Como visitar Sewell: a cidade abandonada na Cordilheira dos Andes no Chile

Como visitar Sewell – Patrimônio da Humanidade, fica pertinho de Santiago.

Sou um viajante curioso e gosto de conhecer lugares que fogem ao comum, assim aconteceu com Sewell. Em 2009 o Fantástico apresentou uma série de matérias onde mostrava lugares que são Patrimônios da Unesco, porém não são conhecidos. Na época o jornalista Zeca Camargo percorreu todos eles. Clique aqui e conheça todos os Patrimônios da Humanidade no Chile.

Um destes lugares é Sewell e como tinha viagem marcada para o Santiago do Chile aproveitei para conhecer.

Encontrei poucas informações na internet e por isso resolvi contar passo a passo como visitar Sewell.

Sewell - a cidade abandonada na Cordilheira dos Andes. Como visitar Sewell
Sewell – a cidade abandonada na Cordilheira dos Andes

Mas do que se trata ?

No início do século XX o governo chileno deu permissão para que uma cidade fosse construída nos Andes e ali vivessem os mineiros que explorariam a mina El Teniente. Assim surgiu Sewell numa altitude de 2000 m num local pouco provável para se construir uma assentamento.

A neve em Sewell é companheira inseparável
A neve em Sewell é companheira inseparável

Sewell em seu apogeu chegou a ter 15.000 habitantes. Ao conhecer a cidade hoje em dia fica difícil entender como tanta gente viveu ali.

A arquitetura de Sewell é seu diferencial, a princípio não há ruas, somente escadas. A cidade contava com tudo o que qualquer cidade normal teria: bancos, igrejas, hospital, escolas, comércio, clube e até um boliche.

O boliche de Sewell
O boliche de Sewell

É super interessante andar por suas escadas e visitar os prédios antigos da cidade, que por toda sua peculiaridade foi tombada como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Não poderia faltar a igreja né ?
Não poderia faltar a igreja né ?

A cidade começou a ser abandonada nos anos 70 pois ficava mais fácil para os trabalhadores morarem em Rancágua e desde então se transformou num lugar fantasma. Ainda hoje, ao fazer os passeios, podemos ver vários mineiros trabalhando na região de Sewell.

A gente passeando e os mineiros na labuta
A gente passeando e os mineiros na labuta

Outra característica bastante interessante é que todas as construções são coloridas, o objetivo disso é contrastar com o eterno branco da neve e deixar a cidade um pouco mais “alegre”.

As cores de Sewell
As arquitetura peculiar de Sewell

Como é o passeio ?

Este não é um tour que deva agradar a todos, mas com certeza chama a atenção para quem já foi a Santiago e conhece todas as vinícolas, os parques e as estações de ski. É um daqueles lugares “diferentões” que quando você conta aos amigos eles perguntam “mas o que tem lá ?”

Não é um passeio muito conhecido, eu tive a ajuda de um amigo chileno que me indicou uma agência que faz este tour, infelizmente não é possível ir por conta própria.

Uma curiosidade: os chilenos pronunciam “súvel” e por este motivo muitos deles não entendiam quando perguntava sobre o passeio.

É perto de Santiago, aproximadamente 90Km em direção à Rancágua. É um excelente day trip desde a capital chilena.

Existem dois passeios; um pela cidade e outro que vai até a mina, eu escolhi somente o da cidade pois era o que mais me interessava.

O tour todo foi guiado e muito bem explicado, existe um museu lá e o almoço é num restaurante juntamente com os mineiros.

Se quiser informações mais detalhadas, este é o link de uma agência que faz o tour. http://www.vts.cl/

Programem-se pois não é um tour trivial e as saídas não são todos os dias.

Gostaram da dica sobre como visitar Sewell ?

Continuar lendo “Como visitar Sewell: a cidade abandonada na Cordilheira dos Andes no Chile”

Compartilhar:

A Catedral de Sal de Zipaquirá na Colômbia

Catedral de Sal de Zipaquirá

Tenho a impressão que ainda os brasileiros não descobriram este país. São muitas atrações que vão do mar do Caribe até um pedaço da Cordilheira dos Andes e lugares especiais como a Catedral de Sal de Zipaquirá.

Bogotá é uma cidade efervescente e me surpreendeu logo que saí do aeroporto com suas avenidas largas, faixas para ônibus e bastante cabeamento aterrado, aliás vocês acreditam que este detalhe me chama muito a atenção quando vou ao exterior? No Brasil ainda temos poucos lugares assim.

O centro histórico de Bogotá. Catedral de Sal de Zipaquirá
O centro histórico de Bogotá

Um day trip bem legal de Bogotá – A Catedral de Sal de Zipaquirá

Imagine uma catedral inteira construída dentro de uma mina de sal!

A grandiosa Catedral de Sal
A grandiosa Catedral de Sal

A história deste monumento não é tão antiga, a atual catedral foi inaugurada em 1995, porém antes havia uma outra dos anos 50.

Está situada a 180 metros abaixo da terra, e é um dos templos católicos mais diferentes do mundo.  A visita é guiada através das estações da Via Crucis, além de muitas outras obras feitas em sal e mármore.

Pedindo peça proteção dos mochileiros
Pedindo pela proteção dos mochileiros

A catedral está localizada junto ao complexo “Parque de la sal“, espaço cultural temático dedicado às minerações, geologia e recursos naturais.

Parque de la Sal
Parque de la Sal

Em uma hora é possível fazer todo o percurso, quando estive lá tinha uma fila já que este local é muito procurado pelos turistas em visita ao país. A Catedral de Sal é considerada uma das 7 Maravilhas Colombianas. Clique aqui para saber as outras!

Observe os ricos detalhes das obras iluminados por luzes coloridas. A todo momento somos surpreendidos por um cantinho diferente, que em meio à escuridão da mina traz um clima de mistério.

Os detalhes da Catedral de Sal
Os detalhes da Catedral de Sal

Fiquei bastante impressionado com a grandeza dos templos, em muitas partes da mina o pé direito é tão alto quanto de uma catedral convencional.

Como ir de Bogotá à Zipaquirá

Bom, sempre é possível comprar um pacote pronto que te pegue no hotel e te deixe na porta, mas que graça tem ?

É fácil chegar em transporte público, em Bogotá tem as estações do Transmilenio, basta acessar uma delas e ir até a estação final, que é o Portal Norte, de lá é só sair e bem ao lado tem os ônibus com destino à Zipaquirá.

Aliás este Transmilênio é muito parecido com o sistema de transporte de Curitiba, é tipo um veículo leve sobre pneus, porém em Bogotá eles seguem sempre em uma via separada.

Transmilenio
Transmilenio

Os ônibus saem de hora em hora e a viagem até Zipaquirá leva uma hora em um trecho de 48Km.

Quando estive lá descobri outra forma de ir até a Catedral de Sal, que deve ser legal, o Tren de La Sabana. Esta é uma das poucas linhas férreas em funcionamento da Colômbia, e liga o bairro de Usaquén em Bogotá à Zipaquirá. Pelo que li é um trem turístico com comida e banda, no entanto este só funciona nos finais de semana e em dias festivos. Em tempo: Usaquén é um bairro turístico de Bogotá que não tive tempo de conhecer, dê uma pesquisada sobre ele 😉

Se quiser saber mais sobre o trem. Clique neste link: http://www.turistren.com.co/

Para falar a verdade ficamos meio perdidos ao chegarmos na pequena Zipaquirá, paramos num ponto que não sabíamos se era o correto, mas foi logo que entramos na cidade.

Caminhe em direção à pequena praça com vários prédios coloniais e vá subindo alguns quarteirões, é uma caminhada boa, entenda como um passeio, assim fica mais divertido.

Caminhando em direção à Catedral de Sal
Caminhando em direção à Catedral de Sal

Quando tiver alguma dúvida pergunte aos moradores, os quais lhe indicarão facilmente. Se preferir tome um táxi dali do centrinho, mas como a gente é mochileiro sempre prefere os meios por conta própria mesmo.

O centrinho histórico de Zipaquirá
Zipaquirá e suas construções coloniais.

Pense na Colômbia nas suas próximas férias!

Continuar lendo “A Catedral de Sal de Zipaquirá na Colômbia”

Compartilhar: