Cidade de Goiás Velho: a terra de Cora Coralina

A antiga capital de Goiás foi reconhecida em 2001 como Patrimônio Mundial pela UNESCO por conta de sua arquitetura barroca, suas tradições e costumes e toda a natureza que a circunda. Assim é a Cidade de Goiás Velho: a terra de Cora Coralina.

As ruas históricas da Cidade de Goiás Velho
As ruas históricas da Cidade de Goiás

Onde fica

A Cidade de Goiás Velho fica a 170 Km de Goiânia, num trecho que pode ser rodado em pouco menos de duas horas.

A cidade histórica fica um pouco longe de outros destinos turísticos do estado como: Caldas Novas, Pirenópolis ou Chapada dos Veadeiros. Desta forma é necessário planejar a viagem, podendo juntar com Goiânia ou Pirenópolis.

A Igreja de Santa Bárbara em Goiás Velho
A Igreja de Santa Bárbara em Goiás Velho

O que fazer por lá

A Cidade de Goiás Velho é destino certo para quem procura a tranquilidade em meio à natureza e casarões centenários em uma cidade de ruas de pedra.

Logo na entrada dos casarões uma característica chama a atenção: a porta da rua fica sempre aberta e dá acesso a um pequeno “hall” com outras portas que dão acesso à casa. Isso mostra a receptividade dos moradores, até para com desconhecidos.

Caminhar pelas ruas da cidade é uma delícia
Caminhar pelas ruas da cidade é uma delícia

Museu Casa Cora Coralina

Um primeiro ponto a ser visitado pode ser a Casa de Cora Coralina, a famosa poetisa brasileira. Sua antiga residência foi transformada em um museu às margens do Rio Vermelho.

O Museu Casa de Cora Coralina à esquerda da foto
O Museu Casa de Cora Coralina à esquerda da foto

Todo mundo para na singela ponte de madeira para tirar uma foto com a casa ao fundo. Dentro do museu existe uma coleção de fotos, utensílios domésticos, livros, móveis e cartas. No fundo da casa tem  um jardim com uma bica de água potável. Dá uma olhada no site do Museu , tem uma visita virtual e todas as informações para visitação.

Placa com poema de Cora Coralina
Placa com poema de Cora Coralina

Palácio Conde dos Arcos

Antiga sede do Governo de Goiás, este palácio branco com janelas azuis compõe o simpático centro histórico da cidade.

Curiosidade: no aniversário da Cidade de Goiás Velho o Palácio dos Arcos volta a ser a sede oficial do Governo de Goiás por um dia.

O Palácio Conde dos Arcos e a Igreja da Boa Morte
O Palácio Conde dos Arcos e a Igreja da Boa Morte

Museu de Arte Sacra da Boa Morte

Este museu está localizado na Igreja da Boa Morte do século XVIII e reúne mais de 1000 peças de Veiga Valle, conhecido como o “Aleijadinho Goiano”.

A história da formação deste museu é bastante interessante: em 1957 o dono de um antiquário foi até a cidade e comprou várias imagens em madeira do artista Veiga Valle.

Esta compra chegou aos ouvidos do bispo, que comprou tudo de volta, impedindo então que as peças saíssem da cidade e formando o atual acervo do museu.

A Igreja da Boa Morte em meio aos casarões históricos da cidade
A Igreja da Boa Morte em meio aos casarões históricos da cidade

Doces caseiros

As doceiras são tradição na cidade, em muitos lugares você entra nas casas e quase compra os doces saindo da panela. São dos tipos mais variados como mamão, figo e cidra por exemplo.

A Procissão do Fogaréu

Eu escolhi conhecer a cidade justamente na Semana Santa, quando ocorre a tradicional Procissão do Fogaréu.

A misteriosa Procissão do Fogaréu pelas ruas escuras da cidade de Goiás Crédito: www.agenciabrasil.com.br
A misteriosa Procissão do Fogaréu pelas ruas escuras da cidade de Goiás Crédito: www.agenciabrasil.com.br

Para quem não se lembra, é em Goiás Velho onde acontece esta procissão. À meia-noite da quinta-feira santa, com todas as luzes da cidade apagadas, 40 homens vestidos com uma indumentária especial saem da Igreja da Boa Morte representando os soldados romanos que prenderiam Jesus Cristo.

Estes homens, chamados farricocos, seguram tochas e tocam tambores pelas ruas históricas da cidade, trazendo um clima de mistério para todos que a assistem.

Percepções do Viajante Curioso

  • Não espere uma cidade histórica como Ouro Preto, Goiás Velho é bem menor, porém tem seu charme
  • Acredito que valha a pena juntar Pirenópolis ou Goiânia, já que a cidade é pequena e dois dias são mais que suficientes
  • Caminhe pelo centro histórico sem pressa e sem pretensões. Deixe-se envolver pela simplicidade da cidade
  • Não deixe de conversar com os moradores e provar os doces caseiros
O bom mesmo é caminhar despretensiosamente e relaxar na pequena Cidade de Goiás
O bom mesmo é caminhar despretensiosamente e relaxar na pequena Cidade de Goiás

Bom é isso aí, espero que tenham gostado de mais estas dicas.

Boa viagem sempre!!

Compartilhar:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *