de azul em Chefchaouen. Como ir de Fez a Chefchaouen
Todos os tons de azul em Chefchaouen

Situada no norte do Marrocos, com as belas Montanhas Rif a emoldurando, Chefchaouen é uma cidade charmosa que fascina todos os turistas que a visitam. A cidade, fundada em 1471, foi povoada a princípio por exilados da Andaluzia, quando os católicos retomaram aquela parte da Espanha dos muçulmanos.

A cidade azul e as montanhas
A cidade azul e as montanhas

Hoje Chefchaouen caiu nas graças dos turistas e a cidade ficou famosa, basta procurar no Instagram que fotos curiosas de ruas e casas em tons de azul aparecem aos montes.

Uma cidade feita para ser fotogênica
Uma cidade feita para ser fotogênica

No meu roteiro pelo Marrocos esta cidade foi certamente um lugar que criei bastante expectativas e não me decepcionou!!

Como ir de Fez a Chefchaouen

Eu fui a Chefchaouen desde Fez, aliás neste artigo conto como foram meus dias por lá. É possível ir de excursão, mas como Viajante Independente que sou, fui por conta própria.

A cidade é ligada a Fez, Rabat e outros lugares importantes do Marrocos, a Companhia de Ônibus Supratours faz este trecho. Aliás Chefchaouen foi o único lugar que me preocupei em comprar os tickets com antecedência e mesmo assim não tinha o horário que queria. Porém no final deu tudo certo.

A viagem entre Fez e Chefchaouen demora umas 4:30h e o trecho é bem bonito. Chegando à cidade logo avistamos as montanhas Rif.

As Montanhas Rif protegendo a Cidade Azul
As Montanhas Rif protegendo a Cidade Azul

De Chefchaouen fui à Rabat e novamente me preocupei em comprar os tickets com antecedência.

A rodoviária de Chefchaouen fica um pouco longe da medina, é possível ir caminhando, porém é “morro acima”. Caso decida tomar um táxi, dificilmente a viagem custará mais que 20 MAD.

Aviso importante

Não estranhem se logo ao pegar o táxi o motorista já te ofereça maconha, isso é muito comum por lá e aconteceu inúmeras vezes comigo. Acredito que por ser homem e estar sozinho eles me abordavam mais comumente.

Acontece que em Chefchaouen existe muita plantação da erva em lugares perto das montanhas e a cidade é conhecida por este tipo de turismo também.

De forma alguma é perigoso, se não gosta apenas recuse e siga em frente, nada acontecerá. Mas prepare-se para ser abordado muitas e muitas vezes

O Azul de Chefchaouen

Muitas histórias explicam esta linda obsessão pelo azul, uma delas é que a cor espanta mosquitos e outras, um pouco mais nobres, falam de paz, da cor do sagrado e da representação do reino dos céus. Independente de tudo isso eu duvido você não ficar encantado com a cidade. Muitas vezes além das casas serem azuis, o chão também é. Fotógrafos se divertirão em cada cantinho da antiga medina.

Quando você menos espera aparece um cantinho azul
Quando você menos espera aparece um cantinho azul

Quantos dias ficar

Chefchaouen é uma cidade para descansar. Se você veio da agitação de Fez ou Marrakesh, a cidade Azul será um oásis de tranquilidade. De forma geral se conhece sim a cidade em um dia, mas aconselho que planeje sua estadia por aqui por 2 dias, assim poderá curtir as charmosas ruazinhas da medina sem pressa.

Este artigo é sobre como ir de Fez a Chefchaouen, porém a cidade pode ser incluída em roteiros do Norte do Marrocos também.

Caminhar sem direção pelas ruas da medina é uma das melhores atividades em Chaouen
Caminhar sem direção pelas ruas da medina é uma das melhores atividades em Chaouen

O que ver

A medina de Chefchaouen é pequena e fica nas encostas da montanha, sendo assim prepare-se para algumas subidinhas. O mais legal da cidade é andar e se perder por cantos que parecem intocados. Mesmo com muitos turistas a cidade guarda alguns lugares quase secretos.

Dependendo de onde estiver hospedado poderá ouvir o barulho de água de um pequeno rio que passa perto da cidade. Eu fui privilegiado com isso e com uma vista linda da montanha.

O rio que passa perto da Medina de Chefchaouen
O rio que passa perto da Medina de Chefchaouen

No final de tarde não deixe de subir para a Mesquita Espanhola. Por um bonito caminho margeando o rio se sobe uma pequena colina onde a cidade azul se apresenta na sua frente. Assistir ali o por do sol é uma atividade para nunca mais se esquecer.

A Mesquita espanhola, no alto de uma colina, é um excelente lugar para assistir ao por do sol.
A Mesquita espanhola, no alto de uma colina, é um excelente lugar para assistir ao por do sol.

Dentro da cidade preste atenção nos fornos comunitários. É um lugar onde eles tem um forno a lenha e os moradores levam a massa para assar lá, alguns destes fornos funcionam desde 1500.

Um forno que existe desde 1540 ?
Um forno que existe desde 1540 ?

É bastante interessante ver os homens usando um grande casaco, chamado djellaba, o qual cobre todo o corpo e tem um capuz. Turistas mais empolgados encontrarão esta roupa a venda facilmente nas lojinhas. No final da tarde, em ruas tranquilas, é interessante vê-los caminhando pelos estreitos becos, o que confere um ar misterioso à cidade.

Os homens encapuzados pelas ruas de Chefcahouen
Os homens encapuzados pelas ruas de Chefcahouen

O grande ponto de encontro na cidade é a Praça Uta-Al Hamman, com vários restaurantes e vista para as muralhas. É um lugar legal para curtir a noite. Artistas de rua e música deixam a área bem animada.

A bonita Praça Uta al Hamman
A bonita Praça Uta al Hamman

Ao andar pela medina de Chefchaouen é impossível não prestar atenção nas portas, todas são super decoradas e uma diferente da outra. A cada porta um flash.

Duvido você ir a Chefchaouen e não fotografar um monte de portas
Duvido você ir a Chefchaouen e não fotografar um monte de portas

Apesar da cidade receber muitos turistas ainda é possível ver o dia a dia dos moradores da cidade: homens com bicicleta transportando pães, senhores sentados nas praças escondidas da cidade e crianças brincando pelas estreitas ruazinhas. Chaouen, como carinhosamente é apelidada encanta com a simplicidade de seus habitantes.

O flagrante da menina que derrubou uma bandeja de biscoitos
O flagrante da menina que derrubou uma bandeja de biscoitos

Onde ficar

Existe uma infinidade de pousadas para todos os gostos e bolsos em Chefchaouen, o ideal é ficar dentro da medina, mas caso opte por ficar fora, procure hotéis perto das muralhas, assim fica fácil para entrar e sair da cidade antiga quando quiser.

Eu fiquei na Usha, uma simpática Guest House, com quartos confortáveis e decoração clean. Tem um bonito terraço onde eles servem o café da manhã com uma bela vista para as montanhas. Eles me atenderam super bem, inclusive quando fui embora tive que sair antes do horário que eles serviam o café da manhã, mas mesmo assim, atenciosamente, deixaram o café da manhã pronto para mim na cozinha.

tomando café da manhã no terraço da Guest House
Tomando café da manhã no terraço da Guest House

Gostou das dicas sobre como ir de Fez a Chefchaouen ? Não deixe de incluir esta cidade quando for ao Marrocos, tenho certeza que irá gostar !!

Confira todos os artigos que escrevi sobre o Marrocos aqui no meu blog. Se quiser confira também a hashtag #viajantecuriosonomarrocos  no Instagram, tem muitas dicas lá também.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Como ir de Fez a Chefchaouen: a cidade com todos os tons de azul no Marrocos”

Compartilhar:

Como ir para Meknes e Volubilis desde Fez

Como ir para Meknes e Volubilis desde Fez

Fiz um roteiro pelo Marrocos de forma a contemplar todas as cidades imperiais, passei por MarrakeshFez, Rabat e Meknes que explico neste artigo como ir para Meknes e Volubilis conta própria, já que Meknes está localizada a 63Km de Fez e é super fácil ir de trem.

Juntamente com Meknes é possível ir à Volubilis, que são ruínas de uma cidade do Império Romano dentro do Marrocos. É muito comum em Fez oferecerem este passeio e algumas agências oferecem também Moulay Idriss, uma cidade santa para os marroquinos. Vou explicar aqui como ir para Meknes e Volubilis, mas caso queira conhecer Moulay Idriss saiba que é perfeitamente possível fazer as três cidades no mesmo dia.

O Grande Arco em Volubilis
O Grande Arco em Volubilis

Apesar dos trens não abrangerem todo o Marrocos, eu fiquei positivamente impressionado quando precisei usar os mesmos. As estações são super bem cuidadas, os trens são baratos e pontuais e as viagens foram confortáveis. Em alguns trechos por 10 MAD a mais se viaja na primeira classe.

Se você pretende fazer este day trip comece cedo. Lembrando aqui que minhas dicas são para você que está em Fez e quer ir por conta própria a Meknes, Volubilis e Moulay Idriss. Abaixo todos os detalhes sobre como ir para Meknes e Volubilis.

Procure pela bonita estação de trens de Fez, que fica na parte nova da cidade, lá é possível comprar o ticket para Meknes por 32 MAD (abril/2018), não se preocupe em reservar antes, existem vários horários durante o dia. Vou ficar devendo o tempo total da viagem, mas foi super tranquilo, algo perto de uma hora e meia.

A bonita Gare de Fez
A bonita Gare de Fez

Chegando em Meknes eu aconselho seguir viagem direto para Volubilis ou Moulay Idriss, pois daí você deixa para conhecer Meknes na volta.

Na frente da estação de trem tem um ponto de táxi, se você estiver indo em mais de 2 pessoas de repente vale a pena negociar com um taxista, mas como estava sozinho fiz da maneira mais econômica nos chamados táxis compartilhados.

Funciona assim, você entra no táxi e espera outros passageiros, quando o táxi encher (eles colocam umas 5 pessoas) o carro sai.

Vou colocar todos os custos desta forma; considerando que fui sozinho e usei táxis compartilhados, aí vocês já terão uma ideia de como negociar.

Da estação de trem, tomei um táxi comum para o ponto dos táxis compartilhados, paguei somente 10 MAD por isso. Chegando neste ponto, tinha uma infinidade de táxis, pergunte por aqueles que vão a Moulay Idriss, não será difícil encontrar.

Mesmo que você não tenha interesse em conhecer Moulay Idriss terá que obrigatoriamente passar por esta cidade. O táxi compartilhado para Moulay Idriss custou 10 MAD

Chegando em Moulay Idriss precisei tomar outro táxi para Volubilis. Caso tenha mais turistas, converse com eles para irem juntos e dividir o valor da viagem, como estava sozinho e não tinha ninguém por lá arquei com o valor total de 30 MAD.

A volta ocorreu da mesma forma, tomei um táxi de Volubilis para Moulay Idriss por 30 MAD, de Moulay Idriss para Meknes em táxi compartilhado por 10 MAD e de Meknes Medina para a estação de trem por mais 10 MAD, é possível ir caminhando, mas como eu estava cansado voltei de táxi até a estação. A volta para Fez também foi tranquila, não fiquei mais que 10 min esperando o próximo trem, o qual paguei novamente 32 MAD, ou 22 MAD na classe econômica. O custo total deste passeio por 164 MAD (trens e táxis)

Resumindo como ir para Meknes e Volubilis

Trem de Fez a Meknes: 32 MAD

Táxi da estação de trem até onde ficam os táxis compartilhados: 10 MAD

Táxi compartilhado de Meknes até Moulay Idriss: 10 MAD

Taxi de Moulay Idriss a Volubilis: 30 MAD

A volta teve os mesmos custos.

Desta forma aconselho que tome este valor como base para negociar.  É possível ir de táxi desde Fez também.

O que fazer em Meknes

Cada dinastia marroquina escolhia uma cidade para ser a capital do reino, assim ocorreu também como Marrakesh, Fez e Rabat. Entre 1672 e 1727 foi a vez de Meknes.

O Centro Histórico é tombado pela UNESCO e muito do que se ver se encontra nesta região. Quando tiver voltado de Volubilis é possível ir caminhando da estação de táxis compartilhados até a medina, mas se preferir tome um táxi, não vai custar mais que 10 MAD.

Um dos destaques é o o Portão Bab Mansur, que impressiona pela grandiosidade e riqueza de detalhes. Conta a lenda que depois de pronto o sultão perguntou ao arquiteto se ele poderia ter feito ainda mais bonito, o arquiteto disse que sim e aí o sultão o matou. Lendas a parte, conhecer este portão é se deparar com os detalhes da rica arquitetura marroquina.

O grandioso Portão Bab Mansur
O grandioso Portão Bab Mansur

Dentro da medina existe também uma Madraça, que são as antigas escolas de Al Corão.  A diferença é que em Meknes tudo é bem mais tranquilo que Fez. Eu fiquei sozinho curtindo a arquitetura e os ricos detalhes do lugar.

Sozinho dentro da Madraça de Meknes
Sozinho dentro da Madraça de Meknes

Também é possível conhecer os Estábulos Reais, confesso que estava cansando este dia e acabei não indo, mas parece ser interessante.

É legal também admirar as muralhas que cercam a antiga medina. Outro portão legal de se conhecer é o Bab el Khemis. Achei interessante ver o carros atravessando o mesmo, num contraste do antigo e novo.

São mais de 40km de muralhes e belos portões como este
São mais de 40km de muralhas e belos portões como este

Os mercados de rua são pontos marcantes em todo o Marrocos, em Meknes a Place el-Hedim é um exemplo disso. Fica logo a frente do Bab Mansur e é um dos pontos principais da medina.

E Volubilis ?

Quando planejava meu roteiro pelo Marrocos, Volubilis me chamava a atenção por ser uma cidade romana no meio do território marroquino. Estamos acostumados a ver este tipo de ruínas na Europa e Oriente Médio, por isso fiz questão de ir à Volubilis.

E os romanos também chegaram aqui
E os romanos também chegaram aqui

Com certeza Volubilis tem proporções bem menores que muitas que conheci no Oriente Médio e na Europa, porém o que me chamou a atenção é que a mesma está num lugar muito bonito, em meio às férteis terras do Marrocos.

Os romanos escolheram o lugar a dedo, já que Volubilis fica no meio de uma extensa área de terras férteis no Marrocos
Os romanos escolheram o lugar a dedo, já que Volubilis fica no meio de uma extensa área de terras férteis no Marrocos

Aliás o caminho desde Moulay Idriss é bem bonito, em abril reparei que os campos eram tomados por uma pequena flor (se alguém que estiver lendo souber me fale o nome por favor) e tudo parecia um grande jardim.

As ruínas de Volubilis em meio aos campos verdes
As ruínas de Volubilis em meio aos campos verdes

Tente ver Volubilis desde ponto de vista, pelo conjunto, ainda mais se você já viu outras cidades romanas, já que Volubilis é relativamente pequena.

Toda vez que visito ruínas romanas fico imaginando como seria vendo a cidade toda em funcionamento. Como ir para Meknes e Volubilis
Toda vez que visito Ruínas do Império Romano fico imaginando como seriam as cidades naquela época

Mesmo assim andar pelas suas antigas ruas e observar os mosaicos e o grande arco da cidade é uma delícia. As ruínas do fórum mostram a grandiosidade do lugar.

A taxa de entrada foi de 20 MAD (abril-2018).

Os arcos de Volubilis.
Os arcos de Volubilis.

Bom é isso, espero que o artigo tenha sido útil sobre como ir para Meknes e Volubilis. Como disse, aconselho a visitar as ruínas primeiro e na volta Meknes. Se quiser dar uma passada por Moulay Idriss dá tempo tranquilo, mas lembre-se de sair cedinho de Fez.

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Como ir para Meknes e Volubilis desde Fez”

Compartilhar:

Medina de Fez: conheça a capital espiritual do Marrocos e toda a magia desda cidade mágina

A Grande Medina de Fez

O Marrocos possui quatro cidades imperiais, já que cada dinastia escolhia um lugar para ser capital do reino, são elas: Marrakesh, Fez, Meknes e Rabat. Elaborei um roteiro de modo a conhecer todas elas.

Fez também é conhecida como a capital espiritual do Marrocos, lá também encontramos uma das mais antigas universidades do mundo.

A Medina de Fez é uma das maiores áreas do mundo livre de carros e pásmen, são 9400 ruas !! Um verdadeiro labirinto.

A grande Medina de Fez
A grande Medina de Fez

Dezessete kilometros de muralhas cercam a maior medina do mundo e lá dentro, incrivelmente, vivem 500 mil pessoas.

Viajar para Fez é encontrar a alma do Marrocos em suas mesquitas e souks.

Como cheguei lá

No meu roteiro pelo Marrocos vinha da região do Deserto do Saara, onde tenho um artigo contanto como foi a experiência. Da região de Merzouga, perto das dunas Erg Chebbi iria tomar um ônibus até Fez, a cia Supratours faz este trecho. Já estava com o bilhete em mãos quando um casal de americanos, que estavam de carro, me ofereceram uma carona até Fez.

O ônibus sairia somente no final da tarde e eles estavam saindo de manhã. A grande vantagem de ir com eles é que poderíamos fazer paradas durante os 471 km que separam Merzouga de Fez, onde a estrada passa por paisagens incríveis.

A paisagem muda a cada curva da estrada
A paisagem muda a cada curva da estrada

Revendi meu ticket e embarquei com o simpático casal até Fez. O grande barato desta viagem foi que, ao cruzar as montanhas, pegamos uma nevasca, ou seja, os mesmos pés que pisaram no árido Deserto do Saara de manhã pisaram na neve também no mesmo dia.

O dia em que acordei no deserto e depois vi a neve
O dia em que acordei no deserto e depois vi a neve

Ifrane é uma cidade marroquina, ela não fica necessariamente no caminho para Fez, porém fizemos um desvio proposital. Esta cidade mais parece a Suiça e é cheia de chalés. Foi exatamente nesta região que nevou, lembrando que fiz esta viagem em abril.

Além do trecho com neve encontramos paisagens diversas pelo caminho, como campos, montanhas, rios e florestas de cedros. Foi uma viagem memorável.

O boneco de neve muçulmano
O boneco de neve muçulmano

Caso você esteja indo para lá é altamente recomendável fazer este trecho de carro, pois para mim foi uma das partes mais bonitas do Marrocos.

Fez e suas atrações

A cidade de Fez é dividida em três partes bem distintas: Medina de Fez, Fez Nova ou Ville Nouvelle e Méchouar. Boa parte dos lugares a se conhecer estarão dentro da Medina, mas aconselho também dar uma volta pela Fez Nova.

Sei que o objetivo deste blog são Viagens Independentes, ou seja, gostamos de descobrir as coisas sozinhos e explorar os lugares sem horários e obrigações, mas quer um conselho? Contrate um guia em Fez. A Medina é enorme e como disse acima, são 9400 ruas, não existem indicações ou setas, esqueça também de GPS ou mapas.

As agitadas ruas da Medina de Fez
As agitadas ruas da Medina de Fez

Caso se arrisque a ir sozinho irá andar, andar, se perder e se perder. Quando fui à Fez, já tinha passado por Marrakesh e estava meio traumatizado de quebrar a cabeça procurando pelas atrações. A Medina de Fez, além de maior que a de Marrakesh, tem vários trechos de subidas o que torna bem cansativo andar por lá.

Além de se perder, as ruas labirínticas são estreitas e tomadas por motos, bicicletas, vendedores e a enxurrada de turistas. Te desanimei ? Não, não se desanime, vale a pena! Mas com guia você irá aproveitar bem mais, acredite em mim.

Enfim, contratei o guia e passamos por ruazinhas tão estreitas que tenho certeza que nunca passaria ali sozinho.

Existem muitas mesquitas, mas nenhuma permite a entrada de turistas, a única que possibilita é a de Casablanca, aliás dá um lida neste artigo que eu conto como foi.

Meu passeio começou por um dos lindos portões da cidade, o Bab Bou Jeloud, aliás logo a frente deste portão tem diversos guias oferecendo serviços.

Um dos belos portões de acesso à medina
Um dos belos portões de acesso à medina

Também conheci a Madraça Bu Inania, aliás em toda cidade marroquina existe este tipo de lugar. Madraças são escolas do Al Corão e é impressionante a arquitetura das mesmas, sempre com pátios internos decorados em madeira com riquíssimos detalhes.

As antigas escolas de Al Corão
As antigas escolas de Al Corão

Depois fui conhecer os famosos curtumes, onde o couro passa por vários processos de limpeza e tintura. Sempre me falaram do mau cheiro, mas no dia que fui não achei tão ruim assim. Geralmente o esperto guia te levará até uma loja com acesso a uma cobertura de onde você avistará o curtume, logicamente depois o vendedor tentará te vender toda sorte de produtos. Faz parte. Não quer nada ? Diga obrigado e siga em frente.

Os famosos curtumes de Fez
Os famosos curtumes de Fez

Também passamos pela Universidade al Quaraouiyine, uma das mais antigas do mundo. Infelizmente só podemos ver pelo lado de fora, mas mesmo assim é interessante ver os detalhes da construção através dos portões.

Não rolou de entrar, mas a vista de fora já impressione né ?
Não rolou de entrar, mas a vista de fora já impressiona né ?

Além disso passamos por algumas mesquitas mas confesso que foi difícil curtir e tirar boas fotos, pois é extremamente “muvucada”. O guia terminou os serviços na Praça Rcif, onde existe outro belo portão de acesso à medina.

Outro belo portão de acesso á Medina, agora na Praça Rcif
Praça Rcif

Eu confesso que fiquei um pouco cansado e estressado na Medina, pois a todo tempo precisamos desviar das pessoas e é impossível achar um lugar mais calmo.

Como já tinha conhecido boa parte dos principais lugares tomei um táxi e fui desbravar outro lado de Fez. A Ville Nouvelle é outra parte da cidade, onde durante o protetorado francês foram construídas grandes avenidas. O destaque vai para a Avenida Hassan II com suas fontes e palmeiras.

Dizem que os franceses queriam construir uma Champs Elisees no Marrocos
Dizem que os franceses queriam construir uma Champs Elisees no Marrocos

É um grande boulevard onde as famílias vão com as crianças curtir o final de tarde. Repare nos cafés nesta avenida onde os homens viram suas cadeiras em direção à rua para apreciar o movimento. Como o álcool é proibido a grande diversão são estes lugares e esta é uma atividade puramente masculina. Dificilmente você verá mulheres sozinhas sentadas em um café.

A bonita estação de trens em Fez
A bonita estação de trens em Fez

Achei bem interessante andar por esta parte da cidade, com calma e ver uma Fez diferente, afinal a cidade não é só a Medina. Acho importante conhecer esta região para entender o contraste cultural entre o antigo e o novo na cidade.

Onde ficar

Bom, minha experiência em Fez não foi das melhores. Havia reservado um Riad nas proximidas da Praça Rcif, dentro da Medina. Chegando em Fez, depois de muito custo o encontrei. No Riad a recepção não foi das melhores e o atendente me pediu para esperar.

Até aí tudo bem, percebi que ele estava atendendo mais pessoas, porém depois de quase 2 horas fiquei irritado. Foi então que ele me disse que houve um problema com minha reserva e que não teria um quarto para mim, porém me hospedaria em outro riad.

Um funcionário me acompanhou pelas ruas estreitas da medina e enfim chegamos no outro riad que eles tinham arrumado para mim, mas era horrível!! O quarto não tinha janelas, tinha um cheiro de mofo terrível, o banheiro era velho e quebrado e realmente não tinha condições de ficar ali.

Eram 11 da noite e pensei, como vou sair daqui agora ?  O funcionário tinha andado em zigue zague dentro da medina e eu não conseguiria achar a saída na escuridão daqueles becos.

No meio da agitação na medina não deixe de prestar atenção nos detalhes
No meio da agitação na medina não deixe de prestar atenção nos detalhes

Entrei no app de reservas, e achei um hotel fora da medina, pois tudo o que queria era sair daquele labirinto. Chamei o funcionário do hotel e disse que não ficaria ali e pedi se ele poderia me ajudar a sair da medina para tomar o táxi. Prontamente ele me ajudou, tomei o táxi e cheguei no meu hotel, na parte nova da cidade. Meu hotel ficava numa rua paralela a Avenida Hassan II, num lugar muito bonito.

A Ville Nouvelle de Fez
A Ville Nouvelle de Fez, pena que as fontes não estavam ligadas e a avenida passava por alguma reforma, porém linda do mesmo jeito.

Aí sim curti Fez, depois de ter conhecido a Medina fiquei andando pelas ruas largas da cidade nova e relaxando. Foi ótimo.

Eu acredito que dois dias sejam suficientes para Fez, e em um deles é possível fazer um bate e volta para Meknes e Volubilis.

Resumo: Gostei da cidade, mas digo de antemão que é preciso paciência e disposição para conhecer a Medina de Fez, no mais é uma experiência incrível andar pelas ruas de uma cidade que foi fundada em 789 d.C !!

Gostou do artigo ? Tem alguma pergunta ou comentário ?

** Este artigo não recebeu nenhuma espécie de patrocínio e reflete as opiniões pessoais do autor.

Continuar lendo “Medina de Fez: conheça a capital espiritual do Marrocos e toda a magia desda cidade mágina”

Compartilhar:

Essaouira no Marrocos: conheça a bela cidade praiana em um belo bate e volta desde Marrakesh

Essaouira no Marrocos – bate e volta desde Marrakesh

Eu sempre fui fã dos bate e volta ou se vocês preferirem dos day trips, é um tipo de viagem que você não precisa se preocupar em fazer checkout de hotel ou pensar em deslocamentos. Escrevi um artigo sobre como organizo minhas viagens e falo sobre isso, confira aqui.

Se você tem uma viagem planejada para Marrakesh, dá uma olhada nas minhas dicas e aproveite para fazer um day trip maravilhoso para Essaouira.

A cidade, que antes tinha o nome de Mogador, pertencia aos portugueses e até hoje é possível ver um forte construído por eles em terras marroquinas.

A vista da Medina de Essaouira desde do Forte Português - Essaouira no Marrocos
A vista da Medina de Essaouira desde do Forte Português

Essaouira no Marrocos é uma linda cidade de praia à beira do Oceano Atlântico, suas muralhas protegem a Antiga Medina das ondas do mar.

Se gosta de compras, Essaouira tem excelentes opções, com preços mais atraentes que Marrakesh. Fica como dica procurar o artesanato em madeira, principalmente em marchetaria, encontrado em uma das ruas da cidade. Eles têm peças lindas.

Como ir

A cidade está a pouco mais de duas horas e meia de Marrakesh, e se você acordar cedinho cabe sim num day trip, caso contrário você poderá passar uma noite por lá, o que não é uma má ideia.

A Medina de Essaouira no Marrocos é bem mais tranquila que Marrakesh, e se você passou uns dias pela frenética cidade, Essaouira vai te dar um pouco de “paz”.

Relaxe caminhando pela bela Essaouira
Relaxe caminhando pela bela Essaouira

Você pode ir por empresas que vendem o passeio e facilmente encontrarão nas proximidades da Djema el Fna em Marrakesh, mas se quiser ir de ônibus, por conta própria, é super fácil. Existem duas empresas que fazem a linha Marrakesh – Essaouira: Supratours e CTM, cada uma sai de um lugar diferente, porém ambas estão perto da estação de trem de Marrakesh.

No Marrocos o embarque em ônibus é como em aeroporto, você terá que despachar a bagagem e pagar uma taxa por isso, mas não esquente a cabeça, basta chegar meia hora antes e pagar somente 5 MAD.

O caminho para Essaouira é muito bonito, mas fique atento, pois existe um trecho que você verá as famosas cabras que escalam árvores para comer argan. Os tours privados fazem uma parada para ver este fenômeno, se for de ônibus conseguirá tirar umas fotos como eu fiz. É bastante curioso.

A força das cabras escalando as árvores para comer argan.
A força das cabras escalando as árvores para comer argan.

Chegando em Essaouira você terá que pegar um taxi ou caminhar por alguns minutos para chegar na medina, lembre-se que se for pegar um taxi, usar a técnica que ensinei neste artigo , assim você terá certeza que pagará um preço justo.

O que fazer em Essaouira

Bater perna e apreciar as antigas construções da medina é um programa delicioso, tem horas que Essaouira lembra a Grécia com suas construções brancas e azuis.

A cidade tem aquela leveza de praia, dizem que Jimi Hendrix teria se apaixonado por Essaouira.  Hoje a mesma tem uma vocação musical, focado em jazz, rock e reggae.

A medina de Essaouira tem ruas mais largas e mais agradáveis para caminhadas
A medina de Essaouira tem ruas mais largas e mais agradáveis para caminhadas

Um ponto imperdível é o Antigo Forte Português, circule por suas muralhas e aprecie a vista da cidade, das aves e o movimento dos pescadores.

O Antigo Forte Português em Essaouira - antiga Mogador.
O Antigo Forte Português em Essaouira – antiga Mogador.

Outro ponto interessante são as pedras que oferecem uma vista bem legal das muralhas de Essaouira.

Perto do Forte Português, vindo em direção a medina é possível provar frutos do mar, tomar suco de laranja e tem uma praça onde é legal almoçar. São pequenos estabelecimentos onde você escolhe seu peixe e eles preparam na hora.

O simpático vendedor de suco de laranja
O simpático vendedor de suco de laranja

Como disse anteriormente Essaouira tem boas opções de compras, eu gostei muito da arte de lá, tem coisas super originais e as peças de madeira são lindas e com preço legal.

Este artesão faz belos trabalhos em madeira. Não deixe de conferir quando estiver por lá
Este artesão faz belos trabalhos em madeira. Não deixe de conferir quando estiver por lá

A parte propriamente da praia não é tão bonita, é um lugar como outro qualquer, ali é possível praticar alguns esportes náuticos, mas como não é a minha não dei muita bola e foquei na cidade antiga.

Outro lugar legal é a parte superior da cidade nos limites da muralha ao por do sol, vi uma galera lá relaxando, sentados em pequenos mirantes e curtindo a vibe do lugar.

As muralhas de Essaouira sempre garantem excelentes visuais.
As muralhas de Essaouira sempre garantem excelentes visuais.

O Marrocos é bastante diversos, parecerá que você está em países diferentes dependendo do lugar que esteja, se veio de Marrakesh terá esta impressão. Depois conta para mim o que achou ?

Fiz um roteiro de 17 dias pelo Marrocos, confira todos os lugares que fui clicando aqui.

Procure pela hashtag #viajantecuriosonomarrocos no Instagram, tem muitas dicas lá também.

Ah já ia me esquecendo, não só em Essaouira no Marrocos como em todo o país é fácil encontrar pessoas que falam espanhol. Para nós brasileiros é ajuda e tanto!!

Continuar lendo “Essaouira no Marrocos: conheça a bela cidade praiana em um belo bate e volta desde Marrakesh”

Compartilhar:

Medina de Marrakesh: onde ficar, quando ir, riads, preços e atrações

Medina de Marrakesh – Dicas e informações práticas

A cidade de Marrakesh é um dos pontos principais do turismo marroquino, me arrisco a dizer que se você tiver que escolher apenas uma cidade para conhecer no Marrocos que seja Marrakesh.

Além da cidade sintetizar a cultura do país, a mesma tem uma infraestrutura excelente para receber os turistas e atrações que vão realmente te deixar extasiados com todo o exotismo do lugar.

A arquitetura, a comida, as músicas e os costumes fazem de Marrakesh uma cidade única, efervescente e divertida. Quero resumir neste artigo dicas e informações práticas sobre a cidade.

Os portões de acesso à medina de Marrakesh são sempre impressionantes.
Os portões de acesso à medina de Marrakesh são sempre impressionantes.

Quando ir

Marrakesh é quente nos meses de julho e agosto, eu optei por abril e pensei que a temperatura seria mais amena, fiquei 20 dias viajando pelo Marrocos e consegui usar bermuda somente um dia. Clima realmente frio, o que me obrigava a usar um casaco mesmo durante o dia.

Nos passeios pela badalada Djema el Fna sentia bastante o frio, porém os dias eram lindos e sempre com o céu azul. Somente uma manhã peguei tempo nublado em Marrakesh.

De posse destas experiências eu fugiria dos meses de férias e optaria por outros meses, pois Marrakesh é lotadíssima, isso você notará  no mesmo instante que pisar na Antiga Medina de Marrakesh. Se em abril estava lotado, imagine no verão!!

O sol batendo forte e eu com minha inseparável jaqueta.
O sol batendo forte e eu com minha inseparável jaqueta.

Custo

Achei o Marrocos barato, tanto para comer, como os deslocamentos. Senti falta de Uber lá e sempre que usava táxi tinha que negociar os preços antes.

Lá ainda rola aquela ideia de tentar enganar o turista. Utilize esta regrinha básica: para corridas curtas nunca o valor passará de 25 MAD, logicamente isso mudará na ida e vinda do aeroporto, porém este é um bom padrão.

Cheguei por trem em Marrakesh vindo de Casablanca e o taxista me levou até próximo do meu Riad, digo próximo porque os riads ficam em ruas onde carros não circulam. Foi um trecho de 15 minutos e paguei um pouco mais, algo perto de 35 MAD. Nos outros deslocamentos eles sempre me cobravam mais porém eu negociava até 20/25 MAD.

Andar a pé por Marrakesh sempre é uma delícia
Andar a pé por Marrakesh sempre é uma delícia

Não gostei muito da culinária, mas também é possível comer pagando pouco, fica sempre a dica para fugir dos lugares mais turísticos.

Onde ficar

A cidade é rica em opções de hospedagem. Com certeza se você está pesquisando onde ficar, já deve saber dos famosos riads. Estes são antigos casarões que foram transformados em pousadas, as quais, em sua maioria, ficam dentro da medina de Marrakesh.

Fiquei em um maravilhoso, super bonito, decorado e com atendimento impecável com café da manhã delicioso e um preço legal. O único ponto negativo é como chegar e sair, pois os mesmos ficam localizados nas labirínticas ruas da medina de Marrakesh. Esqueça google maps ou qualquer GPS, tem que ser na base da intuição mesmo.

Meu palácio particular durante minha estadia em Marrakesh
Meu palácio particular durante minha estadia em Marrakesh

O ponto chato são os meninos que ficam oferecendo ajuda e muitas vezes te indicando o caminho errado para você se perder e depois eles te cobrarem para te levar até o hotel ou a algum outro lugar.

Não existe sinalização e as informações são precárias. Quer um conselho ? Fique fora da medina. Marrakesh também é uma cidade linda fora das muralhas e tem hotéis para todos os gostos e bolsos. Aí você fica fora de toda aquela agitação e vai passear na medina.

Muitos turistas vão falar que ficar num riad lhe dará a real experiência marroquina, eu discordo, a real experiência é também viver a cidade nova, que é linda.

As muralhas que cercam a medina
As muralhas que cercam a medina

Segurança

Sim, é um país seguro, mesmo andando pela medina de Marrakesh a noite, o que muitas vezes é assustador, pois são ruas estreitas e muitas vezes desertas dificilmente acontecerá alguma coisa. É bom sempre ficar esperto, mas não ouvi falar de nenhum relato de assalto ou violência.

Por ser um país muçulmano sempre existe um “porém” quanto às mulheres que viajam sozinhas, por outro lado, vi muitas turistas em grupos ou até mesmo sós por lá. Aconselha-se tomar cuidado com as roupas, mas também vi muitas meninas de shortinho e roupas orientais, inclusive marroquinas.

Tudo misturado: motos, bicicletas, pessoas e charretes pelas ruas
Tudo misturado: motos, bicicletas, pessoas e charretes pelas ruas

Marrakesh e suas atrações

Fiquei apaixonado por Marrakesh e a cidade corre o risco de ficar entre minhas TOP 5 do mundo. E olha que já tinha viajado para outros para outros países muçulmanos como: Israel, Jordânia e Turquia.

Marrakesh tem um “quê” de mágica em suas casas pintadas em um tom avermelhado. Mesmo já tendo visto as muralhas de Jerusalém, fiquei encantado com as muralhas de Marrakesh, as quais para mim são bem mais bonitas.

O enorme El Badi
O enorme El Badi

Marrakesh é também a cidade dos jardins e são muitos que você poderá conhecer. É bem legal perceber que as vezes ruas movimentas guardam paraísos escondidos, como os jardins do Palais Bahia e Majorelle.

O lindo Palais Bahia é um dos pontos principais de Marrakesh
O lindo Palais Bahia é um dos pontos principais de Marrakesh

Existe uma avenida que liga os Jardins de Menara à cidade antiga, é um boa caminhadinha, mas faça-a e repare na linda avenida margeada por jardins super bem cuidados. Eu adoraria ter ficado hospedado por ali.

As mesquitas são um espetáculo a parte, o grande destaque vai para a Koutubia, com seus detalhes que encantam os turistas.

O Minarete da Mesquita Koutoubia
O Minarete da Mesquita Koutoubia

Fora isso, existem muitos palácios e ruínas que mostram o passado glorioso desta cidade Imperial do Marrocos, uma das mais impressionantes é a El Badi.

Em Marrakesh é bem legal assistir ao por do sol num dos bares da Praça Djema el Fna, é lindo ver a cidade de acendendo e o movimento das ruas com músicas, vendedores, restaurantes, encantadores de serpentes e toda a excentricidade marroquina.

O por do sol numa das maiores praças do mundo: A Djema el Fna
O por do sol numa das maiores praças do mundo: A Djema el Fna

Chegando e saindo

Marrakesh tem aeroporto e estação de trem. Cheguei na cidade vindo de Casablanca. Pague 10 MAD a mais e viaje de primeira classe, é super confortável.

Marrakesh é lotada, não tem jeito.

A estação de trem de Marrakesh é um espetáculo a parte
A estação de trem de Marrakesh é um espetáculo a parte

Bom, isso não tem jeito, a cidade borbulha de turistas, e algumas atrações são extremamente lotadas. Um exemplo são os Jardins Majorelle, antiga residência de Yves Saint Laurent, o lugar é lindo, mas fiquei duas horas na fila e lá dentro era impossível achar um espaço tranquilo. Quer ir ? Levante cedo e chegue lá as 8 e garanta algumas horas de sossego.

Os famosos Jardins de Majorelle
Os famosos Jardins de Majorelle

Quantos dias para conhecer Marrakesh

Alguns roteiros de viagem deixam um dia para cidade, o que acho uma pena. Para mim Marrakesh merece dois dias completos, lembre-se que dias completos excluem aqueles que chegamos ou vamos embora.

Além das inúmeras atrações é preciso sentir a alma da cidade. Se puder ficar mais, com certeza vai curtir a cidade com calma, tomando um café e relaxando nos jardins escondidos da cidade.

Momentos de tranquilidade nos jardins de Marrakesh
Momentos de tranquilidade nos jardins de Marrakesh

O que mais fazer no Marrocos

Eu fiz um roteiro bem completo no país, confira aqui, porém se você não tiver muito tempo sugiro Marrakesh, a região de Merzouga no Deserto do Saara e Chefchaouen, a cidade azul do Marrocos.

Alugar um carro por lá pode ser uma boa, as estradas são bem sinalizadas e seguras. Isso te dará flexibilidade, neste artigo falo sobre como se deslocar por lá.

E aí, se animou a conhecer o Marrocos ?

Continuar lendo “Medina de Marrakesh: onde ficar, quando ir, riads, preços e atrações”

Compartilhar:

Mesquita Hassan II: O impressionante templo em um roteiro de um dia por Casablanca

A grande cidade marroquina e sua incrível Mesquita Hassan II

Quando pesquisamos os preços de passagem do Brasil para o Marrocos, as melhores tarifas aparecem para a cidade de Casablanca, porém quando pesquisamos sobre a mesma vemos vários pessoas falando que foi “meio sem graça”.

Se você tem uma escala em Casablanca ou seu ticket é pra lá, mas você já está pensando em correr para Marraquexe ou Fez este post é pra você.

Casablanca é a maior cidade marroquina.
Casablanca é a maior cidade marroquina.

Chegando e saindo

Casablanca é servida pelo sistema férreo marroquino, que pelas experiências que tive é realmente bom. O trem não atende todas as cidades do Marrocos, porém liga algumas das mais turísticas como Fez, Marraquexe, Tangier, Rabat e Casablanca.

O aeroporto de Casablanca é ligado ao trem e em menos de 40min se chega à estação CasaVoyagers, já na região central de Casablanca.

A estação de trem CasaVoyageur
A estação de trem CasaVoyageur

Sugestão de roteiro para um dia ou algumas horas

Caso seu voo chegue em Casablanca aconselho a reservar um hotel perto da estação CasaVoyagers, tem vários ali por perto da estação, desta forma será fácil sair e chegar na cidade.

Percebi no Marrocos que as corridas de taxi, pelo menos nos lugares turísticos, não passam de 20 MAD. Não achei que os motoristas de taxi no Marrocos tentam enganar os turistas sempre, mas truques como não ter troco ou cobrar a mais sempre acontecem. Como hoje em dia é fácil consultar os trajetos pelo Google Maps, você pode conferir se o motorista está tentando te enganar ou não, na dúvida peça para o mesmo ligar o taxímetro. Para um trecho de 5km nunca paguei mais de 20 MAD.

Muitos taxis no Marrocos fazem um serviço compartilhado, ou seja, você está dentro do carro e logo entra mais alguém, não se assuste. De uma maneira geral o Marrocos é seguro.

A grande cereja do bolo é a Mesquisa Hassan II, e posso dizer que sua arquitetura é incrível, tudo bem que não estive em Abu Dhabi ou Dubai mas fiquei impressionado com a grandiosidade da mesma.

Um diferencial desta Mesquita é que a mesma foi construída a beira mar, então é bonito ver o templo e o Atlântico compondo o visual.

Mesquita Hassan II
Mesquita Hassan II

Algumas informações sobre a mesquita:

  • Possui o mais alto minarete do mundo, com 200m de altura
  • Lasers emitidos do alto do minarete podem ser vistos a Km de distância
  • É uma das poucas mesquitas do mundo que aceitam a visita de não muçulmanos
  • Comporta 100.000 pessoas
  • Foi projetada para suportar abalos sísmicos
A grandiosidade da Mesquita Hassan II
A grandiosidade da Mesquita Hassan II

Por estas informações fica fácil entender porque conhecer a mesma é imperdível. Existe uma visita guiada, que ao meu ver é incrível, já que é a única forma de conhecer o interior desta magnífica Mesquita. O valor da visita, para os padrões marroquinos, é um pouco salgado: 120 MAD mas posso dizer que vale muito a pena, a única crítica é que a visita é super rápida.

No interior da Mesquita muitos detalhes chamam a atenção, como os trabalhos em mármore, madeira, portas com acabamento em titânio, o enorme teto que se abre durante cerimônias importantes do calendário muçulmano (claro que não vi o espetáculo) e o piso que tem um sistema de aquecimento.

Fiquei muito impressionado com a grandiosidade das portas, dos arcos e no interior da mesquita tive o mesmo impacto quando visitei a Sala dos Espelhos em Versailles.

A grandiosidade do interior da Mesquita Hassan II
A grandiosidade do interior da Mesquita Hassan II

Se você tiver um pouco mais de tempo, depois da mesquita aconselho a relaxar nos cafés da Medina de Habous. Caso esteja começando sua viagem ao Marrocos vai entender que medina é aquela parte antiga da cidade, geralmente murada com ruas labirínticas e lojas vendendo toda sorte de produtos. Em Habous é um pouco diferente, pois é uma medina super tranquila. A mesma foi construída pelos franceses para trazer de volta a tradição marroquina.

A tranquilidade e o charme de Habous
A tranquilidade e o charme de Habous

Se você decidir ir até Habous após a Mesquita, lembre-se novamente que a corrida de taxi não pode passar de 20 MAD. Na frente da mesquita, como existem muitos turistas, eles costumam cobrar até 100 MAD, eu tava desinformado e paguei 50 MAD.

Habous não é aquela medina tumultuada, cheio de gente te oferendo souvenir, é super tranquilo, aproveite para provar as patisseries e ver o tempo passar.

Tradicional patisserie em Habous
Tradicional patisserie em Habous

Ainda sobrou algum tempo ? Que tal terminar a tarde na Praça Mohammed V ?

Adorei este lugar, as ruas estavam cheias e sentia aquele clima de vida no ar sabe ? Vi muitas famílias passeando, jovens se divertindo e aquela ideia de festa. Gosto de cidades assim, movimentadas, onde se vê gente e em Casablanca, por ser menos turística você vai ver o dia a dia de um marroquino numa metrópole. Está certo que vai ser quase impossível sentar num bar e tomar uma cervejinha, mas com certeza a hospitalidade e o delicioso chá de menta farão as vezes com honra.

A movimentada Praça Mohammed V
A movimentada Praça Mohammed V

E aí, curtiram as dicas ?

Continuar lendo “Mesquita Hassan II: O impressionante templo em um roteiro de um dia por Casablanca”

Compartilhar:

Roteiro Marrocos: dicas, quantos dias, transporte, ônibus e trem.

As Cidades Imperiais no Roteiro Marrocos

O Marrocos não é um país grande, porém montar um roteiro pode ser um pouco complicado se não soubermos o que queremos fazer por lá.

O país tem boas estradas e no norte, tem um excelente sistema de trem ligando as maiores cidades.

Os ônibus, apesar de serem poucos, atendem facilmente aos lugares mais turísticos do país, e o bom de tudo isso é que o Marrocos é relativamente barato quando pensamos em deslocamento.

O Roteiro Marrocos pode começar por Casablanca
O Roteiro Marrocos pode começar por Casablanca

Roteiro Marrocos

A princípio é preciso definir o que se deseja fazer no país. Como existem low costs que voam direto da Europa para lá, tem muitos turistas que dedicam 4-5 dias no país, para um brasileiro, que vai cruzar o Oceano Atlântico, acredito que um roteiro mais completo seja o ideal.

É importante saber o interesse do viajante, a principal cidade turística marroquina – Marraquexe é um bom ponto de partida para um roteiro Marrocos, porém existem muitos outros pontos de interesse no país.

Qualquer roteiro pelo Marrocos deve passar pela linda Marrakesh
Qualquer roteiro pelo Marrocos deve passar pela linda Marrakesh

O circuito round trip que fiz 

Queria muito conhecer todas as cidades imperiais (Marraquexe, Fez, Meknes e Rabat), sendo assim desenhei meu roteiro Marrocos de forma a contemplar todas estes lugares. Os voos mais baratos para o Marrocos têm destino a cidade de Casablanca, sendo assim, minha viagem começou e terminou nesta cidade.

Basicamente o roteiro foi esse:

  1. Casablanca
  2. Marraquexe
  3. Day trip para Essaouira
  4. Ourzazate
  5. Merzouga
  6. Fez
  7. Day trip para Meknes e Volubilis
  8. Chefchaouen
  9. Rabat
  10. Casablanca

 

Quantos dias ?

Fiz este roteiro Marrocos em 16 dias, contando os voos, em dias líquidos (tirando os voos de ida e volta) foram 14 dias. Este é um tempo mais que suficiente, e em algumas partes da viagem poderia ter feito mais rápido, no entanto já tinha decidido anteriormente que não queria nada corrido.

Por exemplo: poderia optar por um day trip à Essaouira, onde é possível fazer e voltar para Marraquexe, no entanto resolvi dormir lá, já que são 2h de viagem, ou seja 4 indo e voltando. Desta forma tive quase dois dias na linda Essaouira, onde pude relaxar sem pressa. A maioria dos roteiros dedica somente um dia a esta cidade.

A cidade é tão bonita que achei desperdício somente um day trip
A cidade é tão bonita que achei desperdício somente um day trip

Vamos falar de transporte ?

Meu voo chegou em Casablanca e aí já comecei a ver que o transporte é bom no Marrocos, pois do aeroporto tem um trem que vai direto para a cidade, na estação Casa Voyagers. Como ficaria em Casablanca somente um dia, reservei um hotel ao lado da estação de trem, o que tornou a viagem super fácil.

De Casablanca fui à Marraquexe, facinho!! Tem vários trens super confortáveis que ligam as duas cidades. Dica: a primeira classe no Marrocos custa somente 10 MAD a mais, vale a pena investir.

De Marraquexe a Esssaouira tem várias opções e depende do que você quer. Existem day tours de Marraquexe, mas como não gosto de excursões preferi ir sozinho. Tem duas empresas de ônibus que fazem o trecho: CTM e Supratours. Ambas ficam pertinho da estação de trem de Marraquexe.

De Essaouira a Ourzazate tive que fazer em duas etapas, ou seja, Essaouira – Marraquexe e Marraquexe – Ourzazate, pois não tinha um ônibus direto. Novamente a Supratours e a CTM atendem a este trecho.

De Ourzazate a Merzouga (Saara) só encontrei a Supratours em Ourzazate, existe apenas um horário ao dia, as 13h

De Merzouga a Fez temos novamente a Supratours

De Fez a Chefchaouen é possível fazer pela CTM

De Chefchaouen à Rabat também é possivel pela CTM.

De Rabat fui direto ao aeroporto de Casablanca de trem com troca na estação Casa Voyagers.

Em algumas cidades do Marrocos não existe o conceito de rodoviária como aqui no Brasil, ou seja, se você decidir ir de CTM terá que ir para à garagem deles e se for de Supratour terá que ir para um lugar diferente.

Uma curiosidade: no Marrocos você tem que despachar a bagagem (como no aeroporto) e paga-se uma taxa de 5 MAD por isso. Sendo assim você precisar chegar meia hora antes para fazer este processo. Achei super organizado e confiável.

Estação de trem ou palácio ?
Estação de trem ou palácio ?

 

Ônibus, paisagens e paradas

Este é um ponto interessante, não pense que os ônibus no Marrocos são como o Cometa ou 1001 aqui no Brasil, mesmo em viagens de 10h não existe banheiro dentro do ônibus.

Achei os ônibus relativamente novos e nada se comparam aos ônibus caindo aos pedaços da Bolívia por exemplo, mas torno a repetir, o Brasil, pelo menos na região de São Paulo e Rio dá de 10 a 0. No final da viagem o ônibus parecia uma lixeira, de tanta coisa que as pessoas jogavam no chão.

A vista são lindas, no trecho entre Marraquexe e Ourzazate é preciso atravessar o Alto Atlas e as paisagens são incríveis. Na viagem entre Merzouga e Fez peguei um trecho que estava totalmente nevado e foi incrível pois tinha acordado no meio do Saara naquele dia.

Outra viagem memorável foi entre Fez e Chefchaouen, já que esta cidade fica nas lindas montanhas Rif.

Em relação às paradas nas estrada não gostei muito, não é como no Brasil onde paramos naqueles postos enormes com várias opções de comidas, no Marrocos, paramos em locais onde a única opção de comida era churrasco. Era super interessante, pois você tem que comprar a carne e levar para um churrasqueiro assar ali mesmo, sendo assim demora um pouco. Em muitas paradas as condições dos banheiros eram péssimas, por isso é altamente aconselhável ter sempre papel higiênico à mão.

E os oásis no meio do caminho?
E os oásis no meio do caminho?

Gostou do Roteiro Marrocos ?

Espero ter contribuído para você que pensa em ir ao Marrocos, um país exótico, que guarda em suas cidades tesouros milenares.

Continuar lendo “Roteiro Marrocos: dicas, quantos dias, transporte, ônibus e trem.”

Compartilhar: